Está aqui

Programa de 29 de abril

O segundo dia da mostra terá em exibição Para um futuro livre de Petróleo (18h), Cathy Come Home (18h30), A Síndrome de Veneza (19h), Cerca de tu casa (21h30), Encardido (22h), uma Sessão de curtas pelas 23h seguido de Rat Film (23h30). 

18H - SALA BATALHA

PARA UM FUTURO LIVRE DE PETRÓLEO do coletivo Inhabitans
Sessão curtas e debate
Inhabitants é um canal de vídeo online, iniciado em 2015, que exibe reportagens documentais em formatos experimentais, gerido pelos artistas/ativistas Mariana Silva e Pedro Neves Marques.

18H30 – SALA BÉBÉ

CATHY COME HOME de Ken Loach
Reino Unido, 1966, 75’, ficção
É contada a história de um casal que vive tranquilo até que uma situação de desemprego muda tudo. Filme-marco na história da televisão inglesa, provocou uma ampla discussão política pública na sequência da sua primeira emissão assistida por cerca de 12 milhões de espectadores. 

 

19H – SALA BATALHA

A SÍNDROME DE VENEZA de Andreas Pichler
Áustria/Itália, 2012, 80’, documentário
A história da cidade mais bonita do mundo que se torna numa cidade fantasma quando cai a noite. Um Requiem para uma, ainda, grande cidade. Uma Elegia aos últimos venezianos.

21H30 – SALA BATALHA

CERCA DE TU CASA de Eduard Cortés [ESTREIA]
Espanha, 2016, 93’, ficção
A realidade ultrapassa a ficção. Milhares de famílias foram despejadas das suas casas, o número de desempregados bate recordes e uma onda de desespero invade Espanha.
Este filme é uma ficção, é um musical que quebra barreiras. Silvia Pérez Cruz, a protagonista, canta em direto as músicas que compôs e pelas quais recebeu o Prémio Goya.

22H00 – SALA BÉBÉ

ENCARDIDO de Leonor Figueiredo [work in progress]
Portugal, 2017, 20’, documentário
Recoleção e armazenamento de lixo, a câmara nas mãos, imagens que não querem ser mais do que a cidade e a vida como elas são. 

23H00 – SALA BÉBÉ

Sessão de curtas (103’)

À PROPOS DE NICE de Jean Vigo França, 1930, 25’, documentário

A CASA OU A MÁQUINA DE HABITAR de Catarina Romano Portugal, 2016, 13’, Animação

FRENTE E TRASEIRAS de Regina Guimarães Portugal, 2002, 14’, documentário

CASINHA/KUBICO de Paulo Moreira Portugal, 2011, 17’, documentário

EU FICO de Jorge Sequera e Michael Janoschka Reino Unido/Brasil, 2014, 12’, documentário

RIGHT TO WYNWOOD de Camila Alvarez e Natalie Edgar EUA, 2013, 22’, documentário

23H30 - SALA BATALHA

RAT FILM de Theo Anthony
EUA, 2016, 82', documentário
“Rat Film” contém considerações existenciais mas também pesquisa solidamente documentada sobre a política demográfica de Baltimore, revelando a vergonhosa história de segregação económica e racial da cidade. 

 

(...)

Resto dossier

Desobedoc 2017 - Mostra de Cinema Insubmisso - 28 de abril a 1 de maio, no Porto

Pelo segundo ano no Cinema Batalha, o Desobedoc 2017 apresentará quarenta filmes, dos quais treze portugueses, que abordarão quatro temas: Direito à Cidade; tributo a Ken Loach; 100 anos da Revolução Russa; Trabalho e precariedade.

Programa de 29 de abril

O segundo dia da mostra terá em exibição Para um futuro livre de Petróleo (18h), Cathy Come Home (18h30), A Síndrome de Veneza (19h), Cerca de tu casa (21h30), Encardido (22h), uma Sessão de curtas pelas 23h seguido de Rat Film (23h30). 

Programa de 28 de abril

A mostra insubmissa tem início com um debate dedicado ao Cinema Batalha e visionamento de Douro Faina Fluvial, pelas 18h na Sala Batalha. Seguem-se a exibição de Ada for Mayor (22h), Nada a Temer (23h30) e Versus - A vida e os filmes de Ken Loach (24h). 

Tudo o que precisas de saber para ir ao Desobedoc 2017

O Desobedoc  - Mostra de Cinema Insubmisso decorre de 28 de abril a 1 de maio de 2017 na cidade do Porto no Cinema Batalha. A entrada é gratuita e os debates são abertos ao público.

Cinema Batalha, história e imagens

Neste artigo exploramos a história do Cinema Batalha desde os dias em que era um Salão High-Life até aos dias de hoje, com imagens históricas que vale a pena conhecer. 

A Invicta Filme

Jorge Campos contextualiza as origens da Invicta Filme, do trabalho que desenvolveu para criação de públicos para o cinema português até ao seu fecho em 1931. 

Paz dos Reis, o primeiro cineasta português

Homem de múltiplos interesses, Paz dos Reis, a par da sua actividade comercial num estabelecimento chamado Flora Portuense situado na Praça de D. Pedro, mais tarde designada Praça da Liberdade, foi um excelente fotógrafo premiado, por diversas vezes, em Portugal e no estrangeiro. Artigo de Jorge Campos. 

História do Cinema no Porto (1896-1974)

Introdução a um ciclo de artigos de Jorge Campos sobre a história do Cinema no Porto, entre 1896 e 1974.

O ciclo do Porto

Jorge Campos apresenta neste texto o panorama da indústria cinematográfica no Porto no início do século XX. 

O movimento Cineclubista

O movimento cineclubista ganhou peso a partir do final dos anos 50 e viria a estar ligado à luta política de resistência à ditadura.

Douro Faina Fluvial e as revistas de cinema

“Esta ante-estreia foi um escândalo. Perante a surpresa dos congressistas estrangeiros, os espectadores portugueses, na sua maioria, vaiaram ruidosamente o filme." 

Texto de Maria Manuel Rola

Cinema Batalha, via restosdecoleccao.blogspot.pt

A cidade ganhou o Batalha!

Mais um Desobedoc. Outra programação mas a mesma insubmissão no combate às forças do mercado que tudo precarizam: o emprego, o salário, a reforma, a habitação, os serviços públicos, o ambiente, as cidades, os direitos.  Texto de João Semedo