Está aqui

Carolina Gomes

Ativista na Plataforma Já Marchavas, pertence à equipa editorial do Interior do Avesso. Membro da Mesa Nacional do Bloco de Esquerda, da comissão distrital e da concelhia de Viseu. Licenciada em Antropologia.

Artigos do Autor(a)

12 de Maio, 2022 - 16:29h

Quando uma proposta da Administração Central do Sistema de Saúde fala em incluir como critérios de avaliação de equipas de saúde familiar as IVG realizadas pelas utentes e a existência de DST nas mulheres - estamos perante uma forma de biopoder. Um biopoder patriarcal.

12 de Março, 2022 - 22:33h

Cada dia adiado é um dia de cumplicidade com a intensificação das assimetrias regionais e com a litoralização cada vez mais evidente do nosso país.

9 de Fevereiro, 2022 - 22:35h

Já passaram mais de 10 anos desde a introdução de portagens na A24 e na A25 pelo governo do PSD/CDS, com o apoio do PS. Por justiça e coesão territorial, continuamos a bater-nos pelo fim das portagens na A24 e na A25.

4 de Janeiro, 2022 - 11:00h

E este é um excelente voto para 2022: para garantir direitos fundamentais e uma sociedade mais justa e coesa, vamos quebrar os limites do que é considerado possível?

23 de Dezembro, 2021 - 21:43h

A história do IP3 é trágica e é neste registo que continua a ser escrita.

24 de Agosto, 2021 - 11:01h

Tempos houve em que conseguia desfrutar de um dia de praia. Já dizia Fernando Pessoa que “Cansa sentir quando se pensa”, e analisar uma experiência de praia atualmente causa inevitavelmente inquietação.

11 de Agosto, 2021 - 11:15h

Falsas descentralizações não interessam, são areia atirada para os olhos, quando muitas vezes reforçam o centralismo instituído e fragilizam a democracia local.

22 de Junho, 2021 - 22:19h

A água doce é base de muitas formas de vida, como a humana, no planeta Terra; a sua escassez e uso abusivo e inadequado, constituem uma ameaça crescente ao desenvolvimento, à proteção do ambiente e à própria humanidade.

25 de Abril, 2021 - 11:03h

Beatriz Pinheiro foi uma pioneira do movimento moderno de emancipação feminina em Portugal. Nascida em 1871, defendia causas como o direito das mulheres ao trabalho remunerado, ao salário justo, à educação e ao ensino.

22 de Fevereiro, 2021 - 11:04h

É necessário, em ano de eleições autárquicas, questionar, repensar e propor novas formas de governação das autarquias locais, que numa excessiva quantidade de casos devem ser alteradas no sentido de uma maior democratização e transparência.

Páginas