Está aqui

Naomi Klein

Jornalista canadiana, escritora e activista dos movimentos alter-globalização.

Artigos do Autor(a)

13 de Novembro, 2016 - 16:06h

Uma agenda de esquerda potente e intersectorial pode dirigir a indignação para o sítio certo.

24 de Novembro, 2015 - 14:25h

Ao proibir os protestos na COP21, Hollande está a silenciar aqueles que vão enfrentar os piores impactos das alterações climáticas e a sua violência monstruosa.

21 de Outubro, 2014 - 00:02h

Ao deixar cair a Shell, a Lego mostra novas formas de atingir os lucros astronómicos das indústrias de combustíveis fósseis

16 de Outubro, 2011 - 02:26h

“Porque estão eles a protestar?”, perguntam-se os confusos comentadores da TV. Enquanto isso, o mundo pergunta: “porque vocês demoraram tanto? A gente estava a querer saber quando é que vocês iam aparecer.” E, acima de tudo, o mundo diz: “bem-vindos”.

11 de Outubro, 2011 - 00:10h

“Porque estão eles a protestar?”, perguntam-se os confusos comentadores da TV. Enquanto isso, o mundo pergunta: “porque vocês demoraram tanto? A gente estava a querer saber quando é que vocês iam aparecer.” E, acima de tudo, o mundo diz: “bem-vindos”.

21 de Agosto, 2011 - 01:22h

Leio comparações entre os tumultos em Londres e em outras cidades europeias – montras partidas em Atenas, carros incendiados em Paris. E há paralelos, sem dúvida: uma fagulha lançada pela violência policial, uma geração que se sente esquecida. Esses acontecimentos foram marcados por destruição em massa, com poucos saques.

1 de Maio, 2010 - 01:00h

A Bolívia está em meio a uma dramática transformação política, que nacionalizou indústrias e elevou como nunca as vozes indígenas. Mas as suas geleiras andinas estão a derreter a uma velocidade alarmante, ameaçando o fornecimento de água em duas de suas principais cidades.

23 de Abril, 2010 - 16:55h

Carta Aberta aos Estudantes de Berkeley sobre a sua Declaração Histórica de Desinvestimento em Israel.

14 de Março, 2010 - 00:00h

Desde que a desregulação causou um desastre económico mundial em Setembro de 2008, toda a gente se tornou outra vez Keynesiana, e não tem sido fácil ser um seguidor fanático do economista Milton Friedman. O seu símbolo fundamentalista de mercado livre está amplamente desacreditado e os seus seguidores tornaram-se cada vez mais desesperados para reclamar vitórias ideológicas, apesar de rebuscadas.

26 de Fevereiro, 2010 - 00:00h

Se acreditamos nos Ministros das Finanças do G-7, então o Haiti está a caminho de receber algo que já merecia há muito tempo: o "perdão" da sua divida externa. Em Port-au-Prince, o economista haitiano Camille Chalmers tem seguido estes acontecimentos com um optimismo cauteloso.

Páginas