Está aqui

Joana Mortágua

Deputada e dirigente do Bloco de Esquerda, licenciada em relações internacionais.

Artigos do Autor(a)

28 de Novembro, 2020 - 17:12h

Tudo isto era conhecido e tudo isto foi desprezado na defesa clubística da decisão Portela+Montijo que não hesitou em confundir o interesse nacional com o interesse de uma empresa privada estrangeira.

21 de Novembro, 2020 - 22:29h

Na cabeça de João Miguel Tavares o desemprego, a pobreza e a miséria provocadas pela austeridade foram apenas uma desculpa da esquerda para caricaturar Pedro Passos Coelho e a Europa foi frouxa por não o aguentar nem que fosse à bruta. Foram vencidos.

14 de Novembro, 2020 - 18:46h

Veja-se a facilidade com que vários deputados laranjas comparam o Bloco de Esquerda e o PCP ao Chega com o único propósito de se convencerem a si próprios da absolvição da sua capitulação, mesmo sabendo que estão de arrasto a absolver forças odiosas.

7 de Novembro, 2020 - 11:16h

O problema da política “do pau e da cenoura” é que, responsabilizando-nos a todos individualmente, pode acabar por atribuir culpas a quem não as tem se o Natal acabar por não correr como o esperado.

30 de Outubro, 2020 - 10:48h

Como ficou claro durante o debate, o Governo “não cai nem se levanta” porque a crise não é política e o que está em causa no Orçamento do Estado para 2021 vai à raiz desta crise, é saber se o SNS responde à pandemia e se o país resiste ao cataclismo económico e social.

24 de Outubro, 2020 - 12:06h

Há alunos que não têm professor a determinadas disciplinas logo no início do ano nem vão ter até ao final. Esses alunos serão cada vez mais, sobretudo na região de Lisboa, Alentejo e Algarve.

16 de Outubro, 2020 - 10:38h

Falemos sobre uma crise em que não há desculpas nem responsabilidades inventadas, ninguém pode apontar o dedo aos preguiçosos do sul, às mulheres ou ao vinho, ninguém acredita que o vírus é um castigo divino e merecido porque vivemos acima das nossas possibilidades.

10 de Outubro, 2020 - 22:23h

O custo social do desemprego paga-se caro, um preço que todas as democracias vão lamentar se continuarem a calcar as costas dos trabalhadores como se fossem os degraus da recuperação económica.

3 de Outubro, 2020 - 13:04h

É duvidoso que algum eleitor indeciso tenha ficado esclarecido ou sido arrebatado por algum dos candidatos e, no entanto, parece que ficou tudo dito. Porque entre tanto ruído o mais perigoso é o que Trump quis que fosse audível, e nisso ele não se engana...

24 de Setembro, 2020 - 22:00h

Ruth Ginsburg não podia morrer porque chegou àquele patamar em que as pessoas se tornam insubstituíveis. Mas sobretudo não podia morrer agora porque essa era a notícia que Trump esperava.

Páginas