You are here

Pesquisar

Artigo | 4 de October

Luís Fazenda e Natasha Nunes no comício que juntou 400 pessoas no Teatro Villaret. Foto Ana Candeias No comício da candidatura do Bloco em Lisboa, Luís Fazenda alertou para a necessidade de impedir uma maioria absoluta "para que ao lado do Plano Verde não continue a crescer o plano do betão". E lembrou que o programa do PS deixou cair o compromisso de reservar 25% de habitação a custos controlados nas novas construções na cidade. Veja a fotogaleria de Ana Candeias. Consulte o site da candidatura.

Artigo | 3 de October

O então Ministro da Estado e da Defesa Paulo Portas passa revista aos marinheiros em parada nas comemorações do Dia da Marinha de 2003. FOTO PAULO NOVAIS/LUSAVinte e um dias antes da adjudicação ser assinada pelo então ministro da Defesa, Paulo Portas, a 25 de Setembro de 2003, o consórcio alemão German Submarine Consortium (GSC) foi avisado de que era o vencedor do concurso de aquisição de dois submarinos pelo Estado português. Quem o informou foi Luís Palma-Féria, então presidente da ACECIA, uma das empresas que é acusada de burlar o Estado português simulando contrapartidas falsas ao negócio dos submarinos.

Artigo | 2 de October

Francisco Louçã à saída da reunião com o PR - Foto da LusaFrancisco Louçã foi recebido nesta Sexta feira pelo Presidente da República, a quem transmitiu as preocupações do Bloco de Esquerda com a crise que se vive. "Questões como a transparência fiscal, o combate à corrupção, tudo o que é o princípio elementar da decência na economia, são questões sempre na agenda do Bloco de Esquerda", salientou Louçã nas declarações à comunicação social.

Artigo | 2 de October

Fantasmas roubaram dois deputadois ao Bloco, segundo Luís Humberto TeixeiraNa sequência do estudo "Eleitores-fantasma podem ditar o vencedor errado"1, que estimou a existência de mais de 930 mil eleitores-fantasma nos cadernos eleitorais, os quais teriam uma influência directa na distribuição prévia de mandatos pelos círculos, segue-se uma breve análise dos resultados eleitorais da noite de domingo.
Por Luís Humberto Teixeira

Artigo | 2 de October

Paulo Portas continua a não explicar o caso dos submarinos, em que o Estado português foi burlado - Foto da Lusa (arquivo) Segundo a acusação do Ministério Público (MP), o Estado português terá sido burlado em 34 milhões de euros, no caso dos submarinos. Neste primeiro processo foram acusados de burla ao Estado português três dirigentes da empresa alemã Man Ferrostaal e sete empresários portugueses.
Num segundo inquérito ainda em curso o MP investiga suspeitas de corrupção, tráfico de influências e financiamento de partidos políticos, estas suspeitas incidem nomeadamente sobre o CDS-PP. Um contrato continua por encontrar.

Artigo | 1 de October

Capitolio, no Parque MayerO cabeça-de-lista do Bloco de Esquerda à Câmara de Lisboa afirmou hoje que o Parque Mayer tem sido "fértil" em "propaganda política" conduzida por António Costa e Pedro Santana Lopes. Luís Fazenda criticou o desperdício megalómano de Santana Lopes mas também os “espectáculos políticos” de António Costa, o candidato do PS.

Artigo | 1 de October

Paulo Portas (foto João Abreu Miranda/Lusa)
O Ministério Público acusou esta quinta-feira 10 arguidos em co-autoria por falsificação de documentos e burla qualificada no processo conhecido como "submarinos/contrapartidas". O Estado português contratualizou com o consórcio alemão German Submarine Consortium a compra de dois submarinos em 2004, quando Durão Barroso era primeiro-ministro e Paulo Portas era ministro da Defesa Nacional.

Artigo | 30 de September

O actual recenseamento pode ter quase um milhão de eleitores fantasma - Foto peasap/flickrSegundo um estudo referido pela revista Visão de 24 de Setembro, existem quase um milhão de "eleitores fantasma". Esse elevado número de inscritos inexistentes leva a que a abstenção seja inferior à divulgada, mas pode também alterar a composição do parlamento. De acordo com aquele estudo, os círculos do Porto e de Setúbal deveriam ter mais um deputado cada. No caso das eleições legislativas do passado Domingo seriam ambos do Bloco de Esquerda.

Artigo | 29 de September

Cavaco Silva agrava artificialmente querela institucional, considera o Bloco de Esquerda - Foto da LusaComentando a declaração de Cavaco Silva ao país, o deputado Luís Fazenda do Bloco de Esquerda considerou-a "ambígua", que "agrava artificialmente a querela institucional" e é "deveras lamentável no actual período político e no início de uma outra campanha eleitoral". Fazenda afirmou ainda que "não se compreende porque é que mais cedo [Cavaco Silva] não tomou as devidas medidas junto das autoridades competentes", se tinha dúvidas sobre a segurança do seu sistema informático.

Artigo | 29 de September

submarinoO Ministério Público está a realizar buscas nas sedes da Vieira de Almeida & Associados e na Sérvulo & Associados, escritórios de advogados que terão intervido no negócio de aquisição de dois submarinos U-214 pelo então ministro da Defesa Paulo Portas. A busca realiza-se no âmbito do inquérito que apura suspeitas de corrupção, tráfico de influências e financiamento ilegal de partidos políticos. A notícia é da Sábado.

Artigo | 29 de September

O Secretário-Geral da CGTP-IN, Carvalho da Silva, fala aos jornalistas sobre os resultados das eleições legislativas, esta tarde na sede do sindicato em Lisboa, 28 de Setembro de 2009. MIGUEL A. LOPES/LUSANo seu primeiro pronunciamento após os resultados eleitorais, a comissão executiva da CGTP exigiu uma governação à esquerda, considerando que os portugueses deram "um claro voto à esquerda" nas eleições de domingo. No entender da central, o PS foi penalizado por ter seguido políticas de direita e práticas de afrontamento aos trabalhadores; mas durante a campanha eleitoral fez promessas de mudança e de valorizar políticas sociais.

Artigo | 28 de September

Francisco Van ZellerO presidente da Confederação da Indústria Portuguesa (CIP) disse que seria “trágico” o PS fazer acordos com o Bloco ou com o PCP. Van Zeller afirmou, esta segunda-feira, que gostava que o actual ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, continuasse no cargo, no novo governo socialista saído das eleições. Ao mesmo tempo, recomendou ao PS acordos com o CDS ou contando com a “abstenção” do PSD.

Artigo | 28 de September

Os professores criticaram a arrogância da maioria absoluta nestes quatro anosOs sindicatos de professores esperam o apoio dos partidos da oposição, em maioria no Parlamento, para pôr fim a medidas polémicas do governo cessante na área da Educação, como a do contestado modelo de avaliação. Para a Fenprof, "um dos problemas dos últimos quatro anos e meio é que a maioria absoluta não soube negociar”, nem “funcionar com as regras da democracia”. 

Artigo | 28 de September

Luís Fazenda (foto Paulete Matos)Luís Fazenda, deputado do Bloco de Esquerda e candidato à Câmara de Lisboa , em declarações à TSF, numa emissão especial transmitida a partir do Parlamento, disse que “tudo está em aberto”, mas que os bloquistas pretendem que José Sócrates mude questões “nucleares” e não estão disponíveis para entrar na “dança” das coligações.

Artigo | 28 de September

Apoiantes comemoram a maior votação de sempre do Bloco (foto Paulete Matos) O coordenador do Bloco de Esquerda, Francisco Louçã, agradeceu aos mais de 550 mil portugueses que votaram no Bloco de Esquerda, numa altura em que já era certa a duplicação da bancada parlamentar do partido. "Não há memória de nenhum partido que tenha subido tanto em termos percentuais. O Bloco de Esquerda mostrou ser uma esquerda de alternativa e de resposta que derrotou a maioria absoluta. Veja a fotogaleria da noite eleitoral.

Artigo | 27 de September

A noite eleitoral do Bloco. Foto de Paulete MatosFazendo o ponto da situação quando ainda faltavam apurar muitas freguesias importantes, Fernando Rosas delineou as tendências que o Bloco já tinha como seguras em relação aos resultados eleitorais. "A primeira é que a votação do Bloco impede a maioria absoluta do Partido Socialista". Em segundo lugar, apontou Rosas, o Bloco de Esquerda "alcança o maior resultado da sua história, obtendo uma transferência importante de eleitores do PS que votam no Bloco para impedir a maioria absoluta" de José Sócrates.

Artigo | 27 de September

Festa na noite eleitoral do Bloco. Foto de Paulete MatosLuís Fazenda manifestou a alegria dos bloquistas com os resultados apontados pelas diversas sondagens divulgadas: "O regresso ao passado foi impedido, o PSD foi derrotado; o PS perdeu a maioria absoluta, e há uma grande crescimento do grupo parlamentar do Bloco de Esquerda." Ressalvando que ainda se trata de projecções, Fazenda afirmou que é claro que o Bloco de Esquerda passa a ter um novo papel, de decisão nas principais questões que afectam o país. "Acabou a arrogância do PS", disse.

Artigo | 27 de September

Até ao meio dia tinham votado 21,29% dos eleitores inscritos - Foto da Lusa (arquivo)Até às 16 horas votaram 43,3% dos eleitores, segundo os dados da Direcção-Geral da Administração Interna.
Francisco Louçã, em declarações à comunicação social depois de ter votado, apelou às pessoas "de todas as opiniões" que "dêem o melhor contributo de si" votando.
Em Lisboa, os bloquistas vão acompanhar a noite eleitoral a partir das 19 horas na Faculdade de Medicina Dentária. Noutras cidades os bloquistas também se vão encontrar, normalmente nas sedes locais.

Artigo | 26 de September

Nas Europeias, o Bloco poupou 200 mil euros em relação à despesa orçamentada. Foto Paulete MatosNa notícia sobre as contas da campanha eleitoral para as europeias, o semanário Expresso incluiu nas despesas do Bloco - ao contrário dos restantes partidos - as contribuições em espécie. A verdade é que o Bloco gastou menos 200 mil euros do que estava orçamentado e não mais 300 mil como diz o Expresso.

Artigo | 25 de September

Todas as sondagens de Setembro de 2009 prevêem uma significativa subida do Bloco de EsquerdaAs últimas sondagens apontam todas para a derrota do PSD e para que o PS não tenha maioria absoluta. As quatro últimas sondagens apontam igualmente para uma significativa subida do Bloco de Esquerda, que poderá passar a ser o terceiro partido. O Bloco de Esquerda obteve, em 2005, 6,4% e elegeu oito deputados.

Pages