Está aqui

Bancos preparam-se para cobrar comissões nas transferências MB Way

O BPI vai passar a cobrar comissões nas transferências MB Way, mas outros bancos também têm indicações de comissões para essas operações. Entretanto, os bancos que já anunciaram o resultado das contas em 2018 tiveram uma significativa subida dos lucros.
BPI anunciou cobrança de comissão nas transferência MB Way, a partir de 1 de maio de 2019 – Foto de Paulete Matos
BPI anunciou cobrança de comissão nas transferência MB Way, a partir de 1 de maio de 2019 – Foto de Paulete Matos

A partir de 1 de maio, o BPI vai passar a cobrar 1,248 euros por cada transferência MB Way, segundo notícia do Eco desta segunda-feira. O valor previsto até agora para essas transferências era de 20,8 cêntimos, mas não eram cobrados. O banco mudou o preçário, de 0,208 para 1,248 euros, e vai passar a cobrar, a partir de 1 de maio de 2019. O BPI anuncia, porém, que quem tiver instalada no telemóvel a aplicação do banco não pagará comissões nestas transferências.

O MB Way é uma aplicação da SIBS que permite realizar transferências bancárias através do telemóvel. As transferências por este meio estão em grande expansão e, em 2018, o MB Way atingiu o milhão de utilizadores. Nesta segunda-feira, a SIBS divulgou um comunicado onde refere que "não cobra qualquer comissão pelas operações realizadas na aplicação” e que as comissões aplicadas nas transferências devem ser esclarecidas pelos respetivos bancos.

Apesar das comissões nestas transferências não serem aplicadas por outros bancos, o BPI não é o único a ter estas cobranças previstas.

A CGD, o Novo Banco e o BCP têm nos seus preçários um valor previsto para as transferências MB Way. Na CGD o preço é de 0,208 euros, no Novo Banco é de 0,156 euros, enquanto no BCP o valor sobe para 1,352 euros. Outros bancos não têm valores previstos, por enquanto, para as transferências MB Way. É o caso do Santander Totta e do Bankinter.

Santander Totta, BPI e CGD aumentaram os lucros em 2018

Também nesta segunda-feira, foram divulgados os resultados da atividade do Santander Totta em 2018. O banco obteve lucros no valor de 500 milhões de euros no ano passado.

Na apresentação de resultados, o presidente do Santander Totta, Pedro Castro e Almeida, anunciou, segundo o Jornal Económico, que este banco passou a ser “o maior banco em crédito e rentabilidade” e declarou: “Queremos ser o melhor banco em Portugal”.

Em 2017, o Santander Totta teve lucros de 436 milhões de euros, que aumentaram para 500 milhões em 2018, mais 14,6%.

Também já foram divulgados os resultados da atividade de outros dois bancos em 2018: BPI e CGD.

O BPI teve um lucro consolidado de 490,6 milhões de euros, o que representa uma grande subida em relação aos 10,2 milhões de 2017. O BPI aponta que os "ganhos extraordinários com a venda de participações" de 396 milhões de euros representaram 81% daqueles lucros.

O banco público, CGD, registou em 2018 lucros de 496 milhões de euros, uma subida significativa em relação aos 52 milhões de lucros no ano anterior, depois de seis anos consecutivos de prejuízos.

Termos relacionados Sociedade
(...)