Está aqui

Miguel Relvas: diz que é uma espécie de Ministro

Miguel Relvas, o Ministro com a tutela da RTP e cujos negócios privados se cruzam com os interesses de quem quer comprar a televisão pública, mantém-se.

No dia 18 de Maio soubemos, pelo Conselho de Redação do Público, que Miguel Relvas tinha ameaçado o jornal e uma das suas jornalistas caso uma notícia fosse publicada. A notícia era sobre as contradições de Relvas nas respostas dadas em comissão parlamentar sobre a sua relação com um ex-agente das secretas portuguesas.

Desde esse dia ficou a saber-se que a notícia não publicada do Público apenas referia a ponta do iceberg das incongruências de Relvas. Afinal o Ministro não só conhecia há vários anos Silva Carvalho, o espião que lhe envia SMS´s e coleciona dossiers sobre a vida privada de jornalistas e proprietários de órgãos de comunicação social, como se encontrou com ele em reuniões de negócios.

Sabemos hoje que Miguel Relvas faz negócios e troca mensagens com um ex-agente das secretas que passa informação confidencial à empresa privada para onde foi trabalhar (empresa essa que quer comprar um canal de televisão) e que recolhe informação ilegalmente sobre vários cidadãos. O Ministro e o espião cruzam-se diversas vezes, tanto pessoalmente como através de um adjunto. O adjunto, depois de se saber do caso, demitiu-se. Ontem também a jornalista do Público se demitiu.

Mas Miguel Relvas, o Ministro que mentiu ao parlamento e que recusa dar explicações sobre as pressões a jornais e jornalistas, mantém-se. Miguel Relvas, o Ministro com a tutela da RTP e cujos negócios privados se cruzam com os interesses de quem quer comprar a televisão pública, mantém-se. Diz Passos Coelho que ficará enquanto quiser. Em vez de um “demito-o” é um “espero que um dia lhe apeteça demitir-se”. Que estranho voto de confiança. Que farsa tudo isto. A cada dia mais insustentável.

Sobre o/a autor(a)

Coordenadora do Bloco de Esquerda. Deputada. Atriz.
Comentários (1)