Está aqui

Em defesa do Governo Regional dos Açores

Para tranquilizar os espíritos que terão ficado inquietos com o título deste artigo, refiro-me ao órgão de governo próprio Governo Regional e não especificamente ao atual Governo em funções, da responsabilidade do PSD, do CDS e do PPM, apoiado no parlamento pelo CH e pela IL.

A instituição Governo Regional precisa de defesa neste momento porque se encontra sob ataque de centralistas que usam a sua posição para chantagear o Governo em funções.

Quando os partidos que integram esse governo permitem que a instituição Governo Regional seja utilizada como arma para a escalada política da extrema-direita, então os democratas e autonomistas não podem calar a sua voz. Há quem diga que essas ameaças são só conversa, mas as palavras pesam e não podem ser ignoradas quando tratam a autonomia regional como clube de bairro.

É confrangedor que os partidos que integram o Governo Regional permitam que o futuro deste órgão de governo próprio da região seja tratado nos passos perdidos da Assembleia da República, no intervalo da tarde.

O PSD, partido fundador da autonomia e com pergaminhos de autonomista, há muito que deixou de ser elemento de vanguarda da autonomia mas agora, com a cedência à extrema-direita anti-autonomista e com o seu silêncio perante este desrespeito pela região, enterrou definitivamente a bandeira autonómica. O PSD e os parceiros de coligação, alguns com pretensões federalistas, converteram-se em amanuenses da extrema-direita e da sua tentativa de se tornar indispensável à direita.

Na esperança de que a boçalidade da extrema-direita nos Açores leve ao seu descrédito, o PSD continua estender-lhes a passadeira que abriu com o acordo que firmaram com ela, correndo o risco de serem engolidos pela criatura que ignoram uns dias e aplaudem noutros.

É também confrangedor o silêncio dos históricos pais da autonomia, lestos em recordar as históricas lutas autonómicas de outrora mas pouco atentos aos insultos à autonomia da atualidade. Se noutras ocasiões se guerreou por bandeiras, hoje calam-se perante a chantagem lançada nos passos perdidos pelo líder nacional do Chega, que ameaçou fazer cair o Governo Regional dos Açores se não vir atendida a sua pretensão de participar numa coligação nacional, nas próximas autárquicas, ao lado do PSD e do CDS.

Não é o PSD e o seu futuro que me preocupa, mas sim o futuro dos Açores, que tem um Governo que aceita de bom grado chantagens de quem despreza a autonomia. Contra esses, luto com toda a convicção para não deixar a autonomia ser arrastada pela lama.

Sobre o/a autor(a)

Deputada do Bloco de Esquerda na Assembleia Regional dos Açores e Coordenador regional do Bloco/Açores
(...)