Está aqui

França de novo em greve geral

Paralisação contra o aumento da idade da reforma deve atingir os transportes, energia, administração pública e telecomunicações. Convocadas 244 manifestações em todo o país.
Manifestante ironiza a políitica do governo sovre as reformas. Foto da Phototeque du mouvement social

Bernard Thibault (CGT) já afirmou que esta é a maior jornada de mobilização contra o aumento da idade das reformas. François Chérèque (CFDT) confirma: as manifestações, segundo ele, “são sensivelmente mais importantes que das últimas vezes”.

A França está a realizar esta terça-feira uma nova jornada de greve geral e de mobilizações em todo o país – estão previstas 244 manifestações – contra o aumento da idade da reforma, um dia depois de a lei do governo Sarkozy ter sido aprovada no Senado por 174 votos contra 159.

Muitos dos pré-avisos de greve para esta terça, nomeadamente no sector dos transportes, são renováveis, isto é, as paralisações podem estender-se para os dias seguintes. É o caso do pré-aviso do sector ferroviário, apresentado por todos os sindicatos do sector, e o do metro e comboios suburbanos de Paris. Os motoristas assalariados do transporte de carga também devem fazer greve, assim como os portuários.

Os sindicatos da Air France convocaram uma greve de 24 horas. O sector de energia também deve paralisar, incluindo as refinarias da petrolífera Total e as empresas de electricidade e de gás. O sindicato CGT-energia prevê a realização de cortes de electricidade e quedas de carga.

Na administração pública, paralisam as escolas primárias e secundárias, e alguns sindicatos estudantis apelam à participação ao lado dos trabalhadores nas manifestações. Magistrados e guardas prisionais também devem fazer greve.

Os sindicatos da France Televisions também apresentaram pré-aviso de greve, o mesmo ocorrendo nos correios e na France Télécom.

Senado aprova

Entretanto, na noite de segunda, o Senado aprovou o projecto do governo que amplia a idade da reforma de 60 para 62 anos, e de 65 para 67 no caso das reformas sem penalização. Foram aprovadas algumas excepções não previstas quando na votação na câmara de deputados, como os pais de três filhos que tenham reduzido a actividade profissional por causa dos filhos e os pais de crianças deficientes.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional

Adicionar novo comentário