Está aqui

O arco-íris tem muitas cores

Estuda. Escolhe o que queres fazer e trabalha para isso. Enquanto crescia era o que eu e muitos da minha geração ouvíamos. Mas, a garantia dada pela democracia e pela constituição que teríamos direitos além de deveres, foi sendo corrompida.

Estuda. Escolhe o que queres fazer e trabalha para isso. Tens de ter boas notas, assim tudo será mais fácil e poderás fazer o que quiseres. Desde que estudes, olha que o curso é importante! Sem ele nada feito.

Enquanto crescia era o que eu e muitos da minha geração ouvíamos. Essa garantia de que se nos esforçássemos iríamos ter uma vida melhor do que os nossos pais. Aliás era essa a experiência. Os nossos pais, ainda assim, viviam melhor que os nossos avós. Tínhamos saído de uma ditadura, e estávamos a fazer parte da construção de uma democracia novinha em folha.

Havia um certo gosto a liberdade no ar, e para as raparigas – pelo menos eu assim o sentia – a responsabilidade era ainda maior. Seríamos uma das primeiras gerações pós 25 de Abril com igualdade de oportunidades – mesmo que na prática se saiba que não é assim.

E estudámos. E trabalhámos. Muitos de nós conseguiram, a maior parte temporariamente. Muitos outros, apesar de tudo, adiaram sucessivamente o seu projeto de vida porque a única coisa certa que encontraram foi a precariedade. Ainda que quem estude continue a ter mais oportunidades, a tal segurança que os nossos pais conheceram, a garantia dada pela democracia e pela constituição que teríamos direitos além de deveres, foi sendo corrompida.

No entanto, estes últimos dois anos conseguiram arrasar com as redes de segurança de qualquer geração. Um milhão e quatrocentos mil desempregados. Avós que ajudam os filhos sem trabalho, que por sua vez encorajam os seus filhos com as palavras que antes ouviram e lhes prometiam uma vida digna. As palavras que davam lugar aos sonhos. Estuda. Escolhe o que queres fazer e trabalha para isso.

A nossa certeza hoje é outra. Estuda, para os compreenderes e te saberes defender. Sai à rua, não te cales se queres uma vida melhor porque a democracia está em perigo. Não é abuso dizê-lo. Está em perigo, e a nossa maior força é o conseguir desconstruir o discurso deste centrão que nos tem governado, que nos fala de inevitabilidades e nos tolhe a vida e a esperança.

O arco-íris tem muitas cores. E o futuro não pode ser feito em escala de cinzas. Por isso, é hoje nossa obrigação estudar para os compreender e nos sabermos defender. Não nos calarmos e sairmos à rua porque queremos uma vida digna. Porque a democracia está em perigo.

Sobre o/a autor(a)

Designer gráfica
(...)