Está aqui

Relvas e Franquelim passam empresas para nome das filhas

Com apenas uma semana de intervalo, o Ministério da Justiça publicou a transferência da propriedade das empresas do ministro-adjunto e do recém-nomeado Secretário de Estado do Empreendedorismo, vindo do grupo do BPN. Miguel Relvas e Franquelim Alves entregam a gerência da Integrabalance e da New Finance às filhas de 28, 24 e 21 anos de idade.
Miguel Relvas e Franquelim Alves são dois dos mais contestados membros do Governo português.

Franquelim Alves era o sócio-gerente da New Finance - Sociedade de Gestão de Investimentos financeiros e assessoria estratégica e de gestão, Lda. No meio da polémica sobre a entrada no Governo  do ex-administrador da Sociedade Lusa de Negócios, que participou nas gestões lideradas por Oliveira e Costa, Abdool Vakil e Miguel Cadilhe, o Ministério da Justiça publicou no passado dia 12 a cessação de funções de Franquelim Alves. Curiosamente, a decisão de Franquelim surge com a data de 12 de fevereiro, mas do ano passado, tendo demorado exatamente um ano a ser publicada na base de dados de atos societários do Ministério da Justiça.

Para o lugar de Franquelim Alves na gerência da New Finance entram as suas duas filhas, com 28 e 24 anos, segundo o registo publicado no passado dia 8 de janeiro, mas com a mesma data de deliberação da cessação das funções de Franquelim.

No caso de Miguel Relvas, a transferência da sua quota única na empresa Integrabalance, Unipessoal Lda. para a filha, de 21 anos, demorou menos de duas semanas a ser publicada pelo Ministério da Justiça. Quando entrou no Governo, Relvas tinha avaliado o património da Integrabalance em 246 mil euros na sua extensa declaração de rendimentos ao Tribunal Constitucional. No passado dia 25 de janeiro passou a quota para o nome da filha e renunciou aos órgãos sociais da empresa, vendo essa alteração publicada no site do Ministério no dia 6 de fevereiro.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política

Comentários

DEPOIS DE LER ESTA NOTICIA NADA MAIS HÁ A DIZER; TUDO SE APRESENTA MAIS CLARO QUE ÁGUA TRANSPARENTE; NESTES SRS SIM MUITA FALTA DE TRANSPARÊNCIA,SERÁ Q TEEM ALGO A ESCONDER E ESTÃO C MEDO??????

SINCERAMENTE NÃO COPREENDO ESTE POVO DE QUE ESTÃO A ESPERA PARA LANÇAR ESTES FACINORAS MENTIROSOS! PELA BOIRDA FORA!!!!VAMOS TODOS PARA A RUA PARA OS PALACIOS PARA OS COLOQUIOS PARA A PORTA DELES POIS ISTO NAO PODE CONTINUAR..............E AINDA COM 1 PRESIDENTE A ASSISTIR IMPAVIDO E SERENO, JÁ QUE ELE NÃO HAJE TEREMOS QUE HAJIR TODOS.

Este nosso povo, tambem tem de ser responsabilizado.
DURANTE 48 ANOS DEIXARAM UM DITADOR NO PODER, FOI DERRUBADO. DEPOIS VIERAM OS DESVARIOS E O ESQUECIMENTO,HOUVE QUEM TENTASSE FAZER-NOS ESQUECER, PARA CHEGAR-MOS AO PONTO ATUAL. OS GOVERNOS PROMETEM UMA POLITICA ,E DEPOIS FAZEM OUTRA. CHAMADO O CONTO DO VIGÁRIO. E ELES AÍ ESTÃO . OLHEM-NOS BEM, PARA SE HOUVER "QUIÇÁ " UM NOVO ABRIL.

Pois se trata de uma doação (a umas testas de ferro !!!) e para isso é preciso pagar o IRC sobre doações, ou seja fazer a avaliação das empresas com um Revisor Oficial de Conta e pagar o respectivo imposto. O que não foi feito, naturalmente !!! O que é que faz o fisco !!!

Adicionar novo comentário