Músicos no STOP

Os proprietários das lojas contestaram em tribunal a ordem de encerramento do edifício que acolhe estúdios de ensaio para mais de 500 músicos. Artistas voltaram a manifestar-se junto à Câmara do Porto e serão ouvidos no Parlamento na terça-feira.

 

Autarca deu dez dias aos músicos para abandonarem o edifício que acolhe dezenas de estúdios para ensaios. Mas o relatório da proteção civil que Moreira invoca não determina o encerramento do espaço.

Partido requereu audição da Proteção Civil, presidente da Câmara do Porto, ministro da Cultura, Comunidade de Músicos do Centro Comercial STOP e da administração de condomínio. Bloco considera encerramento uma “decisão política totalmente injustificada no tempo e no modo”.

Músicos concentrados esta segunda-feira em frente a Câmara Municipal do Porto querem ver garantida a reabertura das salas em horários compatíveis com a sua atividade. Autarquia aprovou por unanimidade proposta do Bloco para manutenção do STOP como "pólo cultural".