Está aqui

Esquerda europeia de luto pela morte de Miguel Portas

De toda a Europa chegaram mensagens de pesar pelo desaparecimento de Miguel Portas, transmitidas ao Bloco e ao grupo no Parlamento Europeu. O esquerda.net publica-as nesta notícia (última atualização 02.05.2012 às 18h47).

Rodi Kratsa, Vice-Presidente Parlamento Europeu

É com grande tristeza que me despeço de Miguel Portas, meu amigo e colega com quem, apesar de estarmos em grupos políticos diferentes, sempre mantive excelentes níveis de comunicação e de cooperação. As nossas missões no Líbano, no meio de grande turbulência política, ficarão para sempre gravados na minha memória.

Ele será sempre lembrado pelo seu trabalho e ideais.

Klaus Ernst, presidente do Die Linke
"Recebemos com grande pesar a notícia da morte do nosso camarada Miguel Portas. Em nome do Comité Executivo do Partido e dos membros do Die Linke e em meu nome pessoal, dirijo-vos as mais sentidas condolências. O nosso pensamento está com a sua família, amigos e camaradas.
Com o seu trabalho, Miguel Portas moldou por muito tempo a esquerda em Portugal e na Europa. Seja na sua luta enquanto jovem contra a ditadura, o seu comprometimento pela renovação da esquerda, o seu trabalhono Parlamento Europeu: ao seu jeito direto e aberto, combinado com um amplo conhecimento e o seu humor amigável, obteve reconhecimento e respeito. Finalmente teve de se render na sua última batalha. O Die Linke perde um bom amigo e camarada. Vamos sentir a falta do seu conselho e do seu trabalho no GUE/NGL bem como no Partido da Esquerda Europeia. Iremos sempre honrar a sua memória.
Queremos desejar-vos, camaradas, que tenham força para superar esta perda e assumirem as tarefas em curso para a esquerda portuguesa nestes tempos difíceis para Portugal e a Europa, no mesmo sentido do Miguel. O Die Linke está ao vosso lado."

Pierre Laurent, Presidente do Partido da Esquerda Europeia
"É com espanto que tomei conhecimento da morte de Miguel Portas. Na véspera do aniversário da Revolução dos Cravos, esta é uma notícia triste que abalou a todos nós, que lutaram com ele para uma outra Europa, para a liberdade do povo português.

Quero expressar as mais sinceras condolências do Partido de Esquerda Europeia aos familiares, amigos e companheiros de Miguel, e para todos os activistas do Bloco."

Hannes Swoboda, Presidente do grupo socialista (S&D) no Parlamento Europeu
"Estamos profundamente entristecidos pelo falecimento repentino do nosso companheiro Miguel Portas. Ele era um membro muito valioso e respeitado do Parlamento Europeu e fará muita falta. Em nome do Grupo S&D, gostaria de expressar nossas sinceras e sentidas condolências aos familiares e colegas."

Patrick  Le Hyaric, eurodeputado da Front de Gauche
"Recebi com dor e uma tristeza infinita a notícia da morte do Miguel.
Eu sabia que lutava contra esta terrível doença, mas eu vi-o também resistir com coragem, nunca reclamando, continuando a trazer ao Parlamento Europeu os nossos ideais de justiça e nossas aspirações para uma nova Europa.
O nosso grupo perdeu um camarada de grande qualidade humana e política.
Perdemos um amigo caloroso e generoso, e o seu partido perdeu um lutador.
Nestes momentos de dor, enviamos as nossas sinceras condolências à sua família, aos seus amigos e ao Bloco de Esquerda."

Àngels Tomás i Gonzalo e Francesc Matas Salla, em nome do Comité Executivo do Partido Obrero Revolucionario
Recebam em meu nome e em nome da minha organização, o Partido Operário Revolucionário, as nossas mais sinceras condolências pela morte do camarada Miguel Portas, pedindo que a transmitam à sua organização, o Bloco de Esquerda.
O Miguel foi daqueles que não passam indiferentes pela vida, sendo uma grande perda para todos os os que pertencem à esquerda transformadora.
Além disso, pessoalmente tenho que dizer que desde que nos conhecemos no âmbito do Partido da Esquerda Europeia, quando nos encontrávamos sempre tinha um momento para partilhar a sua avaliação sobre situação política no Estado espanhol, de que era um conhecedor, que ia sempre mais além de um comentário protocolar.
Recebam um grande abraço, solidário e transformador."

Lysiane Alezard, Rede REALPE
"Soube com grande tristeza da morte do camarada Miguel Portas, que nos deixou muito cedo, neste aniversário da Revolução dos Cravos. Como parte da rede REALPE, tivemos várias oportunidades para encontrar o Miguel, de apreciar o seu compromisso inabalável, a sua determinação em construir uma Europa de justiça social e paz. Ele era de todos os combates. Partilhamos a dor dos eleitos e ativistas do Bloco de Esquerda em Portugal."

Inger V. Johansen, da Aliança Verde e Vermelha (Dinamarca)
Camaradas, ficámos muito tristes ao saber que o Miguel já não está connosco. Ele era um bom camarada e sentiremos muito a sua falta. Endereçamos os nossos sentimentos e condolências aos camaradas do Bloco de Esquerda e à família e amigos do Miguel."

Nikolaos Chountis, eurodeputado do Syriza (Grécia)
"Apresento em nome de toda a equipa os nossos sentimentos. O Miguel continuará presente e a ser recordado de muitas maneiras…"

Izaskun Bilbao Barandica, eurodeputado do PNV (País Basco)
"Quero endereçar as minhas profundas condolências pelo desaparecimento do Miguel, extensíveis a toda a sua família."

Cayo Lara, coordenador federal da Izquierda Unida e Willy Meier, coordenador de política internacional e eurodeputado da IU
"Queremos transmitir-vos em nome da Izquierda Unida os nossos mais sentidos pêsames pela perda do nosso camarada e amigo Miguel Portas. Lamentamos a sua perda e queremos enviar a vocês, aos seus filhos e familiares próximos todo o nosso afecto nestes momentos tão duros. O Miguel foi um companheiro muito valioso no marco do Parlamento Europeu como no Partido da Esquerda Europeia. O seu trabalho e entrega foram e serão um exemplo para todos nós na luta contra as políticas neoliberais que estão a assolar toda a Europa e mais concretamente os trabalhadores e trabalhadoras de países como Portugal e Espanha."

Fabio Amato, Refundação Comunista (Itália)
"Quero exprimir a minha tristeza e desgosto pela morte do Miguel, um camarada e amigo. Peço-vos que transmitam esta mensagem à sua família e ao Francisco Louçã."

Sannaleena Lepola-Hönig, secretária-geral adjunta do GUE/NGL
"Apresento-vos as minhas condolências neste dia difícil. No Parlamento Europeu, tanto o comité de Economia como o de Orçamento guardaram um minuto de silêncio em memória do Miguel. O presidente da Comissão do Orçamento, Alain Lamassoure, fez um discurso muito sentido sobre o Miguel e a sua carreira. Depois, todos os coordenadores intervieram para lhe prestar homenagem. Todos o respeitavam muito e quiseram dirigir as suas condolências à sua família e aos seus companheiros".

Norberto Crivelli, dirigente do Partido Suíço do Trabalho
"A terrível notícia da morte do camarada Miguel Portas atingiu-nos com força- Peço-vos que transmitam aos camaradas do Bloco e à sua família as nossas sentidas condolências."

Céline Meneses, secretária internacional do Parti de Gauche (França)
"O Miguel era um amigo e um camarada. A notícia da sua morte afetou-nos terrivelmente, sobretudo a nós que tantas vezes estivemos lado a lado com ele e tanta coisa partilhámos juntos. Far-nos-à muita falta. O Parti de Gauche apresenta todas as suas condolências ao Bloco e às pessoas próximas do Miguel."

Isabel López Aulestia, Ezker Batua (País Basco)
"São notícias terríveis. Acompanhamos a dor de toda a esquerda europeia."

Fabienne Lentz, dirigente do déi Lénk (Luxemburgo)
È com enorme tristeza que soubemos da notícia. O Miguel sempre respondeu presente quando precisámos dele, ainda no mês passado veio ao Luxemburgo. Sentiremos a falta dele. O déi Lénk envia as suas sinceras condolências ao Bloco, à família do Miguel e a todos os que lhe eram próximos."

Toni Barbarà, dirigente da Esquerra Unida i Alternativa (Catalunha)
"Queremos transmitir as nossas sinceras condolências e solidariedade desde a EUiA na Catalunha e em nome de toda a direção e de todos/as camaradas."

Maite Mola, dirigente do PCE e vice-presidente do Partido da Esquerda Europeia, na mensagem que dirigiu aos membros do PEE
"Camaradas, é com uma profunda tristeza que vos tenho de comunicar a morte do nosso camarada Miguel. Para todos e todas as que o conheceram, a dor e a perda são imensas."

Yiannis Bournous, Synaspismos
"Adeus Miguel."

Waltraud Fritz, Partido Comunista da Áustria, membro do Secretariado do Partido da Esquerda Europeia
"Irei sempre lembrar como ele adorava as discussões e a sua paixão por nossa causa. Nesses momentos, no meio de uma discussão política, ele sorriu, os seus olhos estavam brilhando e em todos os debates sérios havia um elemento de diversão e ironia, o que torna mais fácil para os adversários de discordar, porque não ficavam maus sentimentos. Ele sempre quis que encarássemos a realidade e as escolhas políticas reais e não os nossos desejos mais otimistas. Ele queria que nos atrevêssemos a entrar em novos territórios e novos desafios.
Os meus pensamentos estão com a sua família e convosco, os seus mais próximos amigos e companheiros. Estão com Bloco e os nossos camaradas que vão sentir tanto a falta dele. Nós, no Partido de Esquerda Europeia, ficaremos definitivamente mais pobres sem ele, mas o seu legado político continuará connosco."

Attila Vajnai, Partido dos Trabalhadores da Hungria
"Não tenho palavras… Nunca o esqueceremos!"

Angelica Sapouna, AKOA (Grécia)
"A morte do nosso camarada e amigo Miguel Portas comoveu-nos profundamente. É uma grande perda para o povo português, o Bloco de Esquedra, o Partido da Esquerda Europeia e todos os camaradas e lutadores pela Democracia e a Esquerda na Europa. Em nome dos meus camaradas do AKOA, os meus compatriotas e eu próprio, queiram aceitar as nossas sentidas condolências".

Xabier Macías, diretor da Fundação Galiza Sempre
"Queridos amigos e amigas do Bloco, foi con muita pena que soubemos ontem à última hora da morte do Miguel Portas.
Lembramo-nos de bons momentos partilhados com ele e com todos vocês, especialmente as jornadas que coorganizamos em Vigo e no Porto em 2004.
Mandamo-vos desde a Galiza um forte abraço e força para combater a tristeza.
Abril sempre!"

Raul Camargo, Izquierda Anticapitalista (Espanha)
Em nome da Izquierda Anticapitalista queremos transmitir-vos uma mensagem de apoio nestes momentos duros e que encaminhem à família do Miguel os nossos mais sentidos pêsames."

Bairbre de Brún, Sinn Fein, eurodeputada:
"Acabei de saber da notícia terrível da morte do Miguel Portas e lamento-a tanto O meu pensamento está convosco neste momento de perda."

Eric Toussaint, presidente do Comité pela Anulação da Dívida do Terceiro Mundo
"Recebam as minha sinceras condolências. Com o falecimento do Miguel, parte um grande artesão da unidade."

Gianni Pitella, Vice-presidente do Parlamento Europeu
"Lamento muito a morte do meu grande amigo Miguel Portas e quero transmitir palavras de solidariedade à sua família"

Maria D'Alimonte, Secretária Geral do GUE/NGL
"Quero partilhar a minha imensa tristeza. A emoção é tão forte que não encontro palavras. O Miguel foi um amigo e um irmão. A nossa amizade era recente mas profunda. Não o esquecerei."

Arafat Schoucri, presidente do European Center for Palestinian Relations, sediado em Londres:
"Lamento imenso a perda do Miguel. É de facto uma grande perd para todos nós. Apresento as minhas sinceras condolências a vós, à família e amigos.

Alexis Tsipras, Presidente do Grupo Parlamentar do SYRIZA, Presidente do Synaspismos e Vice-Presidente do Partido da Esquerda Europeia
"Aos familiares e amigos do Miguel
Aos dirigentes e militantes do Bloco de Esquerda
Caros camaradas,
Caros amigos,
Ontem à noite recebemos a notícia amarga da morte do Miguel Portas.
Esta é uma perda terrível, não só para a família do Bloco, mas para toda a família da Esquerda Europeia e para a política europeia em geral; Porque o Miguel Portas não era apenas um dirigente do Bloco. Ele não era apenas um deputado de esquerda do Parlamento Europeu.
O Miguel era uma mente brilhante, um militante apaixonado dos ideais democráticos, da cultura, do internacionalismo. Ele era um debatedor que irradiava energia e inovação.
Em tempos difíceis, ele lutou pelo colapso do grotesco regime fascista e pela restauração da democracia e da soberania popular em Portugal.
Em outro momento histórico difícil, ele lutou pela renovação das ideias de esquerda e tornou-se um dos protagonistas do renascimento da esquerda radical portuguesa e, mais tarde, do desenvolvimento da Esquerda Europeia.
É por isso que o Miguel era uma dessas personalidades que não podem ser facilmente esquecidas.
É por isso que a sua perda traz tristeza e dor aos corações de todos os militantes da esquerda radical grega.
Com estas palavras, transmito-vos as mais profundas e sinceras condolências, em nome da família do Synaspismos e SYRIZA.
Vamos continuar a nossa luta corajosa para a mudança social nos nossos países e na Europa, também em nome do Miguel."

Ruurik Holm, Elisabeth Gauthier, Haris Golemis, Wilfried Telkaemper, Walter Baier, membros da direção da transform!europe
"Caros camaradas do Bloco e do GUE,
Foi com grande desgosto que tomámos conhecimento da morte do nosso amigo e camarada Miguel.
Esta é uma profunda perda para todos nós, a nível pessoal e político.
Como personalidade importante do Bloco de Esquerda português, como membro do Grupo Parlamentar GUE/NGL, ele deu um importante contributo para a luta por uma outra Europa e pela construção de um sujeito político europeu, O Partido da Esquerda Europeia.
Nunca o esqueceremos.
Queremos expressar as nossas condolências à sua família, amigos e camaradas”.

António Cluny, presidente da Direção da associação Magistrats Européens pour la Démocratie et les Libertés (MEDEL)
"À Direcção do Bloco de Esquerda
Ausente em S.Francisco- Califórnia, enquanto presidente da MEDEL, em apoio da campanha da Comissão Internacional Contra a Pena de Morte que se desenvolve nesse estado dos EUA e que terá o desfecho no referendo já marcado para novembro, não posso pessoalmente despedir-me do Miguel Portas como gostaria.
O Miguel foi um homem corajoso e um homem bom.
O seu contributo ativo para uma democracia portuguesa mais preocupada com aqueles que menos podem constitui um testemunho de coerência pessoal e o símbolo de uma geração que nunca baixou os braços para levar a democratização do país até mais longe.
Em meu nome pessoal e da Direção da associação Magistrats Européens pour la Démocratie et les Libertés (MEDEL) apresento à Direção do BE e aos seus militantes os meus mais sinceros sentimentos."

Raül Romeva i Rueda e Ana Miranda Paz, Grupo dos Verdes - Aliança Libre Europeia
“O Grupo dos Verdes-Aliança Livre Europeia no Parlamento Europeu, representado pelo seu Vice-presidente Raul Romeva e pela europeputada Ana Miranda, lamenta profundamente o falecimento do nosso amigo e companheiro Miguel Portas.
Miguel Portas era um referente ético. No Parlamento Europeu foi um exemplo de político defensor de alternativas sociais e direitos individuais e coletivos. Partilhámos muitos momentos de lutas e debates de grande interesse e em favor dos povos e da cidadania, aprendendo com a sua longa experiência humana e política.
Queremos transmitir aos seus, a toda a sua família, amigas e amigos, companheiras e companheiros o nosso mais sentido pêsame neste dia de saudades pela memória deste grande político e grande homem.
Com as melhores saudações.”

Martin Schulz , presidente do Parlamento Europeu
“Estamos tristes e estou tocado pela vaga de emoções que me chegaram. Pessoalmente, sempre considerei o colega como um homem de grande qualidade e de um caráter honesto, mas subestimei, vi agora, como ele era apreciado pelos seus colegas aqui no Parlamento Europeu, e estou um pouco triste por só o ter descoberto agora”.
“Sei que defendia as suas ideias com uma tenacidade muito forte, mas era um homem que respeitava os outros, até ao momento em que tinha um sentimento de que os valores fundamentais tinham sido violados, e então era também um combatente”, disse, acrescentando que, por isso, o Parlamento “perdeu um homem de grande caráter”.
“Começarei a próxima sessão do Parlamento não só com um minuto de silêncio, mas também com um pequeno discurso onde vou honrar a personalidade e o contributo de Miguel Portas para o Parlamento Europeu”.

Roseline Vachetta, ex-eurodeputada pela LCR
“Apenas uma pequena mensagem para vos transmitir toda a minha amizade neste momento difícil que atravessam.
A imagem que tenho do Miguel é de uma pessoa profundamente gentil, com uma verdadeira capacidade de ouvir e uma grande capacidade de julgamento e decisão.
Uma lembrança muito viva das vezes em que tive a oportunidade de encontrá-lo.
Minhas lembranças boas para o seu partido inteiro!
Saudações cordiais a todo o partido!”

Comité Executivo do NPA (Nouveau Partie Anticapitaliste)
"Ao Bloco de Esquerda,
O NPA acaba de ter conhecimento da morte do camarada Miguel Portas e gostaria de lhe prestar homenagem. Em várias ocasiões, os camaradas da NPA tiveram oportunidade de encontrá-lo no Parlamento ou em reuniões internacionais. Além do seu ativismo, notámos a sua bondade e abertura.
O NPA envia as suas condolências aos camaradas do Bloco de Esquerda e conta manter as relações internacionalistas e fraternas existentes entre as nossas organizações graças a Miguel Portas
Juntos, vamos continuar”.

Frédéric Daerden, eurodeputado do Grupo da Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas no Parlamento Europeu
“Cara Carmen
Escrevo este email para expressar o meu pesar pela perda do nosso colega Miguel Portas.
Tive oportunidade de trabalhar com ele algumas vezes na comissão de orçamento, fiquei impressionado pela sua humanidade, os seu carácter forte e a sua inteligência.
Ele defendeu apaixonadamente as suas ideias políticas, mas sempre permanecendo não-dogmático e construtivo, tendo sempre em mente o interesse dos cidadãos europeus.
Eu só posso imaginar a dor que esta perda pode causar a todos os seus parentes, amigos, colegas e camaradas.
Por favor, aceite minhas condolências mais profundas e sinceras”.

Paul Emile Dupret, conselheiro político no parlamento europeu, ativista de direitos humanos e justiça global
“A todos e todas, quero expressar a minha grande tristeza, simpatia e solidariedade.
Aprendi a apreciar as grandes qualidades do Miguel bem antes dele se tornar deputado europeu, enquanto eu estava a trabalhar com a Luciana Castellina, uma grande amiga do Miguel, com quem estávamos em contacto constante, por causa de todos os seus muitos projetos.
Aqui está um homem que soube aproveitar a vida, a sua inteligência e muito humor para fazer tantas coisas positivas e irradiar à sua volta!
Com muito amor”

O Grupo GUE/NGL prestou homenagem a Miguel Portas
“Estamos profundamente tristes com o desaparecimento de Miguel Sacadura Cabral Portas, nosso colega, camarada e amigo que faleceu na passada noite” disse Gabi Zimmer, Presidente do Grupo GUE/NGL
“Um fervoroso militante da Esquerda, um homem de convicções e de cultura, ela não deixou ninguém indiferente”, afirmou ainda “Miguel Portas era deputado do Parlamento Europeu desde 2004. Muito ativo na Comissão de Orçamento do Parlamento Europeu, ele defendeu as suas ideias de justiça social, democracia, e uma melhor Europa com grande tenacidade”.
O seu fascínio com as culturas do Mediterrâneo fizeram dele um observador atento e um analista refinado destes temas.
“Miguel Portas, a tua falta será sentida. Expressamos as nossas sinceras condolências aos teus filhos e a tua família inteira”.

Paola Giaculli, Parlamento Europeu
“Caro Miguel,
Ficarás sempre no meu coracão, sempre com o teu sorriso, com a tua ironía, com a tua simpatía, com a tua paixão e a tua luta para um mundo melhor.
Adeus, Miguel, que a terra te seja leve"

Paul Murphy, Joe Higgins e toda a delegação do Socialist Party (Irlanda) no GUE/NGL
"Cara Marisa,
Cara Carmem e Renato,
Cara equipa do Bloco,
Ficámos chocados quando soubemos da morte do Miguel. É dificil encontrar palavras de condolências e conforto. Ainda assim, gostaríamos de expressar a nossa profunda simpatia e solidariedade para convosco, a família do Miguel e o Bloco de Esquerda.
Todos vós guardarão recordações do Miguel enquanto camarada, lutador e amigo. Esperamos que estas memóriaa vos dêem força neste momento dificil e triste.
O Miguel dedicou grande parte do seu tempo e energia à luta por um mundo mais justo e equitativo e nós temos a certeza que esta é a forma como muitos nos lembraremos dele.
Por favor, aceitem a nossa simpatia e solidariedade".

Patrick Auzende, Partido Gauche Unitaire (França)
“Caros camaradas,
Em nome da Gauche Unitaire, e em meu nome pessoal, gostaria de expressar a nossa tristeza com a morte de Miguel Portas.
Fiquei particularmente triste porque tive a honra e o prazer de acompanhá-lo na sua estreia no Parlamento Europeu.
Saudamos o homem, o lutador e um dos fundadores e líderes do Bloco de Esquerda.
Neste momento, todos os nossos pensamentos e o nosso apoio vão para a sua família, os seus amigos e companheiros.
Fraternalmente”

Christian Picquet, porta-voz da Gauche Unitaire e presidente da Coordenação da campanha de Jean-Luc Mélenchon (França)
“Sinto uma grande tristeza com a morte de Miguel Portas.
Miguel era um amigo com quem eu sempre tive o prazer de compartilhar quando nos encontrávamos nas Conferências dos Presidentes do Partido da Esquerda Europeia.
Aos seus próximos, aos seus camaradas do Bloco, eu estendo a minha solidariedade”.

Obituário publicado no Il manifesto (Itália)
“Estávamos todos convencidos que havia vencido o cancro que lhe surgiu há dois anos, tal era a energia que continuou a imprimir à sua vida, que sempre viveu – como disse a sua colega no Parlamento Europeu, Marisa Matias – “de forma intensa”. E afinal não, uma recaida imprevista levou-nos o Miguel Portas aos 53 anos, camarada que para nós foi, nos últimos vinte anos, um referencial na esquerda portuguesa, tal como nós o éramos para ele em Itália. De tal forma que quis que a publicação do seu primeiro reagrupamento político se chamasse “O Manifesto”. Em certas facetas, de facto, o seu itinerário foi similar ao nosso: foi militante do Partido Comunista Português desde os tempos de estudante (foi preso pela PIDE aos 15 anos) e abandonou o partido em 1989, para dar vida a um movimento chamado Política XXI que se une, em 99, a mais dois grupos da nova esquerda para dar vida ao Bloco de Esquerda. Uma formação que alcançou prestígio e influência e até um relactivo sucesso eleitoral: nas ultimas eleições europeias a lista do Bloco, encabeçada pelo Miguel, obteve 10,73%.
Miguel Portas foi tmbém jornalista e dirigiu muitas publicações da esquerda; Constraste, Expresso, Já. Uma das últimas vezes que o vi foi em Lisoa, onde organizou um muito interessante encontro sobre cultura em que participou Zizek.
Miguel faleceu na véspera do 25 de Abril, para nós aniversário da libertação, para Portugal da revolução dos cravos, à 38 anos. O Portugal de agora está muito mudado como, de resto, itália. Miguel fará falta aos seus camaradas portugueses, aos da Esquerda Europeia e também a nós. A batalha para mudar os nossos países, com a sua morte, sofre um golpe”.

Bogusław Ziętek, em nome do Partido Polaco do Trabalho
“Caros camaradas e amigos
Partilhamos a vossa dor da morte do camarada Miguel Portas. Conhecemo-lo como militante internacionalista e defensor dos direitos humanos e sociais. Ele ajudou-nos no Parlamento Europeu, quando os militantes do Partido Polaco do Trabalho e do Sindicato Livre “Agosto 80” procuravam apoio às suas lutas.
Camarada Portas, o teu combate continua!”

Nichi Vendola, presidente da Sinistra Ecologia Libertà
“Choramos a perda de um companheiro extraordinário que viveu a política com uma paixão vital, com um amor imenso para com os povos, as pessoas, pelos seus direitos e pela sua liberdade.
Do Miguel, vamos lembrar-nos para sempre da sua curiosidade e alegria, e da sua capacidade de ser ao mesmo tempo companheiro e amigo”.

Jaime Pastor, Izquierda Anticapitalista (Espanha)
“Tive conhecimento da morte do Miguel Portas. Não tínhamos uma relação próxima, mas nas poucas ocasiões em que nos encontrámos pude reconhecer a sua cordialidade e o seu afecto no trato pessoal e humano, juntamente com a sua entrega incondicional à luta para mudar o mundo a partir da sua base.
Quero transmitir-vos a minha solidariedade nestes momentos e lamento muito que não possamos continuar a contar com ele.”

Monica Frassoni e Philippe Lambert, co-presidentes do Partidos Verde Europeu
“Miguel Portas era sábio e inteligente, gostávamos dele como pessoa, como político e como ativista. Provavelmente não concordávamos em tudo, mas ele tinha esse olhar bonito e esperançoso sobre a realidade e sobre as pessoas; ele acreditava realmente que as coisas poderiam ser mudadas para melhor e que poderíamos fazer a diferença. Ele também era um trabalhador de equipa, e na política isso é uma virtude rara e preciosa. Ele era gentil e sorria com facilidade, e isso ajuda a construir pontes entre as pessoas.
Falámos muitas vezes sobre as políticas verdes na Europa e em Portugal e sobre como as nossa s “famílias” políticas poderiam tornar-se mais próximas e ser mais eficazes para mudar e derrubar as escolhas políticas erradas que nos levaram onde estamos agora; e discutimos sobre a importância da superação do peso pesado das ideologias passadas e das divisões do passado e de como encontrar novas formas de resolver os problemas dos cidadãos comuns.
Ele era definitivamente pró-europeu. Algo também importante e valioso nestes tempos difíceis, onde a crise profunda e recessão enfrentada pelas pessoas é também resultado dos erros das instituições europeias, o que propicia novos nacionalismos e traz de volta velhos ressentimentos entre as nações.
O facto de o Miguel não estar mais connosco é uma verdadeira perda para as forças progressistas da Europa.
Nós não vamos esquecê-lo. Que a memória de sua sabedoria radiante esteja sempre conosco, no trabalho que temos pela frente para mudar o mundo”.

Gabriele Zimmer, Presidente GUE/NGL
“Caro Francisco
Gostaria de expressar, nome do grupo GUE/NGL as minhas sinceras condolências pelo falecimento do Miguel. Ficámos todos alarmados quando soubemos da sua doença, mas quando soubemos da notícia ficámos chocados e surpresos.
Neste momento os nossos pensamentos estão com a sua família e com os seus camaradas do Bloco de Esquerda. Recebemos muitas mensagens através do parlamento de todas as famílias políticas enviado condolências e a reafirmar a sua admiração pelo Miguel Portas.
O Miguel é insubstituível na esquerda na Europa. Ele foi um político, um camarada e um amigo único. Ele foi um fervoroso militante da esquerda e um homem de convicções e cultura.
Todos nós o relembramos não apenas como um político, mas também com o vencedor do campeonato de dança do último jantar de verão da GUE/NGL.
Desejamos força e coragem para os próximos dias, e peço que envies as nossas sinceras condolências a todos os camaradas do Bloco de Esquerda”.

Comentários (1)

Resto dossier

Miguel Portas (1958-2012)

Neste dossier, divulgamos todos os artigos, vídeos, fotogaleria e notícias que o esquerda.net publicou em homenagem e evocação de Miguel Portas. Republicamos também alguns textos da sua autoria e relembramos ainda a sua última entrevista televisiva.

Adeus Miguel

Alguns flashes para ajudar a compor um perfil abrangente do Miguel Portas.

Miguel Portas 1958-2012

Reproduzimos neste artigo um texto de José Goulão, publicado no sitedo beinternacional.

O princípio da esperança

Não tinha tempo, mas continuava a preocupar-se com a vida. Teve a capacidade de construir cidades no deserto.

Carta ao Miguel Portas neste Abril

Tu foste daqueles raros cuja vida se resume na mais densa das frases: "25 de Abril sempre".

A Arte da Fuga

Quando passava por minha casa, o Miguel esticava-se no chão e eu punha a tocar a “Arte da Fuga” de J.S. Bach, no piano de Alice Adler.

Miguel

O Miguel morreu (custa escrever) indecentemente cedo. Cedo demais para toda a energia que tinha e que, até ao último minuto, nunca o abandonou.

Até sempre, Miguel!

O Miguel deixou-nos na passada terça-feira, na véspera do dia comemorativo da revolução que ele ajudou a construir. Partiu um grande amigo, um camarada, cujo exemplo me iluminará o caminho.

Miguel Portas: A arte de traduzir

O Miguel era um grande tradutor. E como tradutor passou a sua vida a des-hierarquizar.

Miguel

Viveu connosco e nós vivemos com ele. Perdemo-lo e não o esquecemos.

Miguel Portas

O Miguel Portas tinha imenso orgulho de ter nascido no 1 de maio, dia de festa e luta. Morreu a 24 de abril, dia que já era de triste memória, sem entristecer mais nenhum dia do calendário, que devemos viver com a alegria intensa com que o Miguel viveu toda a sua vida. Texto de António Costa.

Homenagem a Miguel Portas encheu o São Luiz

"Para o caso de isto correr mal", escreveu Miguel Portas ao escolher o Jardim de Inverno do Teatro São Luiz, em Lisboa, para juntar amigos e família. O espaço foi pequeno e as portas da Sala Principal também se abriram para mais de mil pessoas assistirem às intervenções, músicas e imagens que evocaram a memória de um "sonhador incorrigível". Ver fotogaleria de Rui Palha.

Olá, Miguel

Quando me confrontei com a ausência insuperável de ti, percebi que coisas houve que não cheguei a dizer-te.

Consegue-se viver sem esperança?

E agora, Miguel? É simples: voa. Voem.

Adeus Miguel

Neste 25 de abril sombrio e chuvoso em São Paulo, fui fazer uma palestra sobre a revolução portuguesa. Levei Miguel comigo, para que não me faltassem as forças.

O Miguel no Bloco

Vídeo realizado para a sessão evocativa de Miguel Portas, com o registo de intervenções políticas do eurodeputado e fundador do Bloco de Esquerda.

Miguel Portas - Fotogaleria

Fotos de Paulete Matos. Música: "Traz um amigo também", de José Afonso, interpretada por Mário Laginha e Bernardo Sassetti ao vivo no Encontro "1001 Culturas".

25 de Abril e os nossos tempos, por Ana Luísa Amaral

Um poema de Ana Luísa Amaral sobre o 25 de Abril, à memória de Miguel Portas.

Teu nome, Socialismo, por Miguel Portas

O propósito: quatro observações soltas que visam contribuir para o debate suscitado pela e sobre a Perestroika, entre aqueles que continuam a reclamar o seu lugar à esquerda e se não renderam a julgamentos apressados sobre a falência de tudo quanto cheire a comunismo e a socialismo. Artigo de Miguel Portas publicado na revista "Combate" e republicado no livro "Malhas que a Memória Tece".

“Gostaríamos de ter trazido um punhado da terra libertada da Palestina”

Uma mensagem do Comité de Solidariedade com a Palestina, com o título “Até sempre, Miguel”, assinala: “ gostaríamos de ter trazido para a despedida de Miguel Portas um punhado da terra libertada da Palestina”, sublinhando que “poucas pessoas se têm empenhado tanto como Miguel Portas na causa dos direitos humanos, sociais e nacionais do povo palestiniano”.

Adeus, Miguel

O Miguel desde que nasceu que fez uma diferença grande. Agora que morreu não é preciso sequer um instante para fazer uma ideia da falta que faz. Artigo de Miguel Esteves Cardoso, publicado no jornal “Público”.

“A guerra no Líbano devia ter sido evitada na Palestina”, por Miguel Portas

Publicamos aqui o capítulo "Palestina" do livro “No Labirinto - O Líbano entre guerras, política e religião” de Miguel Portas, publicado em 2006, numa edição da Almedina.

Sentida homenagem a Miguel Portas

Várias centenas de pessoas formaram uma fila com mais de 200 metros à porta do Palácio Galveias, em Lisboa, para homenagear o eurodeputado Miguel Portas. No domingo terá lugar a sessão evocativa no Jardim de Inverno do Teatro S. Luiz, com início às 14h30.

A política ou a vida, por Miguel Portas

O divórcio entre vida e política não é apenas público, começa no domínio privado. Dar o rosto tem um preço em desumanidade. Não duvidem que ela marca os políticos que temos, sem excepção. Porque o fiz, apesar do preço? Talvez porque não tivesse alternativa. Texto que Miguel Portas escreveu no final da campanha para as europeias de 1999.

Mortalidade e política

A morte de Miguel Portas faz-nos recordar que também as sociedades são mortais e que só a boa política consegue prolongar a sua existência. Artigo de Viriato Soromenho-Marques, publicado no jornal “Diário de Notícias”.

AR aprova voto de pesar pelo falecimento de Miguel Portas

Voto aprovado por unanimidade traça o perfil do eurodeputado bloquista e lembra frase da sua última entrevista: “A minha vida valeu a pena porque ajudei os outros”.

O Mediterrâneo é o lugar onde a vida se fez Tempo, por Miguel Portas

No sexto aniversário da morte de Miguel Portas, republicamos o prefácio e o primeiro capítulo de Périplo, o livro sobre o grande mosaico que é o Mediterrâneo.

O Bloco do Miguel

Sendo o Bloco uma invejável confluência de várias visões, cada qual com inúmeras qualidades, julgo que ao Miguel Portas fica associada uma permanente vontade do partido se reinventar.

Revolução: testemunho, por Miguel Portas

A cada um a sua revolução. A minha iniciou-se ainda no tempo da outra senhora, uma expressão que caiu em desuso. E coincidiu com outra, obrigatória pela lei da vida, a da passagem à adolescência. Crónica de Miguel Portas de abril de 1999, retirada no livro “E o resto é paisagem”.

O amor é inextricável, por Miguel Portas

Aceitei uma palestra sobre Os sentidos do Amor e não sabia o que dizer. Tinha feito asneira e estava desesperado. Comprei a Ana e a Maria, mergulhei na sabedoria popular e dei razão à minha amiga Joana – o amor é inextricável. Crónica de Miguel Portas de novembro de 2000, publicada no livro “E o resto é paisagem”.

Miguel Portas (1958-2012): Deixe aqui a sua mensagem

Reproduzimos, neste artigo, algumas das mensagens sobre a morte do Miguel Portas que temos vindo a receber através do endereço eletrónico do Bloco de Esquerda. Poderá deixar-nos aqui o seu testemunho, utilizando, para esse efeito, a caixa para comentários que se encontra no final do texto.

Reações internacionais à morte de Miguel Portas

Neste artigo transcrevemos as reações e notas de condolência de várias individualidades, forças políticas e organismos internacionais. (última atualização 08.05.20121 às 16h25).

11 de setembro – Viragem, por Miguel Portas

Os autores [dos atentados] “são a face terrível do imenso mal-estar que invade o mundo contemporâneo. E sem se ir às causas não haverá como escapar ao ciclo da barbárie”. Texto de Miguel Portas, publicado em Setembro de 2001, após os atentados e que foi incluído no seu livro “E o resto é paisagem” publicado em 2002, e que republicamos.

Última entrevista de Miguel Portas à Sic Notícias 31.01.2012

Publicamos aqui a última grande entrevista de Miguel Portas à SIC Notícias, transmitida a 31 de janeiro de 2012. 

Miguel Portas: “Não desisti de nada”

Este ano, a comitiva do Bloco de Esquerda na manifestação do 25 de abril foi encabeçada por uma faixa em homenagem a Miguel Portas com a frase “Não desisti de nada”, proferida pelo dirigente do Bloco durante uma entrevista ao jornal Expresso em julho de 2011.

Miguel Portas 1958-2012

Reproduzimos neste artigo um texto de José Goulão, publicado no sitedo beinternacional.

Esquerda europeia de luto pela morte de Miguel Portas

De toda a Europa chegaram mensagens de pesar pelo desaparecimento de Miguel Portas, transmitidas ao Bloco e ao grupo no Parlamento Europeu. O esquerda.net publica-as nesta notícia (última atualização 02.05.2012 às 18h47).

Adeus Miguel

Alguns flashes para ajudar a compor um perfil abrangente do Miguel Portas.

Sucedem-se as reações à morte de Miguel Portas

Neste artigo transcrevemos as reações e notas de condolência de várias individualidades e forças políticas mediante o falecimento do dirigente e eurodeputado do Bloco de Esquerda Miguel Portas. Esta quarta-feira, o Parlamento Europeu fez um minuto de silêncio e abriu um livro de condolências para os deputados poderem assinar  (última atualização 17.05.2012 às 17h45).

Miguel

Viveu connosco e nós vivemos com ele. Perdemo-lo e não o esquecemos.

Apresentação do livro "Périplo"

O terceiro livro publicado por Miguel Portas foi “Périplo”, histórias do Mediterrâneo – com fotos de Camilo de Azevedo. Divulgamos aqui a apresentação em Lisboa em Maio de 2009. Miguel Portas publicou ainda os livros "E o resto é paisagem" (2002) e "No Labirinto" (2006).

«Fui sempre mais de jogar fora do baralho»

Miguel Portas morreu hoje, após uma longa luta com mais de dois anos contra o cancro. Tinha 53 anos. Nasceu no 1º de maio de 1958, morreu no dia 24 de Abril de 2012.

Miguel Portas faleceu

O eurodeputado Miguel Portas faleceu esta terça-feira por volta das 18 horas, no Hospital ZNA Middelheim, em Antuérpia. Encarou a sua própria doença como fazia sempre tudo, da política ao jornalismo: de frente e sem rodeios. A Comissão Política do Bloco de Esquerda apresenta os mais sentidos pêsames aos seus filhos e a todos os familiares, amigos e camaradas.