Está aqui

Opinião

19 Março, 2009

Estamos a acostumar-nos a todos os tipos de quebra de tabus. A imprensa mundial está cheia de discussões sobre se seria uma boa ideia "nacionalizar" bancos. Não foi senão Alan Greenspan, discípulo do superlibertário profeta do puro capitalismo de mercado, Ayn Rand, que disse recentemente que temos de nacionalizar bancos a cada cem anos, e pode ser este o momento de fazê-lo. O senador conservador republicano dos EUA Lindsay Graham concordou com ele. O keynesiano de esquerda Alan Blinder discutiu os prós e contras desta ideia. E apesar de achar que os contras são maiores que os prós, dispôs-se a gastar energia intelectual a escrever sobre este tema no New York Times.

2 Março, 2009

Todos os dias leio mais um economista, um jornalista ou um membro de governo dando a sua opinião sobre como melhor conseguir a recuperação económica neste ou naquele país. Não é preciso dizer que todos os remédios se contradizem uns aos outros.

8 Fevereiro, 2009

Barack Obama assumiu a presidência dos Estados Unidos em 20 de Janeiro, aclamado por uma vasta maioria do povo americano e do resto do mundo. No seu discurso inaugural, prometeu "começar de novo o trabalho de refazer a América". Nesta curta frase, que foi tomada pela imprensa mundial em manchetes e análises, Obama capturou todas as ambiguidades das suas promessas presidenciais.

30 Janeiro, 2009

Depois das maiores manifestações de sempre de uma classe profissional em Portugal e das históricas greves de 3 de Dezembro e 19 de Janeiro, a não entrega dos objectivos individuais é a atitude mais coerente para reafirmar a luta contra as indignidades que sucessivamente foram impostas aos professores.

23 Janeiro, 2009

A estratégia de Israel está a decompor-se. O "punho de ferro" já não funciona, tal como não funcionou no caso de George W. Bush no Iraque. A ligação com os Estados Unidos vai permanecer firme? Duvido. E a opinião pública mundial vai continuar a olhar simpaticamente para Israel? Parece que não.

15 Janeiro, 2009

No meio da crise económico/financeira que parece piorar a cada dia, do contínuo desastre político e militar no Médio Oriente e da expectativa global em torno da presidência de Obama, pouca atenção mundial tem sido dada a um grande evento geopolítico em meados de Dezembro de 2008. Cuba está de volta!

7 Janeiro, 2009

As novas guerras do século XXI são "assimétricas", dizem as mais recentes doutrinas militares. "Guerra assimétrica" é o novo eufemismo para a guerra dos cobardes. O mais abjecto exemplo desta "guerra" ocorre em Gaza.

29 Dezembro, 2008

O Parlamento iraquiano votou em 27 de Novembro, por 149 votos a 35, ratificar o Status-of-Forces Agreement (SOFA, acordo do estatuto de forças) com os Estados Unidos. Quando a votação estava em curso, o vice-primeiro-ministro Barkham Salih terá dito: "Lembro-vos que as coisas no Iraque não acontecem na décima-primeira hora, mas na décima-terceira." Por outras palavras, o momento-chave ainda está para chegar.

17 Dezembro, 2008

O Fórum sobre Democracia e Serviços Públicos, realizado no passado domingo na Aula Magna em Lisboa, suscitou inúmeros comentários, especulações, críticas, angústias e interpretações. São todas reveladoras e demonstram o impacto da iniciativa.

10 Dezembro, 2008

Toda a gente nos Estados Unidos, e certamente no mundo inteiro, estava a ver, e quase todos a torcer pela eleição de Barack Obama para a Presidência dos EUA. Apesar de, durante a campanha eleitoral, todos terem tentado desvalorizar a centralidade da questão racial, em 4 de Novembro parecia que ninguém conseguia falar de outra coisa. Há três questões centrais acerca do que a maioria dos comentadores está a chamar de "evento histórico": qual foi a sua importância? O que explica a vitória? O que é provável que aconteça agora?

Páginas