Está aqui

Schäuble: jovens desempregados do Sul deviam vir para a Alemanha

Em entrevista televisiva este domingo, o ministro das Finanças defende que os jovens desempregados do Sul da Europa deviam aceitar os contratos de formação em empresas alemãs, que oferecem os salários mais baixos.
Wolfgang Schäuble em entrevista à ARD

A sangria da austeridade fez disparar o desemprego e a emigração nos países do Sul da Europa. Mas para o ministro alemão, a solução para o desemprego jovem é a emigração dos jovens para o seu país, em troca de contratos de formação profissional.

“Eu já digo há muito tempo e não percebo. Por que é que os jovens que procuram formação no sul da Europa não veem para a Alemanha? Na Alemanha as empresas estão desesperadas à procura de formandos e inglês qualquer pessoa pode aprender. Isto era possível”, afirmou Schäuble ao canal ARD, quando questionado sobre o que pensa fazer para combater o elevado desemprego jovem na Europa, e em particular nos países do Sul.

“Podia fazer-se isto de forma muito mais flexível. Fazemos grandes anúncios europeus, mas não conseguimos [trazer] umas dezenas de milhares de jovens de países do sul da Europa, onde o desemprego jovem é elevado”, prosseguiu Schäuble, referindo-se aos contratos de formação – semelhante aos estágios com formação profissional – que estão generalizados na Alemanha.

“Eles [jovens] têm que ser mais móveis e flexíveis. Viajam pelo mundo inteiro, os estudantes estudam por toda a Europa. Por que é que não podemos fazer o mesmo com os formandos?”, questionou Schäuble, lembrando que as empresas alemãs têm falta de mão de obra para estes contratos de formação, que são remunerados com valores abaixo dos contratos de trabalho.

Finanzminister Wolfgang Schäuble im Interview mit Tina Hassel, ARD Bericht aus Berlin

Termos relacionados Internacional

Comentários

Portanto, o que concluo através deste artigo é que o Dr. Schauble sugere que nós, jovens do sul da Europa, sejamos a mão-de-obra barata da UE. Um país de 3º Mundo no meio de uma Europa de 1º.
Onde está a resposta portuguesa?

Portanto você defende que os jovens Portugueses andem por cá sem terem trabalho?
Mão de obra barata na UE e na Europa abunda. Nos países que entraram em 2004 para a UE, grande parte deles têm ordenados de 300€ e 12 meses por ano. E por lá o custo de vida também é caro. Conheço bem esses países.
Portugueses sempre foram explorados, desde o tempo da Mala de cartão.
E nós o que fazemos aos Ucranianos, Moldavos, Romenos e Russos?
É a face negra do capitalismo...

Se esse desafio é real, não será de facto uma oportunidade de os jovens desempregados tomarem contato com outros processos de aprendizagem, cultura empresarial, outros povos?

Se o senhor Schauble fosse um europeísta solidário, não tentava aliciar os jovens do sul para serem mão d'Obra barata na Alemanha, mas incentivava as empresa alemãs que necessitam urgentemente de trabalhadores especializados a estabelecerem-se em Portugal, Espanha, Grécia ou Itália. O sucesso da Auto Europa não está patente nas memórias recentes do Dr. Schauble, pois entra em choque com a sua ideologia neo liberal e neo nacionalista.

Adicionar novo comentário