Está aqui

Alunos dos colégios privados têm piores notas na Universidade

Um estudo realizado pela Universidade do Porto indica que a classificação de entrada nas universidades não permite antever corretamente o desempenho académico e que os alunos provenientes das escolas públicas têm, em média, melhores notas na faculdade. Reitor do Porto diz que é urgente alterar sistema de acesso.

Contrariando anos e anos de argumentos invocados pelas escolas privadas que apresentam melhores notas nos rankings dos exames do ensino secundário, um estudo da universidade do Porto conclui que não só a classificação de entrada tem uma diminuta relação com o desempenho académico na Faculdade, como os alunos provenientes das escolas secundárias públicas apresentam, em média, muito melhores notas à saída da Universidade.

Analisando o percurso dos alunos que entraram, pelo regime geral, na Universidade do Porto em 2008/2009, o estudo selecionou o grupo dos 10 por cento com melhor desempenho ao fim de três anos. As diferenças entre estes 224 alunos revelam disparidades significativas entre os estudantes das escolas públicas e privadas. Por cada 100 alunos procedentes de escolas públicas, e com mais do que 135 unidades de crédito concluídas, 12,5 estão entre os 10 por cento com melhores resultados, um número que desce abruptamente para 7,58 quanto se trata de escolas privadas.

A Universidade do Porto apresenta mesmo o exemplo das duas escolas que mais alunos colocaram na instituição em 2009/2009: o Externato Ribadouro, privado, com 154 alunos, e a Escola Secundária Garcia da Orta, pública, com 114. Três anos passados, o Ribadouro tem 5 alunos no grupo dos estudantes com melhores notas, enquanto a Garcia da Horta tem 14.

Mas não é apenas entre os estudantes que estão a acabar o curso que as diferenças entre alunos que vêm de escolas públicas e privadas são estatisticamente significativas. Em qualquer dos três critérios estudados (estudantes admitidos, que não saíram ao fim dos três anos - por abandono ou recandidatura - e estudantes que concluíram mais do que 135 unidades de crédito), os alunos provenientes das escolas públicas apresentam melhores indicadores.

A disparidade, em favor do ensino público, acentua-se ainda mais nos cursos de medicina ministrados na Universidade do Porto (ICBAS e FMUP). A escola que mais alunos (60) colocou nestes dois cursos foi, novamente, o Externato Ribadouro, mas apesar desta escola privada ter quinze vezes mais alunos a entrar em Medicina que o Garcia da Horta (4), apresentam as duas o mesmo número de alunos entre os 10 por cento com melhores notas – 1 estudante cada.

Os números apresentados, e que também indicam que os alunos que escolhem um curso em 2.ª ou 3.ª opção apresentam um pior rendimento, levam o reitor da Universidade do Porto a considerar que é preciso repensar o modelo de acesso. "Precisávamos que os jovens fossem escolhidos de outra maneira, que deixassem os dezanoves e os vintes e se privilegiasse o cidadão, assim como necessitávamos de um novo modelo de ensino e de um número de alunos mais reduzido para fazermos muito bem o nosso trabalho", declarou Agostinho Marques.

Como "os alunos com notas superiores a 16 saem muitas vezes com médias de 13, 14 e que aparecem estudantes que entram com média de doze e obtêm classificações de 16 e 17", para o reitor da Universidade do Porto, é preciso "perceber o que é que estas classificações de entrada significam, não só para a Medicina, mas para todo as outras áreas".

No final do primeiro ano, 748 dos 4280 estudantes admitidos na Universidade do Porto desistiram (17 por cento dos que entraram na Universidade) e, no final do terceiro ano, o número subiu para 954 - 22 por cento do total dos alunos.

Um em cada dois dos alunos que entraram na Universidade do Porto em 2008/2009, fizeram-no com uma média de acesso igual ou superior a 16,5 valores. A maioria dos 2091 estudantes com notas mais elevadas são mulheres, 57,4 por cento. Apenas 57 estudantes, 1,3 por cento do total de admitidos, tinham mais de 25 anos.
 

Termos relacionados Sociedade

Adicionar novo comentário