Está aqui

Opinião

20 Março, 2010

O PEC saiu ainda pior do que se esperava. Para o que pudesse sobrar de socialismo no PS, foi um canto de cisne.

20 Março, 2010

A última actualização do PEC apresentada pelo governo garante a estabilidade das desigualdades, da pobreza, e do alto nível de desemprego, mais ainda, corre o sério risco de fazer com que cresçam.

20 Março, 2010

Qual é a fronteira entre a cultura e a crueldade?

Quanta dignidade tem um espectáculo que inclui actores que são forçados a participar?

19 Março, 2010

De facto, é uma chatice mas as contas públicas chegaram a um ponto em que todos vamos ter de nos sacrificar um pouco, todos vamos ter de apertar o cinto. É chato que tal venha a acontecer, mas não existe alternativa. Vai ser necessário emagrecer as despesas do Estado, vai ser necessário reduzir algumas prestações sociais, vai ser preciso aumentar alguns impostos e limitar as deduções fiscais. Terá de se cortar no investimento público e não há como escapar a algumas privatizações. São medidas inconvenientes, mas que têm de ser tomadas e infelizmente cada português vai ter de contribuir para tal esforço. Os tempos assim o exigem e o Estado tem de ser gerido como uma casa: em tempos de aperto, tem de se cortar, cortar e cortar. Que remédio, não é?

19 Março, 2010

O Programa de Estabilidade e Crescimento (2010-2013) representa a estratégia do governo e das políticas liberais em todos os domínios da vida social: redução de salários e subsídio de desemprego, desemprego estrutural acima de 10%, privatização extensiva dos bens públicos, agravamento da desigualdade fiscal, abandono do combate à pobreza e degradação dos serviços sociais. O Bloco de Esquerda tem agora e nos próximos anos um único objectivo: derrotar esta política para conduzir uma alternativa.

18 Março, 2010

A estratégia foi definida. Para reduzir o défice vale tudo – para o prego vão as empresas estratégicas do Estado, os trabalhadores, os pensionistas e os funcionários públicos. Vale tudo menos irritar o sector financeiro e o grande capital. Será que este Governo ainda acredita que quem nos colocou na crise nos vai tirar dela?

17 Março, 2010

Habituado à constante vitimização e desresponsabilização sobre os resultados das suas políticas, o Governo descobriu quem são os culpados da galopante taxa de desemprego em Portugal. Os desempregados e os apoios sociais que alguns destes, cada vez menos, recebem.

17 Março, 2010

Uma das linhas fortes do Programa de Estabilidade e Crescimento é o seu programa de privatizações. O Governo anunciou 6.000 milhões de redução da dívida pública e redução do défice (através da correspondente diminuição de juros da dívida pública) de 0,1% do défice, cerca de 170 milhões por ano. Parece um bom negócio, não é? Livramo-nos de uns monos, que só estão aí a atrapalhar, fazemos um encaixe simpático e reduzimos os encargos anuais com a dívida.

17 Março, 2010

A luta genuína dos oprimidos tem uma característica singular que dificilmente permite enganos ou manipulações: ela é assumida como uma questão de vida ou de morte.

16 Março, 2010

Nos últimos dois meses percorremos a país em sessões públicas sobre política cultural. Hoje, em Lisboa, tem lugar a última sessão pública deste roteiro. Ao longo deste percurso aprendemos muito. E fomos também apresentando propostas legislativas concretas sobre alguns dos temas levantados. Esta última sessão não fecha a conversa, muito pelo contrário. Todos estes encontros marcaram o início de novas conversas, de novas iniciativas. Mas este é sem dúvida um momento de prestar contas do que foi feito e de partilhar os contributos que recebemos.

Páginas