You are here

Fernando Rosas

Historiador. Professor emérito da Universidade Nova de Lisboa. Fundador do Bloco de Esquerda

Artigos do Autor(a)

2022/03/20 - 8:49pm

Parece hoje indiscutível que um racismo entranhado, isto é, cultural, comportamental, ou seja, estrutural, ainda que encoberto, disfarçado, não assumido, permeia as relações sociais praticamente a todos os níveis da sociedade portuguesa. Por Fernando Rosas.

2022/02/03 - 3:25pm

Em Novembro, Boaventura Sousa Santos reconhecia, no jornal espanhol Público, que “os socialistas tão pouco quiseram negociar com o Bloco”, que “quando estão sós têm tendência a ir para a direita”, e que desejava que não tivessem maioria absoluta, porque, como dizia o Bloco, “o PS vira muito”. Pelos vistos não é só o PS.

2022/01/27 - 9:13am

Por que razão, nestas eleições legislativas, é importante o 3º lugar na ordem das votações? A resposta é simples: porque é isso que determinará que se consiga barrar eficazmente o caminho do partido da extrema-direita xenófoba, racista e anti-democrática que é o Chega.

2021/11/05 - 2:19pm

Segundo os oráculos nem é preciso votar. A coisa já está decidida e a sentença antecipada: a esquerda consumir-se-à no fogo dos infernos e o regresso ao bloco central ou à direita, desenha-se certo nos despojos sacrificiais da razão.

2021/06/21 - 2:46pm

Na sequência da polémica suscitada em torno da intervenção de Nuno Palma na reunião do Movimento Europa Liberdade (MEL), o historiador Fernando Rosas rebate as teses do professor da Universidade de Manchester na área da História Económica.

2021/03/20 - 12:23pm

Três caminhos que marcaram, tanto no plano interno como no plano internacional, o que seria o perfil político e ideológico do PCP no pós Segunda Guerra Mundial, durante a clandestinidade, mas seguramente além dela. Por Fernando Rosas.

2021/02/16 - 10:06am

Quando, à angustiante pergunta “onde encontramos cabeças que nos orientem?”, responde com o Chega feito partido guia, Fátima Bonifácio está a confirmar o seu próprio diagnóstico sobre “o afundamento da criatividade intelectual e imaginação política” na Europa. E na “direita clássica” portuguesa.

2020/12/17 - 10:37pm

Na noite de 17 para 18 de dezembro de 1961, a União Indiana ataca por terra, ar e mar os territórios de Goa, Damão e Diu. Era o princípio do fim do último “império” colonial europeu. Por Fernando Rosas.

2020/11/01 - 9:35pm

Não vejo maior “frivolidade” do que considerar que um OE é uma forma de conteúdo insignificante em termos de decisão política.

2020/06/12 - 11:36am

Vai por aí alguma barulheira por causa das manifestações antiracistas que desceram à rua no passado Sábado em várias cidades do país.

Pages