Carlos Carujo

Carlos Carujo

Professor.

Foi figura destacada do Maio de 68, foi preso pela sua atividade política, teve o quarto destruído por uma bomba da extrema-direita, foi candidato presidencial, eurodeputado, dirigente partidário que nunca virou a cara ao combate e que esteve em todas as lutas. Foi, numa palavra, um revolucionário. E vale a pena conhecê-lo.

Um novo relatório mostra a dimensão da infiltração num pequeno partido de esquerda, o SWP. Mas o caso envolve mais de mil organizações. Roubo de identidades de crianças mortas, manipulação de relações íntimas durante anos, tudo valeu para a espionagem político-policial. Por Carlos Carujo.

Após ter ficado a 1,2% da segunda volta das presidenciais, Mélenchon transformou a derrota numa dinâmica de unidade à esquerda. E agora é mesmo ele quem desafia o presidente eleito nas legislativas que se avizinham. Mas a unidade não é um slogan e os seus caminhos são complexos. Artigo de Carlos Carujo.

O povo parisiense levantou-se para resistir a um golpe e acabou a auto-governar-se. O que se passou nesses 72 dias antes do movimento ser esmagado de forma sangrenta ainda hoje inspira os movimentos emancipatórios em todo o mundo. O Esquerda.net publica este fim-de-semana um dossier sobre este tema.

Antonio Gramsci foi um símbolo de resistência ao fascismo, mas também de capacidade de renovação de um marxismo que não desiste de ser crítico. Por Carlos Carujo.

Corte de 37 mil milhões de euros nos gastos de saúde nos últimos dez anos, redução de 50% de camas de hospital, menos 46 mil trabalhadores nos hospitais. Foi este o estado de saúde do setor da saúde que o coronavírus encontrou quando desembarcou tragicamente em Itália.

Daniela Carrasco era uma artista de rua chilena que apareceu morta depois de, alegadamente, ter sido levada pela polícia. Aparentemente não podia ser mais diferente de Joker, personagem ficcional reinventado por Todd Philipps. Partilham o facto de se terem tornado em símbolos improváveis na nova onda de revolta mundial.

A exposição Banksy: Génio ou Vândalo está na Cordoaria Nacional até 27 de outubro. O evento não é reconhecido pelo autor que se opõe à comercialização da sua obra. E o estatuto do artista gera uma disputa simbólica entre a omnipotência da normalização mercantil e a possibilidade de subversão.

Gramsci 44, um docudrama realizado em 2017 por Emiliano Barbucci, está agora disponível online gratuitamente. Aborda o período de detenção do dirigente do PCI em Ustica e a criação pelos detidos de uma escola.

O mais recente filme de Alfonso Cuarón mostra-nos o México do início dos anos 70. Um México em que nostalgia da infância se mistura com a violência política. E recorda-nos o massacre do Corpus Christi perpretado por milícias financiadas e treinadas pelo governo e pelos serviços secretos norte-americanos.