You are here

PREVPAP: Precários do Centro Hospitalar do Oeste já não estão excluídos

Ao fim de meses de luta, a nova lista de trabalhadores a regularizar inclui os que tinham sido excluídos por falta de habilitações.
Hospital nas Caldas da Rainha. Foto Ministério da Saúde.

O júri do concurso do processo de regularização dos precários do Estado no Centro Hospitalar do Oeste (CHO) tinha excluído muitos destes trabalhadores, alguns dos quais com muitos anos de trabalho nos hospitais de Torres Vedras, Caldas da Rainha e Peniche, por falta de qualificações académicas para ingressarem nos quadros.

A decisão foi denunciada pelo núcleo de Precários do CHO junto do governo e dos partidos como sendo “um boicote à regularização de muitos precários do Estado”. Questionado na Assembleia da República pelo deputado bloquista José Soeiro, o então ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, afirmou que essa situação representava um “erro processual”, pelo que seria corrigida.

A correção saiu agora na forma da lista de trabalhadores a regularizar, que integra 145 pessoas. Ao todo, o PREVPAP permitiu regularizar os vínculos precários de 240 trabalhadores naquele centro hospitalar.

“Hoje confirmamos que tínhamos razão, deu-se mais um passo para que se venha a fazer justiça, pois estamos todos mais perto de ser integrados nos quadros”, afirmou Carla Jorge, dos Precários do CHO. A ativista diz que esta vitória dos trabalhadores prova que “vale a pena lutar” e promete que “não baixaremos os braços até que tal aconteça”.

“Não lutamos apenas pelos nossos direitos no trabalho, mas também pela qualidade dos serviços prestados aos utentes, pela defesa do Serviço Nacional de Saúde”, acrescentou Carla Jorge na nota enviada à imprensa.

Termos relacionados PREVPAP, Sociedade
(...)