Está aqui

Celtejo: quando o crime compensa | ESQUERDA.NET

Celtejo: quando o crime compensa

A maioria dos resíduos que poluíram o rio Tejo no final de janeiro vieram da Celtejo, uma empresa de celulose que já fez várias descargas ilegais no rio. A empresa processou o ativista ambiental Arlindo Marques, exigindo-lhe 250 mil euros, por este ter denunciado as descargas. O governo obrigou a Celtejo a reduzir a produção durante 40 dias apenas. Para a Celtejo, o crime compensa.

Páginas

Páginas

Páginas