You are here

Pesquisar

Artigo | 5 de August

A inaudita bestialidade do atentado de Nice, que vem somar-se a outros recentes massacres jihadistas, obriga-nos, uma vez mais, a interrogarmo-nos sobre essa forma de violência política a que chamamos terrorismo. Por Ignacio Ramonet

Artigo | 10 de July

Começou a campanha internacional a favor do dissidente político que desconcerta os EUA. O seu confinamento revela: “democracias” ocidentais já não toleram jornalismo que revele segredos do poder. Por Ignácio Ramonet.

Artigo | 10 de May

Em seu livro mais recente, Ignacio Ramonet indaga: Qual o futuro de sociedades em que os cidadãos são vigiados simultaneamente por mega-corporações e Estados semi-policiais? Publicamos aqui um extrato do quarto capítulo deste livro.

Artigo | 7 de October

Confiamos à Internet os nossos pensamentos mais pessoais e íntimos. Com a vigilância massiva, o controlo do Estado chegou a dimensões alucinantes.

Artigo | 4 de January

Todos os estudos realizados sobre as novas práticas de uso da televisão nos Estados Unidos e na Europa indicam uma mudança acelerada. Os jovens telespectadores passam do consumo “linear” da TV para um consumo em “diferido” e “à la carte” num “segundo ecrã”.

Artigo | 11 de April

Em termos de potência financeira, face aos mastodontes das telecomunicações, a imprensa escrita (mesmo com os seus sites web), pesa pouco. Cada vez menos. Mas continua a ser um indispensável fator de alerta e de denúncia. Em particular dos abusos que os novos gigantes das telecomunicações cometem quando espiam as nossas comunicações. Por Ignacio Ramonet

Artigo | 11 de May

O documento elaborado pela CIA, de quatro em quatro anos, no início de cada novo mandato presidencial nos Estados Unidos, e que Barack Obama recebeu ao tomar posse do seu segundo mandato, tem o título: Global Trends 2030. Alternative Worlds (Tendências mundiais 2030: novos mundos possíveis). Que nos diz? A principal constatação é: o declínio do Ocidente. Artigo de Ignacio Ramonet

Artigo | 15 de September

Estamos a assistir à grande batalha do Mercado contra o Estado. Chegámos a um ponto em que o Mercado, na sua ambição totalitária, quer controlar tudo: a economia, a política, a cultura, a sociedade, os indivíduos...