Vila Nova de Gaia

Não interessa aos portuenses e aos gaienses que a exploração especulativa e gananciosa dos seus territórios se prolonguem para as águas do rio que é de todos. Por Luis Vale, Soares da Luz e Lurdes Gomes.

A Policia Judiciária fez esta terça-feira buscas às Câmaras de Gaia e Porto. Estão em causa processos de urbanismo relativos a "interesses imobiliários na ordem dos 300 milhões de euros".