Está aqui

Helena Pinto

Dirigente do Bloco de Esquerda. Vereadora da Câmara de Torres Novas. Animadora social.

Artigos do Autor(a)

13 de Junho, 2016 - 22:44h

Se o horário de trabalho é de 35 horas semanais no setor público há que o alargar ao setor privado e não o contrário.

3 de Junho, 2016 - 21:17h

O caso da violação coletiva de uma jovem no Brasil colocou, novamente, na ordem do dia o debate sobre a violação das mulheres – um crime terrível e que continua, por diversas razões, envolto em silêncios e muita tolerância.

28 de Maio, 2016 - 12:26h

A questão, que é complexa sem dúvida, é muito simples neste momento: Em caso de dúvida vota-se pela saúde ou pelo herbicida?

17 de Maio, 2016 - 00:03h

Estão criadas as condições para que se encontre o caminho para um novo mapa das freguesias, respeitando a vontade de quem lá vive e a tempo das próximas eleições autárquicas.

3 de Maio, 2016 - 01:07h

Decorreram nas últimas semanas as reuniões de Câmaras Municipais e Assembleias Municipais para discussão e aprovação dos Relatórios de Gestão do ano passado. O Relatório de Gestão é o espelho da atividade da Câmara no ano a que se reporta.

22 de Abril, 2016 - 23:29h

Assistimos, mesmo com um oceano a separar-nos, a um golpe em direto. Sim, foi na América do Sul, mas não foi um golpe tradicional, com tropas na rua, como ocorreram tantos. Foi um golpe em pleno Congresso do Brasil.

16 de Abril, 2016 - 18:42h

Sim, existe uma dimensão paralela ao nosso mundo, onde só alguns entram e onde não há Lei. Parece um filme de ficção, mas não é.

13 de Abril, 2016 - 12:46h

The Angolan regime condemned 17 young activists for thinking differently, for daring to read books and having meetings, for daring to say that they want something other than what is established by others. By Helena Pinto.

4 de Abril, 2016 - 10:01h

O regime angolano condenou os 17 jovens ativistas, porque ousam pensar diferente, porque ousam ler livros, ousam reunir-se, ousam dizer que querem outra coisa e não o que está estabelecido por alguns.

29 de Março, 2016 - 09:32h

Nunca o caminho da violência e do ódio foi solução. É isso que os dias que vivemos nos dizem. A solução não é fácil, não é única, mas só na democracia e no respeito pelos direitos humanos a poderemos encontrar.

Páginas