Está aqui

#CriseGlobal

Espaço de informação e análise sobre a crise provocada pelo Covid-19 e o debate das soluções e alternativas para a economia.

Na última crise, os países que aplicaram mais austeridade foram aqueles onde a dívida pública mais aumentou. Gráfico publicado por Phillip Heimberger.

Na resposta às crises, o barato sai caro

Fevereiro 7, 2021

Portugal é dos países da zona euro que menos gasta no combate à crise, superado até pelos que têm uma dívida pública superior. Mesmo face à recessão histórica que o país atravessa, a palavra de ordem no Ministério das Finanças continua a ser contenção. Mas o barato pode sair muito caro. Artigo de Vicente Ferreira.

João Leão, Ministro das Finanças português. Foto: Nuno Fox/Lusa

Portugal é o 3º país do euro que menos tem gastado na resposta à crise

Fevereiro 4, 2021

Estudo divulgado pelo BCE mostra que Portugal é dos países com menor esforço orçamental para combater a crise, sendo inclusivamente superado por países com níveis de dívida pública superiores.

Contração económica. Gráfico publicado pelo INE.

Maior do que com a troika, menor do que o esperado: a queda da economia portuguesa em 2020

Fevereiro 3, 2021

A estimativa do INE confirmou a maior queda da economia portuguesa na sua história democrática. Recuo do consumo interno pode ser explicado não só pelas medidas de confinamento, como pela insuficiência dos apoios sociais.

Imagem de Tempos Modernos de Charles Chaplin.

O debate sobre a produtividade do trabalho

Janeiro 28, 2021

Depois da devastação da pandemia, o aumento da taxa de lucro dependerá de novas agressões à biosfera e baixa de salários. Os economistas Manuel Garí e Fernando Luengo defendem que precisamos de uma visão radicalmente diferente.

Financial Times publicou artigo de Ruchir Sharma, com o título “Caro Joe Biden, os défices ainda importam” - screenshot da capa da publicação

Numa recessão histórica, os défices ainda importam?

Janeiro 23, 2021

Os défices devem ser utilizados para financiar estímulos orçamentais que cumpram o triplo objetivo de responder aos problemas sociais de curto prazo, sustentar o emprego e promover as mudanças estruturais. Postado por Vicente Ferreira em Ladrões de Bicicletas

Certo é que a forma como avaliamos as contas públicas dos países pode vir a sofrer mudanças significativas nos próximos tempos

Novo ano, novas lentes para avaliar as contas públicas?

Janeiro 6, 2021

A economista-chefe da OCDE, Laurence Boone, veio reconhecer que é preciso rever os critérios normalmente utilizados para avaliar se as finanças públicas de um país são saudáveis. Postado por Vicente Ferreira em Ladrões de Bicicletas

A dívida pública deixou de ser o foco exclusivo da atenção. Os termos do debate já não são os mesmos. Talvez por isso exista a hipótese de que estes anos 20 sejam, novamente, tempos de mudança

A Economia a caminho dos loucos anos 20?

Dezembro 20, 2020

Em debate nos EUA sobre a política económica de Joe Biden, perguntou-se: o que fazer em relação à política orçamental, num contexto de baixas taxas de juro e elevado rácio da dívida em relação ao PIB? A resposta terá causado surpresa. Por Vicente Ferreira em Ladrões de Bicicletas

Máscara e notas. Foto de Jernej Furman/Flickr.

Há solução para a crise de dívida global que aí vem?

Novembro 29, 2020

Em breve irá explodir uma crise do sobre-endividamento dos Estados, ampliada pela pandemia. Cresce, até entre os conservadores, o debate sobre o perdão das dívidas, a fim de evitar um colapso económico. Por Michael Roberts.

A extensão total das matas está a diminuir a um ritmo de 10 milhões de hectares por ano. A causa-efeito entre a destruição dos ecossistemas e a propagação de novas doenças é evidente

O Capitaloceno e as pandemias

Novembro 29, 2020

“As crises sanitária, climática e ecológica estão intimamente relacionadas e se explicam em boa medida por um sistema capitalista que gira em torno do crescimento económico constante, em um planeta com recursos finitos”, artigo de Antón Fernández Piñero, biólogo.

Iniciativa SURE: salvar empregos ou agradar aos investidores?

Novembro 22, 2020

O SURE é apresentado como um programa social que permite aos trabalhadores manterem os seus empregos apesar da crise da covid-19. Mas são novamente os governos nacionais que têm de acudir quando as perspetivas de lucro do setor privado são ameaçadas. Artigo de Herman Michiel e Klaus Dräger.

Ilustração publicada na página do A L`Encontre.

A originalidade absoluta da crise sanitária e económica mundial

Novembro 21, 2020

A crise atual não é comparável com a dos anos trinta porque um choque exógeno ao processo de acumulação de capital e às suas contradições causou o Grande Confinamento, que se aplicou a todo o mundo com efeitos imediatos e simultâneos. Por François Chesnais.

Covid-19 deve deixar grandes cicatrizes económicas: previsões em % do PIB, por grupo de países

Covid-19: até onde vai a redescoberta do papel do Estado?

Outubro 23, 2020

A pandemia trouxe um aparente consenso sobre o problema do subfinanciamento dos serviços públicos essenciais na resposta à crise, consequência da estratégia de austeridade. Mas a palavra é para manter? Postado por Vicente Ferreira em Ladrões de Bicicletas

Vítor Gaspar

FMI prevê recuperação mais rápida e defende o investimento público

Outubro 14, 2020

O relatório elaborado pelo Departamento de Assuntos Orçamentais, liderado por Vítor Gaspar, contraria as orientações do FMI na resposta à última crise, quando servia a receita da austeridade aos países em dificuldades.

“Thomas Piketty, Une critique illusoire du capital”, livro escrito por dois economistas marxistas, Alain Bihr e Michel Husson, que será publicado por edições Syllepse, Paris e Page 2, Lausanne – Foto de alencontre.org

Dois economistas criticam as teses de Thomas Piketty

Setembro 24, 2020

Alain Bihr e Michel Husson denunciam o método desenvolvido por Thomas Piketty: uma recusa a refletir sobre o modo de produção capitalista. Por Romaric Godin

cachimbo

“France Relance”: isto não é um plano

Setembro 10, 2020

Partindo de uma fé cega nas "leis do mercado", o plano de recuperação económica anunciado por Macron e agora comandado por François Bayrou não mediu nem a dimensão nem as especificidades da crise que a França está a atravessar. Por Michel Husson.

cartaz com mensagem "Fique em casa"

Os paradoxos da sociedade do medo

Setembro 6, 2020

O que há então de novo ou diferente no Covid19? Será só o perigo, que já não é pouco, de passarmos do estado de necessidade para o estado de exceção permanente? Mais do que isso. O novo é a sociedade do medo. Essa é a linguagem dos nossos dias, que discuto neste ensaio. Por Francisco Louçã.

Ignacio Ramonet em 2014 em entrevista ao MICSur. Foto de Fotos: Romina Santarelli / Ministerio de Cultura de la Nación Argentina/Flickr.

“A pandemia económica será de uma brutalidade desconhecida”, diz Ignacio Ramonet

Agosto 15, 2020

Em entrevista ao Cuarto Poder, o histórico diretor do Le Monde Diplomatique fala sobre o que muda e se mantém com a pandemia, sobre o impacto económico da crise e a sua geopolítica e sobre vigilância digital.

Trabalhadores afetos ao IG METALL em greve em 2015. Foto de DIE LINKE Nordrhein-Westfalen/Flickr.

Quatro dias de trabalho semanal, a resposta do maior sindicato alemão à crise

Agosto 15, 2020

O IG Metall propôs este sábado o início de negociações para a redução do trabalho semanal de forma a que a crise económica não implique um aumento do desemprego.

Nova Guerra Fria EUA-China - imagem de A l'Encontre

A concorrência intercapitalista por trás da rivalidade entre Estados Unidos e China

Agosto 9, 2020

Fala-se muito de uma "nova guerra fria" entre a China e os Estados Unidos: uma guerra fria entre o autoritarismo e a democracia liberal. Mas a rivalidade crescente a que estamos a assistir não assenta em diferenças ideológicas, mas na concorrência intercapitalista. Por Ho-fung Hung

Plenária dos movimentos sociais do Forum Social Mundial, em 2016, em Porto Alegre. Foto: Guilherme Santos/Sul21

Segundo Manifesto de Porto Alegre pelo Fórum Social Mundial

Agosto 6, 2020

Intelectuais do Brasil e da Europa lançam mensagem ao Fórum Social Mundial, “para que constitua um elemento mais de incentivo e reflexão” e questionam se “é apenas um espaço aberto ou poderia (deveria) ser, também, um espaço de ação?”

Trump, Johnson e Bolsonaro. Montagem publicada em https://sociologiaenlaunjfsc.wordpress.com/.

O “trio da calamidade”: Trump, Johnson e Bolsonaro

Agosto 6, 2020

Habituados à política enquanto guerra, estes líderes viram-se incapazes de enfrentar a covid-19, um adversário que não respondia à política da divisão e ressentimento. Por Alfredo Saad-Filho.

 Créditos da foto: (Reprodução/wsimag.com)

O espectro dos três grandes

Agosto 2, 2020

Vanguard, BlackRock e State Street Global Advisor, são os três maiores fundos mútuos do mundo. Em conjunto, são os maiores acionistas em 88% das 500 empresas melhor situadas no índice S&P, da bolsa de Nova York. Por Glauco Benigni.

Mark Rutte, primeiro-ministro da Holanda, defensor acérrimo da economia parasitária financiarizada e membro do Alde Party, o partido europeu de direita de que faz parte a Iniciativa Liberal de Portugal – Foto extraída de aldeparty.eu/flickr

O que esconde a posição da Holanda contra o sul da Europa

Agosto 2, 2020

Quando o governo holandês pede reformas no sistema espanhol de pensões está a fazer um discurso dirigido aos seus eleitores. Reclama que reformemos o nosso sistema de pensões para ocultar que é o sistema holandês que está em profunda crise. Por Juan Torres López.

Crise económica na sequência da pandemia. Ilustração de Pixabay.

Queda recorde do PIB na União Europeia

Julho 31, 2020

A média da descida do PIB na União Europeia foi de 14,4%. Espanha foi o país que sofreu consequências negativas mais fortes da crise provocada pela pandemia. Portugal ocupa o quarto lugar nesta lista com 16,5%.

Trabalhadores na construção de uma ferrovia. Foto de China Labour Bulletin.

China: protestos laborais aumentam em junho com proliferação de salários em atraso

Julho 30, 2020

O mês passado foi aquele em que se registou um maior número de protestos este ano na China. Os salários em atraso, alguns há muito tempo outros causados pela pandemia, são o principal problema. Artigo publicado no China Labour Bulletin.