Está aqui

Lançamento do livro "Call Centers - trabalho, domesticação, resistência"

"Call Centers - trabalho, domesticação, resistência"

Foi lançado esta terça-feira o livro de João Carlos Louçã (ed. Deriva) que aborda o setor dos call centers em Portugal e as suas formas de organização de trabalho no quadro da precariedade.

Este livro aborda o setor dos call centers em Portugal, as suas formas de organização de trabalho no quadro da precariedade como fenómeno generalizado e condicionante de vivências sociais e de direitos. A construção de consensos capazes de garantir normas e processos de funcionamento em que trabalhadores e trabalhadoras, progressivamente, adquirem estatuto de "colaboradores", tornando mais frágil o seu vínculo formal com as entidades empregadoras, é frequentemente questionada por atitudes de resistênca através das quais, de forma individual ou colectivamente, procuram melhores condições de trabalho e assegurar a continuidade dos seus empregos.

A hegemonia do discurso do mérito individual, da flexibilidade e da ausência do Estado nas formas de regulação entre trabalho e capital é uma afirmação ideológica do capitalismo à escala global, podendo ser verificada no exemplo dos call centers. Ela significa um movimento de regressão sobre a construção social que predominou no pós guerra nos países industrializados a propósito dos direitos dos trabalhadores e do trabalho enquanto forma de aceder a uma cidadania plena e a direitos humanos elementares. Mas esta construção ideológica não se faz sentir sem perturbações ou sem momentos em que o consenso suposto deixa de existir, quando trabalhadores e trabalhadoras agem nesse sentido. A débil presença dos sindicatos no setor tem necessariamente de ser enquadrada em novas formas de construção identitária e de pertença a comunidades em que a circulação da informação a uma escala ampla, é capaz de determinar a relação de forças e capacidade de resistência de quem trabalha num call center.