Está aqui

Opinião

19 Janeiro, 2010

Há dias foi celebrado um "contrato de confiança" entre o governo e os Reitores das Universidades Portuguesas.

19 Janeiro, 2010

A cada quinze dias tem de se apresentar. Tem de provar que tem tido a conduta correcta e que se tem esforçado para mudar a sua situação. E tem de ter comprovativo de diferentes entidades desse esforço. Se os responsáveis assim o entenderem, podem propor-lhe que trabalhe em prol da comunidade. Não é aconselhável recusar. Quando terminar o seu tempo fará o que bem entender. Cessa a responsabilidade do Estado sobre si.

18 Janeiro, 2010

Dennis Brutus partiu pedras ao lado de Nelson Mandela quando estavam encarcerados juntos na tristemente célebre prisão da ilha Robben. O seu delito, semelhante ao de Mandela, foi lutar contra a injustiça e o racismo, desafiar o regime do apartheid na África do Sul. As armas de Brutus foram as suas palavras: elevadas, fulgurantes e poéticas. Foi excluído, censurado, e alvejado. Mas o seu compromisso, activismo de poeta e a sua defesa dos pobres, nunca vacilaram. Brutus morreu enquanto dormia a 26 de Dezembro na Cidade do Cabo, aos 85 anos de idade, mas viveu com os olhos bem abertos. A sua vida resume o século XX, e, inclusive até aos seus últimos dias, inspirou, guiou e mobilizou as pessoas na luta pela justiça no século XXI.

18 Janeiro, 2010

No apoio ao Haiti, que o mundo comovido e solidário se apressou a dar, a União Europeia mais uma vez é quase totalmente invisível. É claro que os Estados Unidos, o Brasil e outros países da região estão muito mais envolvidos do que os europeus, o que é natural dada a proximidade, mas é também um facto que vários países europeus estão a prestar uma ajuda significativa nesta operação de socorro. No entanto, ao vermos os relatos televisivos vindos do Haiti, todos reparamos nas marcas bem visíveis da "US AID" e outras, mas o mesmo não acontece com a "EU AID". Porquê? Porque ela verdadeiramente não existe enquanto tal.

15 Janeiro, 2010

A Justiça sempre foi anunciada como sendo cega. Pelo menos, apresentam-na com uma venda. Dizem que simboliza a sua imparcialidade, não interessando a posição de quem se encontra perante a Justiça: o apanágio da igualdade suprema.

15 Janeiro, 2010

2010, será o ano em que termina a produção do carro que fez esta empresa e pode não ser um ano fácil em termos de vendas, se os governos europeus acabarem com os apoios ao "abate de carros", dizem alguns analistas que se tal suceder, as reduções nas vendas podem ultrapassar 3 milhões de carros em toda a Europa, as marcas que mais vendem, serão as mais prejudicadas e a VW, com a maior fatia no mercado europeu, pode ser bastante afectada.

14 Janeiro, 2010

O "acordo" assinado entre o Ministério da Educação e os sindicatos traduz uma derrota inequívoca das políticas de Sócrates. Só que o maior erro dos professores seria encará-lo como uma anestesia, inibindo a continuação de uma luta que tem mostrado valer a pena.  

13 Janeiro, 2010

Quando os EUA, durante a cimeira de Copenhaga, optaram por privilegiar a negociação entre grandes potências em detrimento das discussões com o grosso dos estados, quaisquer quimeras de um advento multilateralista, no domínio da geopolítica internacional, cairiam por terra.

13 Janeiro, 2010

Quando a crise financeira estalou, os mesmos governantes e empresários que defendem o livre mercado e a concorrência apareceram a defender o intervencionismo para salvar os especuladores. Este exemplo das contradições inerentes ao sistema capitalista mostra-nos como, longe do ideal do livre mercado, vivemos sob um conluio entre o poder político e o poder económico. O rentismo, processo pelo qual as empresas usam os seus recursos para influenciar decisões políticas que as afectam e assim obter rendas, é o fantasma que assombra a regulação, levando a um desperdício de recursos e a um desempoderamento dos cidadãos.

12 Janeiro, 2010

Portugal aprovou o casamento entre pessoas do mesmo sexo. É o sexto estado na Europa e dos primeiros a fazê-lo em todo o mundo. Tomando o exemplo da abolição da escravatura, em que fomos pioneiros, voltamos a estar na linha da frente do progresso e dos Direitos Humanos. Ainda que com a criação de uma nova discriminação na adopção.

Páginas