Está aqui

Opinião

31 Julho, 2022

Na atualidade, a NATO é a organização militar mais agressiva e mais inimiga dos povos, não só europeus, mas à escala global. Basta ver o novo conceito estratégico aprovado no Cimeira de Madrid, apostando numa lógica de confrontação com outras potências.

31 Julho, 2022

Foi à NATO que decidiram aderir os governos da Suécia e da Finlândia, agitando o medo de uma possível invasão russa, na sequência da invasão da Ucrânia, pondo fim a décadas de neutralidade, e cedendo vergonhosamente às exigências para a retirada do veto a estas adesões por parte da Turquia.

30 Julho, 2022

Os sistemas a que chamamos democracias são construções paradoxais. Durante muito tempo, foram formas de coordenação da dominação, excluindo as mulheres, os pobres e os escravos.

29 Julho, 2022

Ficamos sem saber se José Manuel Bolieiro terá orgulho no Secretário Regional do Ambiente das Alterações Climáticas e na falta de ação do mesmo face à alga Rugulopteryx okamurae. Tudo o que essa Secretaria fez, nos últimos tempos, parece ser com o propósito de ofender o ambiente.

28 Julho, 2022

A política migratória europeia apresenta-nos algo muito longe do humanitarismo, uma solidariedade racializada. O reconhecimento da dualidade de critérios é essencial para a mobilização coletiva contra a violação de um valor que se quer universal e a construção de uma sociedade democrática e inclusiva.

28 Julho, 2022

As árvores estão em stress hídrico por causa da seca e do aquecimento global e as suas folhas morrem mais cedo para que elas possam guardar o resto da água de que dispõem. É só mais um sinal, desolador e triste, dos efeitos dos eventos climáticos extremos, que matam também pessoas e não só nos incêndios

27 Julho, 2022

Provavelmente, ainda existe um caminho que permite aos Açores decidir sobre a gestão do seu mar e simultaneamente contornar as objeções constitucionais levantadas, como o Bloco propôs em 2018. Esse compromisso foi assumido pelo Bloco. Não desistimos dele, nem nos Açores, nem em Lisboa.

27 Julho, 2022

Os fenómenos climáticos extremos moldam hoje a nossa realidade, sendo cada vez mais comuns. Os incêndios a que assistimos são cada vez mais violentos e assumem maiores dimensões. É necessário que os governos e instituições atuem e enfrentem a crise climática. É agora ou nunca.

26 Julho, 2022

Não podemos continuar a permitir que prevaleça em Portugal a velha ideia de que a publicidade deve ser apolítica e imparcial. Os nossos criativos estão também eles cada vez mais politizados e isso irá certamente continuar a refletir-se no trabalho produzido por cá nos próximos anos.

26 Julho, 2022

Estava coberta de razão quem disse que as mulheres praticantes de futebol precisam de driblar bem mais que as adversárias em campo para mostrarem seu talento, valor e habilidades.

Páginas