Está aqui

A Turquia e a ditadura do mais numeroso

No rescaldo do atentado bombista de 10 de outubro, o mais mortífero da história recente da Turquia, ficou mais clara do que nunca a postura de opressão e desrespeito pelos direitos humanos mais básicos do regime de Erdogan.

Relembrando aos mais esquecidos, ou que infelizmente não tenham tido acesso às notícias sobre o assunto nos media de direita ocidentais, este foi um ataque bombista contra uma manifestação pela paz, ou seja, pelo fim dos ataques violentos do governo contra a comunidade curda. A bomba em questão foi colocada no cortejo do HDP, partido que denuncia a conveniente ausência da polícia do local quando as bombas explodiram. No entanto, esta surgiu quinze minutos depois para atacar os que tentavam socorrer os feridos. Não vamos entrar em especulações sobre se o atentado terá tido a cumplicidade premeditada do regime, se terá sido o AKP ou alguma formação islâmica extremista a colocar as bombas. Ao invés focar-nos-emos nos factos que conhecemos: a violência policial exercida contra manifestantes pacíficos que tentavam salvar a vida a outros manifestantes, policias impedindo com cassetetes e escudos a passagem de ambulâncias! Imaginem o descalabro do governo, e da opinião pública sobre este, se acontecesse tal derramamento de sangue nas ruas num estado de direito?

Estamos perante um dos grandes dilemas da recorrente noção de democracia que temos. Como fazer quando 57,2% da população (os 40,8% do AKP de Erdogan mais os 16.4% dos nacionalistas de extrema-direita do MHP) querem desrespeitar os direitos dos outros 42,8%? O que fazer quando se legitimiza eleitoralmente a discriminação social, política, sexual e étnica, como se vê na Turquia, sobretudo sobre com os Curdos?

Historicamente, o fascismo foi muitas vezes implementado por meio de sufrágio. Fertiliza-se através de um medo da mudança e de um ódio ao estranho, propagados por meios de comunicação controlados por burgueses assustados. O que vemos na Turquia é o ressurgimento de um fascismo mal mascarado, tal como em tantos outros países europeus.

A realização de eleições não é o único garante de uma democracia-liberal. Um estado secular, a educação social e política dos cidadãos, a imparcialidade dos meios de comunicação, a propagação de valores de respeito pelos direitos humanos são outras garantias fundamentais. E, sobretudo, a lembrança que esses direitos não se estendem apenas ao nosso igual, mas também ao diferente. Hoje, na Turquia de Erdogan os Curdos são os estrangeiros. Amanhã, na nossa sociedade, os estrangeiros poderão ser os homossexuais, as mulheres, as minorias étnicas, os militantes de esquerda. A tirania está às nossas portas. Sempre esteve.

Os governos que fingem que nos representam, e as organizações que representam esses governos, escolhem fechar os olhos aos crimes de quem lhes convém, dos aliados que lhes são úteis. O capital que verdadeiramente representam sempre os impelirá a isso. Urge aos esquecidos do capital, aos trabalhadores e às minorias, não esquecerem que o panorama internacional é tão relevante como o nacional. Urge aos povos oprimidos rebelarem-se, lutarem pelos direitos dos povos de todo o mundo, e não apenas na arena nacional. Urge criar uma internacionalização da militância, uma revolução internacional através da cultura, do protesto e da educação para que um abuso do outro lado do globo seja tão combatido como um abuso cometido no nosso espaço nacional. Relembro: "Trabalhadores de todos os países, uni-vos!".


Referências:

http://expresso.sapo.pt/internacional/2015-06-07-Eleicoes-na-Turquia.-Partido-de-Erdogan-vence-mas-perde-maioria

http://www.hurriyetdailynews.com/mhp-draws-lines-for-coalition-with-akp.aspx?pageID=238&nID=83672&NewsCatID=338

http://pt.euronews.com/2015/06/08/turquia-qual-o-impacto-do-resultado-eleitoral-nas-relaces-com-a-ue/

http://www.esquerda.net/artigo/eleicoes-na-turquia-erdogan-derrotado-esquerda-pro-curda-com-resultado-historico/37290

http://www.publico.pt/mundo/noticia/explosoes-em-ancara-durante-manifestacao-pela-paz-fazem-30-mortos-1710733

http://www.esquerda.net/artigo/turquia-atentado-faz-dezenas-de-mortos-em-manifestacao-pela-paz/39087

http://www.esquerda.net/artigo/turquia-policia-atacou-manifestantes-que-tentavam-salvar-feridos/39088

Sobre o/a autor(a)

Estudante de Biologia e militante do Bloco de Esquerda
Comentários (3)