Está aqui

Aprovado Relatório de Marisa Matias sobre investigação e inovação

Relatório de Marisa Matias sobre o Instituto Europeu da Inovação e Tecnologia foi aprovado esta terça-feira pela Comissão de Indústria, Investigação e Energia do Parlamento Europeu. Trata-se da última peça do programa "Horizonte Europa".
Marisa Matias
Marisa Matias no dia da aprovação do relatório sobre o EIT.

Foram sete meses de trabalho até à aprovação deste relatório, que é a última peça do Horizonte Europa - o programa quadro europeu de financiamento da investigação, como explica a deputada europeia do Bloco de Esquerda nas suas redes sociais. "Hoje, mais do que nunca, precisamos de valorizar o investimento em ciência e inovação e apoiar as instituições que trabalham nestas áreas. O EIT é um desses instrumentos que nos ajudam a fazer caminho.” - afirmou.

O Instituto Europeu da Inovação e Tecnologia (EIT) foi a primeira instituição europeia a articular as três dimensões do conhecimento: educação, investigação e inovação. No mandato anterior, Marisa Matias foi responsável pela definição da Agenda Estratégica do instituto, que recebeu então um reforço de financiamento que permitiu que muitos países, como Portugal, pudessem começar a aceder aos fundos disponíveis.

No relatório agora aprovado reforçam-se os fundos e a possibilidade de todos os países poderem recorrer ao financiamento europeu para poderem desenvolver projectos em áreas tão fundamentais como o combate às alterações climáticas, a energia ou a saúde. O objetivo é garantir uma maior abrangência geográfica e reduzir as disparidades regionais ao nível da União Europeia, em termos de inovação e de financiamento da investigação. Nomeadamente, através da alocação de 15% do orçamento do EIT para o Mecanismo de Inovação Regional (RIS), o que corresponde a um aumento do financiamento para os países da coesão. 

Outro ponto muito importante do relatório é o alargamento do financiamento a novas áreas como o setor hídrico, marinho e marítimos e o setor cultural e criativo, essenciais para o desenvolvimento comum, e tão importantes também para Portugal.

O relatório apertou também as metas de resposta climática e teve em conta a atual crise da covid-19, introduzindo a adaptação do financiamento a situações de crise pandémica, nomeadamente, através da implementação de um programa de crise para dois anos que visa apoiar start-ups, PMEs e estudantes.

O relatório hoje aprovado pela comissão parlamentar ITRE, segue para plenário.

Termos relacionados Política
(...)