Está aqui

Helena Pinto

Dirigente do Bloco de Esquerda. Vereadora da Câmara de Torres Novas. Animadora social.

Artigos do Autor(a)

13 de Abril, 2016 - 12:46h

The Angolan regime condemned 17 young activists for thinking differently, for daring to read books and having meetings, for daring to say that they want something other than what is established by others. By Helena Pinto.

4 de Abril, 2016 - 10:01h

O regime angolano condenou os 17 jovens ativistas, porque ousam pensar diferente, porque ousam ler livros, ousam reunir-se, ousam dizer que querem outra coisa e não o que está estabelecido por alguns.

29 de Março, 2016 - 09:32h

Nunca o caminho da violência e do ódio foi solução. É isso que os dias que vivemos nos dizem. A solução não é fácil, não é única, mas só na democracia e no respeito pelos direitos humanos a poderemos encontrar.

14 de Março, 2016 - 15:44h

Although this is not a State Budget which meets all the needs of the country, it is a State Budget which breaks with past policies. By Helena Pinto.

6 de Março, 2016 - 13:51h

Voltando ao Orçamento de Estado para este ano, em discussão na especialidade, quero abordar um aspeto particular: o fim das isenções de IMI aos fundos imobiliários.

28 de Fevereiro, 2016 - 17:21h

Este Orçamento, não sendo o Orçamento que responde a todas as necessidades do país, é um Orçamento que corta com a política anterior.

20 de Fevereiro, 2016 - 22:55h

As notícias que nos chegam sobre o julgamento de Manuel Maria Carrilho, acusado de violência doméstica, são deveras preocupantes. Não quero falar dos contornos do caso. Mas a mim, como cidadã, compete-me ter opinião sobre a forma como a Juíza exerce a Justiça em nome do Povo.

14 de Janeiro, 2016 - 23:13h

Sim, apoio Marisa Matias porque é uma Mulher. Não apoiaria uma mulher apenas por ser mulher. Mas também apoio a Marisa porque é mulher e isso não é irrelevante.

7 de Dezembro, 2015 - 22:43h

Não está na altura de colocar na agenda autárquica a questão das alterações climáticas?

22 de Novembro, 2015 - 11:15h

Já passaram alguns dias sobre o ataque ao povo de Paris. Ainda é difícil encontrar as palavras que consigam descrever o que se passou. Vimos imagens, ouvimos testemunhos, sentimos o desespero, o sofrimento, a perda, o medo.

Páginas