You are here

Pesquisar

Artigo | 19 de October

A “Noite Sangrenta”, episódio ocorrido entre o dia 19 e a madrugada de 20 outubro de 1921, encheu de horror a opinião pública nacional e internacional e marcou o futuro da I República de forma irreversível. Por Luís Farinha.

Artigos dossier | 17 de October

A Seara Nova afirmou-se desde o início como a face visível de um projeto cultural e político que balizava a sua ação pela construção de um pensamento crítico, inspirador para as elites que governavam o país e escola de civismo para a nação republicana. Por Luís Farinha.

Artigo | 9 de July

Óscar Carmona ascendeu à chefia do Governo da Ditadura Militar em 9 de julho de 1926, na sequência de um golpe militar dirigido pelo general Sinel de Cordes e por si próprio contra a chefia do general Gomes da Costa. Por Luís Farinha.

Artigo | 28 de May

O poder político democrático foi entregue pelo Presidente Bernardino Machado ao almirante Mendes Cabeçadas, um liberal que acreditava na regeneração da República, mas que não reuniu as condições político-militares para realizar o projeto político a que se propôs – “uma ditadura temporária regeneradora”. Por Luís Farinha.

Artigo | 17 de May

Um Colóquio e um debate promovido pelo Observatório da Extrema Direita e pela CULTRA, no passado dia 14. Entre os participantes, um elo comum: a preocupação perante a crise de representação dos sistemas democráticos atuais. Por Luís Farinha.

Artigo | 3 de April

Uma questão ideológica e doutrinária ou uma disputa de poder no interior do partido? Por Luís Farinha.

Artigos Opinião Esquerda | 16 de March

A propósito de mais um esclarecimento (com ciência em barda) da historiadora Maria de Fátima Bonifácio à edição nº 759 do “Nascer do Sol” do azarento dia 13 de março do corrente ano.

Artigo | 9 de March

Os democráticos, liderados por Afonso Costa e por uma elite militar onde avultava a figura do general Norton de Matos, foram os principais responsáveis pela intervenção de Portugal na Primeira Grande Guerra. Por Luís Farinha.

Artigo | 22 de February

Um livro “proibido” do general António de Spínola com parecer favorável do general Costa Gomes. A publicação de Portugal e o Futuro, em 22 de fevereiro de 1974 – a dois meses do “25 de Abril”, desencadeou um terramoto no regime. Por Luís Farinha.

Artigos Opinião Esquerda | 21 de February

“Os portugueses foram “vítimas” ou “cúmplices” da PIDE?” O que há dizer sobre este título de um artigo do Público - P2, 14.2.2021 da autoria de Duncan Simpson?

Artigo | 18 de February

No dia 18 de fevereiro de 1911, poucos meses depois da implantação da República, o Governo Provisório publicou a lei do “registo civil obrigatório” como instrumento fundamental do processo de laicização da sociedade portuguesa. Por Luís Farinha.

Artigo | 15 de February

Em 15 de fevereiro de 1931, o Avante! aparecia a público com uma linguagem ainda longe de incorporar a doutrina marxista-leninista em toda a sua plenitude. Por Luís Farinha.

Artigo | 13 de February

O assassinato a sangue frio do general Humberto Delgado por uma brigada da PIDE, chefiada pelo inspetor Rosa Casaco, ficou para a história do fascismo português como o mais hediondo crime – senão comandado, pelo menos consentido – pelo ditador Oliveira Salazar. Por Luís Farinha.

Artigo | 3 de February

Pode dizer-se que a República nunca tivera tantos defensores armados, nem mesmo no “5 de Outubro de 1910”. Também nunca tivera tantos adversários e por isso o movimento revolucionário sucumbiu. Por Luís Farinha.

Artigo | 31 de January

O 31 de Janeiro de 1891 foi um movimento patriótico e republicano, gerado pela reação nacional ao Ultimato inglês de 1890 e à crise financeira que, um ano depois, havia de declarar-se pela “bancarrota de 1892”. Por Luís Farinha.

Artigo | 21 de January

Entre 20 e 22 de janeiro de 1937, Lisboa foi acordada pelo deflagrar de algumas dezenas de bombas colocadas em Ministérios, em rádios e em empresas de produção de armamento e de distribuição de combustível. Por Luís Farinha.

Artigo | 18 de January

A “greve geral revolucionária” de 18 de Janeiro de 1934 nasce de um crescendo revolucionário (sem retorno) do movimento sindical politizado contra a “fascização dos sindicatos” e o fim do sindicalismo livre que tinha sido pujante durante a I República. Por Luís Farinha.

Artigo | 12 de January

No seu último comunicado, a Frente Portuguesa afirma que “entra definitivamente no seu período revolucionário iniciando todas as ações necessárias para uma revolução vitoriosa” (Argel, 12 de Janeiro de 1965). Por Luís Farinha.

Artigo | 2 de January

As suas cartas da prisão, algumas escritas com o próprio sangue, e a imagem cadavérica do seu corpo depois de vários meses doente e de mais de duas semanas em greve da fome são, porventura, o mais forte libelo de acusação contra o regime fascista português. Por Luís Farinha.

Artigo | 19 de November

Foram a primeira “leva” de prisioneiros da nova “prisão da PIDE” de Angra do Heroísmo, uma antecâmara experimental do “Campo da Morte Lenta”. Por Luís Farinha.

Pages