Está aqui

Dossier África - União Europeia

A paz, a imigração e o desenvolvimento são os principais temas da agenda oficial da cimeira União Europeia-África. Mas escondem o que verdadeiramente está em causa: os novos Acordos de Parceria Económica - desfavoráveis aos países africanos - e as políticas restritivas sobre imigração. Com este dossier, o Esquerda.net mostra algumas das agendas escondidas e dos assuntos que se quer evitar. Abrimos o dossier com o "triunfo do pós-colonialismo", um texto de Gérard Prunier, sobre o teor dos acordos comercias que a União Europeia tentará impor ao continente africano. Em "O direito à alimentação", Dafne Melo esclarece que a produção agrícola deve ser tratada não como mercadoria, mas sim como um direito humano. Sobre emigração e fronteiras, leia a entrevista de Emmanuel Blanchard. E porque Mugabe não pode ser a árvore que esconde a floresta, Mamadou Ba faz-nos um retrato do que está em causa nesta cimeira, onde outros ditadores e violadores dos direitos humanos estarão presentes. Em Darfur, o genocídio continua, e o povo saraui não estará presente porque Marrocos se recusa a aceitar a sua auto-determinação, como mostra Eduardo Galeano. Finalmente Anne-Cécile Robert fala-nos de resistências, em "África sonha com a segunda independência".

(...)

Resto dossier

Dossier África - União Europeia

A paz, a imigração e o desenvolvimento são os principais temas da agenda oficial da cimeira União Europeia-África. Mas escondem o que verdadeiramente está em causa: os novos Acordos de Parceria Económica - desfavoráveis aos países africanos - e as políticas restritivas sobre imigração. Com este dossier, o esquerda.net mostra algumas das agendas escondidas e dos assuntos que se quer evitar.

Cimeira Europa-África: Mugabe não pode ser a árvore que esconde a floresta

A cimeira de Lisboa é cenário do império, a sua substância é o liberalismo económico. Os Acordos de Parceria Económica (APE) são a face crescida da cara do neocolonialismo europeu em África. Mugabe é apenas a árvore que esconde a floresta dos muitos ditadores que permanecem no poder com a complacência da Europa.

Muros, por Eduardo Galeano

E nada, nada de nada, se fala do Muro de Marrocos, que desde há vinte anos perpetua a ocupação marroquina do Saara ocidental. Este muro, minado de ponta a ponta e de ponta a ponta vigiado por milhares de soldados, mede sessenta vezes mais que o Muro de Berlim.

Investigação sobre o massacre de Darfur

No mais recente genocídio africano, "conflito étnico" é, de novo, apenas um mito que mascara a realidade. Na raiz dos massacres estão uma disputa por petróleo, e a omissão calculada dos EUA, China e França.

Externalização das fronteiras: um mecanismo que visa esconder as responsabilidades

A externalização consiste em transferir a responsabilidade da vigilância das fronteiras para diferentes actores, sejam eles empresas privadas, países de trânsito ou os países de origem, aos quais é exigido que prendam as pessoas que procuram emigrar, afirma Emmanuel Blanchard, professor de ciências económicas e sociais, membro da rede Migreurop. Nesta entrevista a Les Invisibles , ele recorda que o artigo 13 da Declaração Universal dos Direitos do Homem diz que "Toda a pessoa tem direito de sair do país, incluindo do próprio, e de regressar ao seu país".

O direito à alimentação

Movimentos sociais dos cinco continentes defenderam, no Fórum Mundial pela Soberania Alimentar realizado no Mali (África) em Fevereiro deste ano, que a produção agrícola seja tratada não como mercadoria, mas sim como um direito humano.
Por Dafne Melo, enviada especial a Sélingué (Mali) pelo Brasil de Fato, 27/02/2007

O triunfo do pós-colonialismo

A União Europeia tenta impor acordos, baseados no princípio do livre comércio, que violam a soberania e impedem a emancipação dos países africanos.

A África sonha com a "segunda independência"

Quinze anos após o fim da Guerra Fria, mobilizações importantes e criativas, que se articulam em torno dos Fóruns Sociais, sugerem que o continente pode não estar condenado aos golpes de Estado, "democracias FMI", emigração e miséria.