Altri: a sede insustentável na Galiza

28 de maio 2024
PARTILHAR

A empresa portuguesa quer instalar uma mega-celulose numa zona verde e cheia de projetos sustentáveis que agora se sentem ameaçados. Mas os habitantes locais estão a organizar-se para contestar. Por O Salto Galiza.

A Xunta da Galiza, a Altri e a Greenalia pretendem instalar uma fábrica de celulose e lyocell na Galiza. O que foi apresentado como um projeto “sustentável” e “respeitoso do meio ambiente” acabou por ser sendo a enésima tentativa de lucro do capitalismo selvagem com os recursos da Galiza. Em sua defesa, o habitantes de Ulloa organizaram-se para proteger os seus rios, o seu ar e os seus empregos desta tentativa espoliação.

Este vídeo percorre o ciclo da água projetado pela promotora do projeto; desde o ponto de recolha de até 46 milhões de litros diários en Brocos, até O Sexo, onde parte da água será devolvida, tratada e mais quente. Pelo caminho, 20 quilómetros de tubagens, centenas de quintas expropriadas, e uma megafábrica em Palas de Rei, junto ao Caminho de Santiago, que emitirá oxido de enxofre e óxido de nitrogénio para a atmosfera.

Peritos e habitantes expõem de que forma isto vai afetar o seu dia a dia e os seus empregos, numa zona plena de projetos sustentáveis que agora estão ameaçados.

Um vídeo de a Xarda e O Salto Galiza, realizado por Elena Martín e Pablo Santiago e que contou com o apoio e a colaboração de várias associações e plataformas em defesa do território.

Por O Salto Galiza.

Termos relacionados: Sugestões Galiza