Está aqui

Pensionistas recebem mais uma “prenda” do Ministro Mota Soares

Milhares de pensionistas foram surpreendidos por uma inédita carta da Segurança Social onde lhes era comunicada a redução da pensão.

Aos dois dias do NOVO ANO de 2012 dezenas de milhares de pensionistas foram surpreendidos por uma inédita carta da Segurança Social onde lhes era comunicada a redução da pensão que recebem daquela Instituição para metade do valor.

A incredulidade rapidamente se transformou em pesadelo quando confirmaram com os respetivos serviços que tudo aquilo era assim, mesmo assim, sem direito a reclamação ponto final.

O pesadelo de quem não sabe como irá sobreviver, pagar a renda da casa, a conta da luz que aumentou, a alimentação que também é mais cara e os medicamentos necessários para viver com qualidade mínima.

Transcreve-se o teor de uma das cartas para que melhor se perceba a real situação em que estão a ser colocadas/os estes pensionistas” Informa-se que de acordo com a informação de que dispomos, aufere actualmente uma pensão no montante de 230,24 euros paga pela Caixa Geral de Aposentações. Assim o valor actual da sua pensão no CNP, no montante de 303,23 euros, passará para o novo montante global de 188,05 euros, com efeitos a partir de 2012/01/01”

Estamos portanto a falar de quem trabalhou uma vida inteira fazendo os respetivos descontos para os dois sistemas de proteção social recebia por isso neste caso que se transcreve 533,47 euros passará a receber 418,39 euros.

Este é apenas um exemplo entre muitos dezenas de milhar porque, o que é facto é que muitos são os casos em que também são cortados a metade pensões de sobrevivência ou de acumulação com descontos de trabalho prestado noutros países.

Tudo serve para tornar a vida dos mais frágeis dos frágeis num verdadeiro inferno. Aumento dos transportes, do custo de vida, das taxas moderadoras e agora o desgraçado argumento do Ministro Mota Soares reiterado pelo Primeiro-ministro que a situação deste corte nas pensões decorre da aplicação duma lei de 2007 logo não têm qualquer responsabilidade.

Mas a hipocrisia atinge o seu auge quando é Passos Coelho, a dizer que quem fez tal maldade foram os serviços não foi o Governo. Desgraçado argumento de quem quer tratar os portugueses/as e particularmente os pensionistas como tolos.

O Ministro da Solidariedade Social que tantos e tantos discursos fez quando era oposição em defesa dos pensionistas e dos contribuintes transformou-se agora num perigo público para estes mesmos pensionistas.

Não bastou todo o embuste em torno do aumento das pensões mínimas atinge o máximo da hipocrisia com este lamentável caso.

Estas medidas demonstram bem que mesmo o débil Estado Social existente é para ser demolido. Em vez dele surgirá a mais vil e agressiva política de (des) protecção social.

Querem o regresso ao assistencialismo, à caridadezinha, aos pobres de mão estendida, de cabeça baixa, vergados pelo peso das necessidades de subsistência.

Estaremos ao lado destas pessoas lutando para que o governo tome medidas que resgatem a sua dignidade.

- Que se suspenda de imediato este processo de cortes cegos e injustos;

- Que altere duma forma clara e inequívoca a lei para acabar com a interpretação perversa da mesma de forma a repor o direito a ter direitos.

Sobre o/a autor(a)

Dirigente do Bloco de Esquerda, funcionária pública.
Comentários (1)