Está aqui

José Castro

Jurista. Membro da Concelhia do Porto do Bloco de Esquerda

Artigos do Autor(a)

28 de Dezembro, 2017 - 21:46h

A greve dos pilotos da Ryanair baseados na Alemanha que teve lugar na madrugada do dia 22 de dezembro, é um acontecimento muito relevante na história das relações laborais entre aquela companhia de aviação “baixo custo” e o pessoal de voo.

4 de Setembro, 2017 - 16:13h

Em Portugal, nem metade dos municípios subscreveram o Pacto de Autarcas, o que dá uma imagem do atraso na resposta local à situação ambiental e do longo caminho a percorrer.

28 de Fevereiro, 2017 - 00:03h

A venda pelo fundo Apollo, atual dono da seguradora Tranquilidade, de mais de 80 imóveis em Lisboa e Porto, vem confirmar a natureza predadora dos fundos conhecidos como “private equity”.

22 de Fevereiro, 2017 - 00:04h

O Aeroporto do Porto, apesar de movimentar um número crescente de passageiros (9 milhões em 2016), está perante a maior ameaça de sempre à sua consolidação como infraestrutura aeroportuária de referência no noroeste peninsular.

16 de Janeiro, 2017 - 17:38h

Com o novo governo e após a reversão do processo de privatização, deu-se uma grande mudança para melhor, mas ainda há muito para fazer. Por José Castro.

7 de Outubro, 2016 - 23:30h

Os últimos dados da Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) sobre os acidentes de trabalho comunicados até ao mês de setembro, indicam que o distrito do Porto continua a ser o campeão da sinistralidade laboral.

24 de Agosto, 2016 - 22:02h

A aviação civil está a atravessar tempos de grande turbulência. Não resulta de qualquer evento climático. Tem uma razão bem mais próxima: dinheiro, muito dinheiro.

9 de Junho, 2016 - 14:55h

A Comissão Europeia volta a insistir na necessidade de “medidas estruturais” na saúde e na segurança social. Não é de agora a pressão das instituições da UE para desmantelar o SNS e a segurança social.

18 de Maio, 2016 - 23:33h

Os seus nomes não constam dos “Papéis do Panamá”, mas as 50 maiores empresas norte-americanas esconderam nos paraísos fiscais mais de um bilião de euros, só entre 2008 e 2014.

17 de Abril, 2016 - 18:54h

Não estava escrita, mas era uma regra seguida pelos banqueiros nos EUA. Pagar 3% de juro aos depositantes, cobrar 6% de juros pelos empréstimos concedidos e às 3 da tarde ir para o campo de golfe gozar os rendimentos assim obtidos.

Páginas