Está aqui

Greve dos professores é um grito de esperança

Esta Greve de Professores será, uma grande lição que damos aos nossos alunos, é a lição da coerência e verticalidade de quem pratica o que ensina.

Hoje sinto-me muito cansada, fisicamente claro, a semana foi difícil! Foi a última semana de aulas, com toda a tensão que naturalmente já costuma ter, mas acrescentada pela luta, pela pressão de quem não nos quer em luta, de quem viola as determinações do tribunal arbitral, de quem governa fora da lei!

Há uma semana que os professores fazem greve às avaliações, sucedem-se dentro das escolas os comunicados das direções, que por esta via cumprem ordens ministeriais de quem, em plano inclinado, está à frente da pasta da educação e que pensava que um pouco de charme e alguma fama televisiva, limitariam a voz dos professores. Enganou-se Nuno Crato!

Os professores aguentaram até onde lhes foi possível, mas perante a dualidade de discurso, perante a ignomínia do desrespeito pelo trabalho que é feito por quem diariamente cuida dos filhos deste país, ergueram-se, zangaram-se mesmo, e não estão disponíveis a deixarem, sem fazerem muita luta, destruir o património do povo português, um dos pilares fundamentais da democracia e da liberdade, a Escola Pública!

Prova disto foi a magnífica manifestação de ontem que trouxe mais de metade da classe de docente em protesto a Lisboa, gritando palavras como “Demissão” ou “É hora, é hora, do Crato ir embora”! Vieram depois da semana difícil, com a força de quem sabe que tem razão, de quem não desiste, de quem não se resigna! Foi um grito de esperança que ecoou pelo país!

Desenganem-se os que pensam, quais moralistas intimidadores, que somos irresponsáveis porque convocámos uma greve que coincide com um dia de exames, pois é precisamente o contrário! A responsabilidade de quem ensina é tornar aqueles que lhes são entregues cidadãos conscientes do mundo que os rodeia, fazer-lhes sentir o respeito pelo outro como regra fundamental de estar em sociedade, ora se permitirmos a desqualificação total, o livre arbítrio à margem do funcionamento das instituições, que respeito poderemos esperar de todos e todas, mas sobretudo dos nossos discentes?

Esta Greve de Professores será pois, mais uma grande lição que damos aos nossos alunos, é a lição da coerência e verticalidade de quem pratica o que ensina e que em nome da causa pública se ergue para defender o que é de todos e de todas, a liberdade de ensinar e aprender, em defesa da Escola Pública!

Sobre o/a autor(a)

Vereadora do Bloco de Esquerda na Câmara Municipal da Amadora. Professora aposentada. Dirigente sindical.
(...)