Dossier 241: A Grécia depois do acordo-ponte no Eurogrupo

Que critério devemos usar para medir as ações de Tsipras e Varoufakis, de forma a julgar a sua adequação e eficácia? Artigo de Étienne Balibar e Sandro Mezzadra.

Semanas de negociações tensas resultaram num acordo que permite à Grécia continuar no euro por mais uns meses. Neste dossier, publicamos opiniões de observadores internacionais sobre este acordo-ponte, quem ganha e quem perde, as perspetivas próximas para a Grécia e para a Europa. Dossier organizado por Luís Branco.

Mal foi anunciado o príncipio de acordo em Bruxelas, surgiram vozes de destacados membros e apoiantes do Syriza a criticá-lo.

O economista norte-americano James Galbraith acompanhou Varoufakis em Atenas e Bruxelas durante uma semana de negociações. Neste artigo, contesta a leitura publicada na imprensa norte-americana e apresenta o seu ponto de vista sobre a estretégia grega no Eurogrupo.

A linha de Tsipras e Varoufakis é simplesmente insustentável. O seu compromisso em tentar resolver esta crise no quadro do euro só pode fracassar. Artigo de Richard Seymour.

Há um elemento crucial ausente da carta da Grécia ao Eurogrupo, delineando as reformas que tenciona levar a cabo: é como se o portátil de Yanis Varoufakis não tivesse a tecla de €. Por Paul Mason.

O escritor e ativista Tariq Ali não poupou palavras para criticar a declaração de Tsipras sobre o acordo alcançado na reunião dos ministros das Finanças da zona euro.

Para a Grécia, ganhar tempo pode ser útil. Mas o tempo tem um preço: em junho, no fim do acordo, ou a Grécia estabelece um novo programa de austeridade ou pedirá financiamento nos mercados, se não tiver uma alternativa de redução substancial e imediata do serviço da dívida.

Francisco Louçã

A questão decisiva é qual é que será a atitude do governo grego nas negociações de junho. Se a estratégia de ganhar tempo serve para este pequeno prolongamento e para uma resposta de curto prazo à emergência social, em junho a discussão será outra.

José Gusmão

Tom Walker analisa o que foi acordado pelo governo Grego e argumenta que ganhar tempo não é o mesmo que quebrar promessas.

Neste vídeo, a conferência de imprensa dada pelo ministro das Finanças grego para explicar o acordo com o Eurogrupo.