You are here

Esquerda com Memória

28 de maio de 1926: Como o republicanismo liberal cedeu lugar à ditadura nacional

May 28, 2021

O poder político democrático foi entregue pelo Presidente Bernardino Machado ao almirante Mendes Cabeçadas, um liberal que acreditava na regeneração da República, mas que não reuniu as condições político-militares para realizar o projeto político a que se propôs – “uma ditadura temporária regeneradora”. Por Luís Farinha.

Salgueiro Maia - Das guerras em África à Revolução dos Cravos

May 18, 2021

No cemitério de Castelo de Vide há um túmulo simples, bem iluminado pelo sol, de costas para o verde da Serra de S. Mamede: a sepultura do “Capitão de Abril” Fernando José Salgueiro Maia. Por Moisés Cayetano Rosado (Historiador).

Louise Michel e os 150 anos da Comuna de Paris

May 2, 2021

Louise Michel foi uma das figuras-chave da Comuna de Paris, esses 72 dias de revolução, de poder do povo e de verdadeira democracia, reprimida com sangue pela oligarquia. No livro “Mémoires”, dá o seu testemunho de lutadora incansável pelas causas emancipatórias do seu tempo. Por Álvaro Arranja.

Bairro SAAL Quintinha da Liberdade em Alcácer do Sal

Bairros SAAL: frutos da Revolução

May 1, 2021

Inspirado em movimentos populares de moradores sem teto de países da América Latina, o Programa SAAL visava promover bairros para dezenas de milhar de famílias especialmente abandonadas pelo regime fascista. Por Jaime Pinho.

Como o desconfinamento do povo de Lisboa deu início à revolução

April 25, 2021

“Quando a rua se fez rio", porque o povo de Lisboa corria nela como a água de diques rebentados, a Emissora Nacional já tinha difundido pelo menos três apelos dos capitães de Abril para toda a gente ficar em casa. Mas a hora não era, não podia ser, de confinamento. Por António Louçã.

A libertação dos presos políticos na revolução de Abril

April 24, 2021

A repressão da polícia política, com milhares de presos, muitos dos quais torturados ou mortos, foi um elemento decisivo para garantir a longa duração da ditadura. Abrir as cadeias da polícia política marcava a rotura definitiva com o passado… Por Álvaro Arranja.

21 de abril de 1961: Os primeiros soldados partem para a guerra a bordo do Niassa

April 21, 2021

Há exatamente 60 anos, mais de 2.000 soldados rumavam a Luanda. Foram combater um inimigo que não era o seu, por uma pátria que os transformou em carne para canhão. Texto de Mariana Carneiro e fotos de Fernando Mariano Cardeira.

Bento de Jesus Caraça, um homem que abençoava as ilusões

April 18, 2021

Nascido a 18 de abril de 1901, em Vila Viçosa, deixará uma obra invulgar. E uma invulgar saudade. Porque muitos foram os que o amaram nesse tempo de cruzamento de cumplicidades, de militâncias e de amizades. E mais ainda os que o admiraram. Por Helena Neves.

Corpos Presos, Corpos Livres

April 17, 2021

Todas as pessoas na Palestina são, de uma forma ou de outra, prisioneiras. Todavia, o dia 17 de Abril é dedicado especificamente às pessoas encarceradas nas prisões militares israelitas por razões políticas. Por Shahd Wadi.

José Fernandes Alves.

Marxismo em Portugal: o contributo de José Fernandes Alves

April 6, 2021

Redator de jornais operários, tradutor e divulgador do marxismo, a ele se deve a primeira edição do Capital de Marx, em folhetim em A Voz do Operário. Feminista, também publicou A mulher e o socialismo de August Bebel. E, enquanto militante, usou o marxismo como referência teórica na sua ação. Por Luís Carvalho.

Há 50 anos: O julgamento de Joaquim Pinto de Andrade

April 5, 2021

Há 50 anos, 30 de Março de 1971, chegava ao fim, no Tribunal Plenário da Boa Hora – 4º Criminal de Lisboa – o julgamento de dez pessoas acusadas de apoio ao MPLA, Movimento Popular de Libertação de Angola. Por Diana Andringa.

Manuela de Azevedo.

Em 1936, Manuela de Azevedo defendia o direito à eutanásia, “a morte libertadora”

March 25, 2021

A primeira mulher a ter carteira profissional de jornalista tinha 24 anos e vivia em Viseu quando escreveu o artigo “Matar por piedade”. A peça enviada para o jornal República, datada de 25 de março de 1936, foi barrada pelos Serviços de Censura da ditadura. Por Mariana Carneiro.

Os Três Caminhos de Álvaro Cunhal - Notas Breves sobre a História do PCP

March 20, 2021

Três caminhos que marcaram, tanto no plano interno como no plano internacional, o que seria o perfil político e ideológico do PCP no pós Segunda Guerra Mundial, durante a clandestinidade, mas seguramente além dela. Por Fernando Rosas.

15 de março de 1961: A UPA e a revolta no norte de Angola

March 15, 2021

Os acontecimentos que abalaram o Norte de Angola em 1961 representaram um ponto de não retorno na perceção do que se passava nas colónias portuguesas e nas relações entre colonizadores e colonizados. Por Maria da Conceição Neto.

Álvaro Lins em 1964.

Álvaro Lins – O embaixador brasileiro que enfrentou Salazar

March 10, 2021

Prestes a ser preso pela PIDE, em 12 de janeiro de 1959, Humberto Delgado pede asilo na Embaixada do Brasil. Álvaro Lins é o embaixador brasileiro que enfrenta as pressões de Salazar e as hesitações do seu governo, protegendo o General Sem Medo. Por Álvaro Arranja.

9 de março de 1916: Declaração de guerra da Alemanha a Portugal

March 9, 2021

Os democráticos, liderados por Afonso Costa e por uma elite militar onde avultava a figura do general Norton de Matos, foram os principais responsáveis pela intervenção de Portugal na Primeira Grande Guerra. Por Luís Farinha.

110 anos depois, o jornal “O Negro” em versão online gratuita

March 9, 2021

A 9 de março de 1911 era lançado em Lisboa o jornal “O Negro: Órgão dos Estudantes Negros”. Os três números desta publicação foram reeditados em papel e estão disponíveis uma versão online gratuita.

8 de Março: uma Luta, uma Mulher

March 8, 2021

Que vivências, que memórias de lutas colectivas conduziram a este momento – 8 de Março de 1857, Nova Iorque, operárias têxteis nas ruas?. Por Helena Neves.

Notícia do jornal “A Batalha” da assembleia de fundação do Partido Comunista Português – avante.pt

O PCP foi fundado há 100 anos

March 6, 2021

O Partido Comunista Português é considerado um caso único na história do movimento operário internacional. A sua fundação não resulta de um poderoso movimento de massas, nem de uma cisão do Partido Socialista. Por João Vasconcelos

Raul Neves Dias. Foto : A Voz do Operário.

O sindicalista Raul Neves Dias, fundador do jornal A Batalha

March 3, 2021

Operário gráfico, fundador e dinamizador de vários jornais operários, Raul Neves Dias foi militante do antigo Partido Socialista Português e marxista. O que ilustra a diversidade e complexidade do movimento sindical português no período da 1ª República. Por Luís Carvalho.

A fundação do diário operário “A Batalha”

February 23, 2021

Na Conferência Operária de Lisboa, em 1917, o militante anarcossindicalista Raul Neves Dias fez uma proposta para a criação de um jornal operário diário, a qual foi aprovada. Só em 23 de fevereiro de 1919 surgiu esse diário sindicalista com o título de A Batalha. Por João Vasconcelos.

"Portugal e o Futuro"

February 22, 2021

Um livro “proibido” do general António de Spínola com parecer favorável do general Costa Gomes. A publicação de Portugal e o Futuro, em 22 de fevereiro de 1974 – a dois meses do “25 de Abril”, desencadeou um terramoto no regime. Por Luís Farinha.

O Manifesto e o resto

February 21, 2021

Marx e Engels tinham 29 e 27 anos, respetivamente, quando marcaram a história do mundo com a força material que o Manifesto projetou no movimento operário, de milhões e milhões de trabalhadores e intelectuais que desfraldaram o curso do marxismo como bandeira de emancipação em revoluções ganhas e perdidas. Por Luís Fazenda.

90 anos do Avante!

February 15, 2021

Em 15 de fevereiro de 1931, o Avante! aparecia a público com uma linguagem ainda longe de incorporar a doutrina marxista-leninista em toda a sua plenitude. Por Luís Farinha.

13 de fevereiro de 1965: O assassinato do general Delgado

February 13, 2021

O assassinato a sangue frio do general Humberto Delgado por uma brigada da PIDE, chefiada pelo inspetor Rosa Casaco, ficou para a história do fascismo português como o mais hediondo crime – senão comandado, pelo menos consentido – pelo ditador Oliveira Salazar. Por Luís Farinha.