Está aqui

Escolas encerradas por todo o país

A greve geral desta quarta-feira encerrou muitas escolas e, pelo menos no Norte, está a ter uma adesão superior à última paralisação. No ensino superior sabe-se, por agora, que a Faculdade de Letras da Universidade do Porto teve uma adesão à greve de 90 por cento e que Universidade dos Açores está fechada. Mário Nogueira, da Fenprof, disse que "a exceção" são as escolas abertas.

Na zona de Lisboa e Vale do Tejo são dezenas as escolas e agrupamentos encerrados esta manhã. O Sindicato dos Professores da Grande Lisboa (SPGL) está a fazer uma atualização permanente na sua página de Internet (ver aqui). Às 13h havia mais de uma centena de escolas encerradas na área do SPGL.

Manuel Grilo, dirigente do SPGL, revela que há estabelecimentos de ensino, como a secundária Camões, abertos mas sem aulas a decorrer porque a maioria dos professores aderiram à greve nacional, cita o Público. Outras escolas estão encerradas por falta de comparência do pessoal não docente.

Escolas como a dos Olivais, Gil Vicente, Marquesa de Alorna ou Escola de Música do Conservatório Nacional, todas em Lisboa, estão encerradas. Também não abriram as suas portas a secundária de Cacilhas, Costa da Caparica, Trafaria ou José Afonso, no Seixal. Na Amadora, em Loures e em Vila Franca de Xira também há estabelecimentos encerrados. A greve chegou também a algumas Instituições Particulares de Solidariedade Social como o Externato Santa Joana, em Sesimbra, a Voz do Operário ou à Associação de Actividades Sociais Bairro 2 de Maio, ambas em Lisboa.

O Sindicato dos Professores do Norte, afeto à Fenprof, ainda não fez as suas contas mas a dirigente Manuela Mendonça calcula que “a resposta seja superior à da última greve”, cita o Público. Por exemplo, em Gaia, revela o professor João Paulo Silva ao mesmo jornal, as escolas básicas de 2.º e 3.º ciclos de Canidelo, Valadares e Gervide estão encerradas, assim como a EB2, 3 e Secundária de Canelas. As outras estão abertas mas verifica-se que há menos carros estacionados e muitos alunos a brincar nos pátios, o que quer dizer que haverá pessoal docente e não docente em greve, informa.

Ao Sindicato dos Professores da Zona Sul continuam a chegar informações de Beja, Évora e Faro. Dezenas de escolas do 1.º ciclo ao secundário encerraram por falta de funcionários docentes e não docentes, informa Joaquim Páscoa, presidente do sindicato. Também a Universidade de Évora tem alguns sectores fechados, acrescenta. “Os dados ainda não são definitivos mas temos tido uma boa resposta por parte dos professores. Seria preferível uma adesão de 100%”, conclui.

Escolas fechadas também nos Açores

Uma hora de diferença do continente faz com que no arquipélago dos Açores o Sindicato dos Professores da Região dos Açores ainda não tenha feita a contabilidade do número de escolas encerradas. Contudo, Fernando Vicente, sindicalista na ilha Terceira, sabe que em Angra do Heroísmo a EB1 e as secundárias de Tomás de Borba e Jerónimo Emiliano de Andrade (o antigo liceu da cidade) não abriram as portas. Em São Miguel, as secundárias de Ribeira Grande e de Lagoa também permaneceram fechadas. 

…e na Madeira

No arquipélago da Madeira, Sofia Canha, presidente do Sindicato dos Professores da Região da Madeira fala numa adesão de 25% à greve. “Poucas escolas encerraram, algumas estão abertas com os serviços a funcionar mas sem professores”. A adesão “não é a desejável”, confessa a dirigente. “O ideal era que os professores tomassem uma posição mais forte. Os professores não estão resignados mas devido a situações de alguma complexidade financeira das famílias, não aderiram”, explica Sofia Canha.

A "exceção" são as escolas abertas 

O secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), Mário Nogueira, estima que o número de escolas encerradas nesta jornada de luta é três vezes maior do que na última greve geral, sendo agora “exceção” os estabelecimentos de ensino que estão abertos. Toda a informação sobre escolas encerradas aqui.

"A nível de escolas fechadas regressámos aos níveis mais elevados de sempre nas grandes cidades como Lisboa, Porto, Coimbra ou Faro. As escolas estão todas fechadas em Olhão. Um pouco por todo o país temos um nível de adesão que levou a que a grande esmagadora maioria das escolas do primeiro ciclo encerrasse", resumiu o sindicalista em declarações à Lusa, à porta da Escola Secundária Gil Vicente, no bairro lisboeta da Graça, que também está encerrada.

A greve geral iniciada às 00:00 de hoje traz um "dado novo" no que toca à adesão por parte de professores e funcionários das escolas, que é a adesão dos diretores. “Estamos a encontrar muitos diretores que hoje também estão em greve. Muitos deles tinham participado nos plenários e já tinham declarado que iam participar, tendo apelado a que os colegas também o fizessem”, contou Mário Nogueira.

Universidades quase vazias

No ensino superior registava-se logo de manhã uma significativa adesão à greve, em particular entre os docentes das universidade e institutos politécnicos, segundo indicou Rui Salgado, Coordenador do Departamento Ensino Superior e Investigação da Fenprof.

O dirigente sindical informou que em Évora a participação dos docentes na greve é de 70%, que as Universidades do Algarve e Coimbra “estão quase vazias” e que a Universidade da Beira-Interior tem mesmo um dos pólos encerrados. A Universidade dos Açores, em Ponta Delgada, está encerrada.

Na Faculdade de Letras da Universidade do Porto a adesão à greve é de 90 por cento. À porta da faculdade esteve um piquete de greve composto por estudantes e também ativistas do núcleo dos Precários Inflexíveis no Porto.
 

(...)

Resto dossier

14-N: Greve Geral

Neste dossier, reunimos os vídeos e as fotografias deste dia de mobilização geral dos trabalhadores. E republicamos as notícias sobre o balanço e os números da greve em Portugal, bem como a dimensão europeia do protesto, com greves e manifestações em mais de 20 países.

CGTP: “Uma das maiores greves gerais realizadas em Portugal”

Arménio Carlos fala em cartão vermelho ao governo e à troika, no dia em que o INE confirma que a austeridade provoca a queda do PIB e o aumento do desemprego. Despacho do governo proíbe divulgar dados de adesão. Trinta e nove manifestações e concentrações em todo o país. 

Os vídeos da Greve Geral

O esquerda.net fez cobertura vídeo desta Greve Geral, com reportagens nos piquetes do Metro de Lisboa, CTT, CP, Moveaveiro, STCP e das concentrações em Aveiro e Lisboa.

Fotogaleria da Manifestação de Lisboa

Fotogaleria de Paulete Matos na manifestação que decorreu entre o Rossio e São Bento.

Polícia deteve mais de cem manifestantes

Segundo o esquerda.net pôde apurar, a polícia deteve um total de 120 pessoas após a manifestação da CGTP, sendo que muitos dos detidos afirmam não ter tido qualquer participação nos distúrbios ocorridos nas imediações da Assembleia da República, em Lisboa. Os advogados dos detidos não foram autorizados a contactá-los. 

Fotogaleria: A Greve vista por um alemão em Lisboa

Dominic Heilig, militante do Die Linke, esteve em Lisboa e participou nos piquetes da Greve Geral e na manifestação da tarde.

“Será com esta greve e com tantas outras mobilizações que se irá derrubar este governo”

A coordenadora da Comissão Política do Bloco, Catarina Martins, que participou na manifestação da Greve Geral no Porto, à qual se juntaram mais de duas mil pessoas, salientou que esta é “a primeira greve ibérica, uma greve inédita, e um cartão vermelho bem forte contra a troika e o governo”.

Greve Geral em Portugal: números por distrito

O esquerda.net publica, neste artigo, informações sobre a adesão à Greve Geral nos diferentes distritos/regiões do país.

Precários Inflexíveis em ação de protesto num Pingo Doce em Lisboa

Um conjunto de ativistas da Associação de Combate à Precariedade – Precários Inflexíveis realizou uma ação de protesto numa loja do Pingo Doce em Lisboa (ver vídeo), nesta manhã da Greve Geral, para denunciar “a estratégia de exploração” no grupo de Soares dos Santos.

Fotos dos protestos em diversas cidades de Portugal

No dia da Greve Geral realizaram-se manifestações e concentrações em 39 cidades de Portugal. Esquerda.net publica aqui fotos das manifestações nas cidades de: Braga, Funchal, Santarém, Faro, Angra do Heroísmo, Beja, Portalegre, Ponta Delgada, Estudantes em Lisboa, Évora, Torres Novas e Vila Real.

Fotos da manifestação em Setúbal

Milhares de pessoas manifestaram-se na manhã no dia da Greve Geral, 14 de novembro, pelas ruas da cidade de Setúbal, protestando contra a austeridade e a troika. Fotos de Leonardo Silva

Escolas encerradas por todo o país

A greve geral desta quarta-feira encerrou muitas escolas e, pelo menos no Norte, está a ter uma adesão superior à última paralisação. No ensino superior sabe-se, por agora, que a Faculdade de Letras da Universidade do Porto teve uma adesão à greve de 90 por cento e que Universidade dos Açores está fechada. Mário Nogueira, da Fenprof, disse que "a exceção" são as escolas abertas.

Deputados do Bloco com a greve

No dia de Greve Geral, o grupo parlamentar do Bloco de Esquerda não participou nos trabalhos parlamentares e esteve junto de vários piquetes de greve, integrando concentrações e manifestações, em solidariedade com os trabalhadores grevistas.

Belgas entregam Prémio Nobel da Austeridade a Barroso

Comboios paralisados e manifestações em Bruxelas marcam a jornada na Bélgica. Sindicalistas da Confederação Europeia dos Sindicatos e dos sindicatos belgas reúnem-se com Barroso e entregam à Comissão Europeia um “prémio Nobel da Austeridade”.

Europa: greves e manifestações marcam jornada de luta em vários países

Segundo os dados disponíveis, a greve geral na Bélgica paralisou os caminhos-de-ferro, afetando as ligações internacionais para França, Alemanha e Holanda. Grécia e Itália iniciam paralisações de 3 e 4 horas. No Reino Unido, várias companhias aéreas cancelaram voos internacionais. Convocadas manifestações na Alemanha, França e Polónia.

Espanha: adesão à Greve Geral ultrapassa os 80%

Os representantes das centrais UGT, José Javier Cubillo, CCOO, Antonio del Campo, e USO, Ladislao Pérez, já anunciaram que a adesão à Greve Geral ultrapassa os 80% . O protesto em Espanha está a ser acompanhado por um forte contigente policial. Registaram-se várias cargas policiais.

Fotos de piquetes da Greve Geral em Portugal

Nesta notícia publicamos imagens da Greve Geral, em vários pontos do país.

O país amanheceu paralisado

A noite e a madrugada da Greve Geral desta quarta-feira indicam uma adesão significativa dos trabalhadores ao protesto contra a austeridade e o orçamento do assalto fiscal. Transportes, hospitais e comunicações com adesões a rondar os 100 por cento.

Vozes contra a austeridade vão ouvir-se em 20 países europeus

Vinte países, entre os quais Portugal, vão juntar-se, na quarta-feira, à jornada de luta europeia contra a austeridade e a favor do emprego, que inclui greves, manifestações, ações de protesto e reuniões em várias cidades da Europa.

CGTP: "Enquanto houver Memorando, o país não tem futuro"

Na véspera da Greve Geral, o líder da CGTP confia que "vamos ter milhões de trabalhadores na Europa a dizer basta de austeridade, é preciso mudar de políticas". Arménio Carlos assinalou a "grande convergência" para esta greve que ultrapassa as fronteiras da CGTP.

14 novembro: A primeira greve internacional do século XXI

Se qualquer convocatória de greve geral merece uma atenção especial pela sua transcendência e impacto político, a que se realiza este dia 14 de Novembro, ainda mais: trata-se da primeira greve internacional do século XXI. Por Nacho Álvarez, Público.es

Greves e protestos na Bélgica

A central sindical FGTB decretou 24 horas de Greve Geral, integrada na jornada de luta europeia. Várias cidades promovem manifestações solidárias com as greves nos países do sul da Europa.

Greve geral já está em marcha

Primeiros setores a aderir são os bombeiros, recolha de lixo e transportes, com grande adesão. Arménio Carlos espera uma grande greve geral e saúda os sindicatos da UGT que decidiram participar. No vídeo, João Semedo apela à Greve Geral.