Está aqui

Desavessar o mundo

A luta por desavessar o mundo é a luta de sempre das esquerdas. Denunciando como parte desse mundo às avessas o discurso das direitas sobre o que está às avessas.

Eduardo Galeano começa o seu inesquecível “Patas arriba. La escuela del mundo al revés” assim: “Há cento e trinta anos, depois de visitar o país das maravilhas, Alice entrou no espelho para descobrir o mundo às avessas. Se Alice renascesse nos nossos dias, não necessitaria de atravessar nenhum espelho, bastaria assomar à janela.”

A denúncia do mundo às avessas tem sido a fonte das utopias políticas. Os/as grandes mestres do desassossego foram aqueles/as que nos mostraram como a realidade de cada momento da História é o avesso do que devia ser se as sociedades parassem para pensar e tivessem a lucidez e a coragem de se analisarem criticamente. No século XX, os discursos de emancipação enunciados pela esquerda foram os que mais fortemente usaram a denúncia de um mundo às avessas. O discurso socialista denunciou como mundo às avessas aquele em que uma pequena minoria faz assentar o seu poder sobre a exploração e a dominação da grande maioria, em que o capital económico e simbólico se sobrepõe ao trabalho. O discurso feminista denunciou como mundo às avessas aquele em que as mulheres são atiradas para a invisibilidade ou para um estatuto menor, em favor dos homens e do universo de referências que naturalizam o seu domínio. O discurso ambientalista denunciou como mundo às avessas aquele em que o sistema económico e político teimam em viver da predação dos recursos e em atirar a humanidade inteira para o desastre quando ele é já presente e não só eventualidade. O discurso anti-racista denunciou como mundo às avessas aquele que, bebendo nas raízes colonialistas e esclavagistas, perpetua no presente a discriminação de alguns em função da cor da sua pele ao mesmo tempo que proclama a universalidade dos direitos humanos.

O inverso desses mundos às avessas denunciados pelas esquerdas é um mundo regido pela somo positiva da igualdade com a diferença, pela justiça, pelo primado do trabalho sobre o capital, pelo respeito pela natureza.

O nosso tempo é de disputa intensa, pela direita, dessa denúncia de mundos às avessas. O que a extrema direita está a fazer por todo o lado é a denunciar como estando às avessas o mundo em que se protegem os pobres, se favorece a emancipação das mulheres, se combate a discriminação racial, se leva a sério que a dignidade de todos/as é o princípio dos princípios. E usa para isso os mais hábeis estratagemas para convencer as massas de que está ás avessas aquilo que está certo.

Sim, a luta por desavessar o mundo é a luta de sempre das esquerdas. Denunciando como parte desse mundo às avessas o discurso das direitas sobre o que está às avessas.

Artigo publicado no diário “As Beiras” a 1 de fevereiro de 2020

Sobre o/a autor(a)

Deputado e Vice-Presidente da Assembleia da República. Dirigente do Bloco de Esquerda, professor universitário.
(...)