Está aqui

Opinião

12 Maio, 2021

O modo como tratamos os imigrantes (em Odemira e um pouco por toda a parte) – mantendo uma indiferença irresponsável face à pantanização das suas vidas – é o teste do algodão aos direitos humanos em Portugal. E o algodão está sujo.

11 Maio, 2021

Defender a manutenção das patentes das vacinas da Covid-19 está, atualmente, fora de qualquer lógica racional (para além do fundamentalismo liberal). Os argumentos são inexpugnáveis e inultrapassáveis. A realidade é auto-evidente.

11 Maio, 2021

Depois do negacionismo de Trump e Bolsonaro, um terceiro populista de extrema-direita faz o seu povo pagar o preço da tragédia sanitária. É Narendra Modi, o primeiro-ministro da Índia, um país com 1400 milhões de habitantes e que é o maior produtor de vacinas do mundo.

9 Maio, 2021

É do coração do capitalismo que surge a notícia que tira o tapete ao dogmatismo ideológico. Que desta vez fale mais alto a defesa da vida do que a defesa do lucro.

9 Maio, 2021

A novidade serve duas lições – a da pouca firmeza dos liberais no seu modelo económico e da necessidade da esquerda subir a parada no combate às desigualdades sociais. Esta proposta do FMI, é acima de tudo um processo de controle de danos.

9 Maio, 2021

O levantamento das patentes é a única forma de acelerar a produção e distribuição global de vacinas, rentabilizando o investimento público que foi feito em larga escala para o bem comum global. A UE, inexplicavelmente, escolheu reduzir-se a um papel de insignificância internacional.

8 Maio, 2021

Esta situação não é um “acidente”. Não é um “erro”, ou um crime inesperado que apanhou toda a gente de surpresa. A lógica da produção hiper-intensiva implica olhar para tudo como factores de produção sem componente humana ou social e, desse ponto de vista, procurar reduzir o seu custo.

8 Maio, 2021

A decisão do Oversight Board do Facebook gera preocupação. Porque é justiça privada, porque bloquear textos ou pessoas não é o mesmo e porque evita revelar o seu poder.

7 Maio, 2021

Enquanto o mundo olha para o país do lado e escolhe ignorar as violações de direitos humanos que se vivem na Colômbia, a violência e a impunidade continuam.

7 Maio, 2021

No final de 2018, o Grupo Sogema, da família Moniz da Maia, devia ao Novo Banco cerca de 560 milhões, registados quase na totalidade como perdas. Mais de metade do prejuízo foi imputado ao Fundo de Resolução.

Páginas