Europeias 2014

Durante a passagem da campanha pelo Algarve, Marisa Matias e Cecília Honório defenderam contratos de trabalho dignos para os nadadores-salvadores da SUESTE, afetados pela precariedade em vésperas da abertura de nova época balnear.

Durante um jantar/comício que reuniu mais de 300 pessoas em Almada, Marisa Matias frisou que "a menos de 100 horas" das europeias de domingo, "ninguém deu pela salvação do país da bancarrota". “Não há maior bancarrota do que a do BPN laranja. Essa é uma das bancarrotas que nós queremos combater”, avançou a cabeça de lista do Bloco de Esquerda.

No final de uma visita ao Centro de formação profissional no Seixal, Marisa Matias frisou que é necessário “colocar a criação de emprego no centro da política", combatendo, dessa forma, a “emigração forçada” a que o Governo tem condenado os cidadãos.

Marisa Matias escolheu o tema da mobilidade e coesão terrritorial no dia de campanha no Algarve, numa viagem guiada por membros da Comissão de Utentes da Via do Infante pelos pontos negros da EN125 entre Faro e Lagoa.

Marisa Matias e João Semedo contactaram com a população em Faro, no dia em que a campanha do Bloco organizou várias iniciativas no Algarve.

Em visita à Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal, cabeça de lista do Bloco recorda que doença é responsável por 10% do orçamento do SNS e que a prevenção foi muito afetada pela crise.

Nesta entrevista ao esquerda.net, a candidata às eleições europeias e ativista LGBT Fabíola Cardoso fala das razões da sua candidatura e do seu ativismo, que hoje passa por lutar pela igualdade entre todas as famílias face a uma lei que continua a não reconhecer a coadoção por casais do mesmo sexo.

Num comício muito participado em Braga, Marisa Matias evocou a revolta da Maria da Fonte, que a partir daquele distrito “pôs todo o país de pé e derrubou um governo que não servia a nação”. Francisco Louçã foi um dos oradores e previu a derrota da direita nas eleições “por cabazada”.

Nesta entrevista ao esquerda.net, a candidata às eleições europeias e ativista LGBT Fabíola Cardoso fala das razões da sua candidatura e do seu ativismo, que hoje passa por lutar pela igualdade entre todas as famílias face a uma lei que continua a não reconhecer a coadoção por casais do mesmo sexo.

A solidariedade com a Palestina tem marcado os mandatos do Bloco de Esquerda no Parlamento Europeu. Tal como Miguel Portas, as eurodeputadas Marisa Matias e Alda Sousa integraram as campanhas pelo fim do cerco a Gaza e confrontaram Bruxelas com as suas responsabilidades na mediação do conflito. Artigo de Ana Catarino.

Referindo-se à notícia de que o ministério da Saúde quer impor a lei da rolha aos profissionais do setor, a eurodeputada do Bloco sugeriu ao governo: “Se quer perseguir alguma coisa, que não persiga os serviços públicos e persiga as parcerias-públicas que então na área da saúde têm sido mesmo sorvedouros de dinheiro".

No Parlamento Europeu em Bruxelas, a presença de Alexis Tsipras confrontou os candidatos pela perpetuação da austeridade. Os milhões de espectadores ouviram, pela primeira vez, uma voz crítica às contradições dos monólogos das famílias políticas europeias do Partido Socialista Europeu (PS) e o Partido Popular Europeu (PSD e CDS-PP).

Em Aveiro, Marisa Matias respondeu à afirmação de Paulo Rangel, de que a sua campanha “é da vacina contra o despesismo”, acusando a direita de ter aumentado a dívida pública de 90% para 130% do PIB e de ter deitado para o lixo 18.000 milhões de euros. João Semedo considerou que o PS não quer ser empurrado para a esquerda e lembrou que, quando Vítor Gaspar e Paulo Portas se demitiram, o PS deu "a mão à direita".

Marisa Matias e Catarina Martins festejaram com alguns dos peticionários a aprovação do projeto de resolução do Bloco na AR para a requalificação da Lagoa de Óbidos, na Foz do Arelho.

Passos Coelho afundou o país com a sua receita de empobrecimento, mas antes fez questão de encontrar um barco à sua medida...

Marisa Matias acusou esta segunda-feira, em Espinho, o PS de saber muito bem “que defender os compromissos” inscritos no programa político apresentado no sábado “e ao mesmo tempo o tratado orçamental é enganar as pessoas”.

A chantagem da dívida e a resposta do Bloco | O Barco das Mentiras | Próximos comícios com Marisa Matias

O Bloco de Esquerda realizou um comício de campanha Europeias 2014, no Largo de São Domingos, em Lisboa que contou com a música de JP Simões e as intervenções dos candidatos Marisa Matias, João Lavinha, Jorge Falcato, a dirigente Ana Drago e o coordenador João Semedo.

Marisa Matias defendeu este domingo em Alcouce, Condeixa, que os portugueses não podem ser os “cofres onde o Governo e as instituições europeias vêm buscar dinheiro de cada vez que querem alimentar os seus amigos”. Catarina Martins disse que “o dia 25 de maio tem que ser o dia de ajuste de contas com uma direita que acha excelente a destruição do país”. Pureza afirmou que “precisamos de alguém que não faça alianças para trocar a alma por conveniências”.

No comício de dia 17 de maio, no Largo de São Domingos, em Lisboa, João Lavinha, segundo da lista de candidatos do Bloco às eleições europeias, defendeu que “a austeridade é incompatível com a democracia, quer nos seus fins, quer nos meios que são necessários para a impor”. O Esquerda.net reproduz na íntegra a sua intervenção.