Está aqui

Boaventura Sousa Santos

Sociólogo, professor universitário

Artigos do Autor(a)

2 de Setembro, 2019 - 22:02h

Immanuel Wallerstein soube combinar de forma brilhante a objectividade científica e o compromisso com os deserdados da terra, uma atitude que sempre procurou incutir em todos nós. Por Boaventura de Sousa Santos.

27 de Agosto, 2011 - 11:42h

Voltou a ser urgente reconstruir as esquerdas para evitar a barbárie. Como recomeçar? Eis uma lista de nove ideias.

8 de Maio, 2011 - 16:41h

A crise só deixa de ser destrutiva caso se transforme em oportunidade nova para as classes sociais que mais sofrem com ela. E, para isso, é necessário que os termos da crise sejam redefinidos de modo a libertar e a credibilizar a possibilidade de resistência.

9 de Abril, 2011 - 11:10h

Poderá surgir em Portugal algum adversário credível que impeça que um país seja levado à bancarrota pelas agências de rating?
 

12 de Março, 2011 - 02:44h

Celebrou-se esta semana o Dia Internacional da Mulher. Os dias ou anos internacionais não são, em geral, celebrações. São modos de assinalar que há pouco para celebrar e muito para denunciar e transformar. 

13 de Fevereiro, 2011 - 11:49h

Vista do Fórum Social Mundial, a crise do Norte de África significa o colapso da segunda fronteira da Europa desenvolvida. A primeira é constituída pela Grécia, Portugal, Espanha e Irlanda. Com as duas fronteiras em crise, o centro torna-se frágil.

15 de Janeiro, 2011 - 10:20h

O nervosismo dos mercados é um conjunto de especuladores financeiros, dominados pela vertigem de ganhar rios de dinheiro com a bancarrota do nosso país. 

17 de Dezembro, 2010 - 13:19h

O importante é sabermos divulgar que muitas das decisões de que podem resultar a morte de milhares de pessoas e o sofrimento de milhões são tomadas com base em mentiras e criar a revolta organizada contra tal estado de coisas.

20 de Novembro, 2010 - 00:44h

Para os que neste momento controlam o sistema financeiro é prioritário que os trabalhadores deixem de exigir uma parcela decente do rendimento nacional, e para isso é necessário eliminar todos os direitos que conquistaram depois da Segunda Guerra Mundial.

22 de Outubro, 2010 - 23:00h

Manteve as liberdades mas destruiu as possibilidades de serem efectivamente exercidas e instaurou um regime de democracia política combinado com fascismo social. Por isso pode ser designada como “ditamole”.

Páginas