You are here

Adelino Fortunato

Economista e professor universitário. Dirigente do Bloco de Esquerda.

Artigos do Autor(a)

2020/07/26 - 12:01pm

O governo criou, à semelhança de outros países europeus, medidas de emergência para atenuar os efeitos da crise, como o layoff simplificado. Quando estas medidas excecionais caducarem o desemprego vai crescer.

2020/04/03 - 10:32am

Ninguém esperava que a crise se acelerasse por via de uma pandemia com efeitos na atividade económica. O encerramento de empresas, o colapso da procura e a restrição de atividades vão desencadear uma contração drástica.

2020/02/28 - 10:09pm

O impacto da revolução tecnológica baseada na robotização e na supressão de trabalho humano tornou-se argumento para justificar o RBI (rendimento básico incondicional).

2019/09/12 - 3:12pm

A crise institucional está a dar lugar, nalguns países, a regimes bonapartistas que, no passado, foram a antecâmara dos fascistas, e que hoje podem abrir a porta a outras formas de autoritarismo.

2018/12/14 - 10:28pm

O combate à extrema-direita só pode fazer-se anulando as condições que a tornaram atraente. Toda a esquerda deverá ser desafiada para este programa de emergência.

2018/08/29 - 11:38am

Qual a melhor forma de explorar as contradições de um PS que, apesar de se manter confortável nas sondagens, tem no horizonte sinais de crise? Eis a grande motivação da direita.

2018/07/25 - 12:25pm

Aqui radicam as verdadeiras divergências no PS: retomar o caminho das reformas ao “centro” em colaboração com a direita, ou manter alguma distância desse caminho em diálogo com a esquerda?

2018/04/26 - 11:24pm

Dois anos e meio de “geringonça” e na reta de lançamento para o ciclo eleitoral de 2019, os equilíbrios constituídos dão mostras de alguma erosão e deixam margem para uma certa imprevisibilidade.

2017/10/27 - 9:58pm

A greve da Autoeuropa e o debate que se lhe seguiu levantaram várias questões importantes. Uma delas relaciona-se com o papel das Comissões de Trabalhadores (CTs).

2017/05/28 - 9:09pm

Eis uma pergunta a que é difícil responder depois de ano e meio de governação do PS com apoio de partidos à sua esquerda. E não é por acaso.

Pages