You are here

Pesquisar

Artigo | 28 de July

No caso do Egito e da Tunísia, a dívida constituiu a arma mais poderosa das potências europeias para assegurar o seu domínio e conduzir à submissão total de Estados até então independentes. Artigo de Eric Toussaint.

Artigo | 24 de July

A dívida tem sido usada como uma arma de dominação política e um meio de acumulação de riqueza em benefício das classes dominantes desde o século XIX. Por Eric Toussaint.

Artigo | 4 de October

É totalmente claro que a política dos governos e dos bancos centrais alimenta uma bolha especulativa nos mercados bolsistas. Já começou na China em 2015 e pode estalar a qualquer momento na Europa e nos Estados Unidos.

Artigo | 6 de July

Na situação grega de crise humanitária, o Estado pode ser dispensado de cumprir as suas obrigações internacionais em termos de dívida, porque essa dívida aumenta o perigo existente, como acontece com as dívidas reclamadas pelo Eurogrupo e pelo FMI.

Artigo | 16 de May

Em comunicado, após a reunião com o ministro Dimitris Stratoulis que tutela as pensões, Éric Toussaint, coordenador do Comité para a verdade sobre a dívida grega, critica “as exigências dos credores ao quererem impor novas reduções das pensões complementares, quando é evidente que as políticas anteriores e atuais impostas pelos credores violam os direitos dos pensionistas a receberem rendimentos decentes”.

Artigo | 10 de March

Se um homem te empresta uma espada e fica louco, não lha podes devolver, explicava o filósofo grego. Se a troika empresta uma espada de 240 mil milhões e se torna louca furiosa de austeridade, o que fazemos?

Artigo | 5 de January

Até à eclosão da crise, em 1982, o Banco Mundial manteve um discurso duplo. Por um lado, dirigia-se ao público e aos países endividados dizendo que não havia razões para inquietação exagerada. O segundo discurso é escondido a sete chaves e guardado para as discussões internas.

Artigo | 3 de January

Sem a ajuda do BCE, os grandes bancos teriam entrado em falência, o que teria forçado os governos a tomarem medidas muito restritivas em relação aos seus dirigentes e principais acionistas. Por Éric Toussaint

Artigo | 30 de December

Considerar que a política dos dirigentes europeus é um falhanço, por o crescimento económico não ter sido retomado, é um engano resultante de má escolha no critério de análise. Por Eric Toussaint.

Artigo | 26 de December

Alguns políticos de primeiro plano são recompensados com cargos no setor privado, depois de executarem os recados encomendados pelo grande capital. É caso para se falar de verdadeiros vasos comunicantes e transparentes. Por Éric Toussaint

Artigo | 24 de December

Como revelou em julho de 2011 um relatório do GAO, equivalente ao Tribunal de Contas nos Estados Unidos, a Fed emprestou 16 biliões de dólares a uma taxa de juro inferior à taxa oficial de 0,25%. Por Eric Toussaint

Artigo | 6 de December

A Coreia atingiu os resultados que conhecemos sob o jugo de um regime ditatorial, particularmente repressivo e protegido pelos Estados Unidos, no contexto da luta contra os regimes ditos socialistas. A Coreia adotou um modelo produtivista que comprometia principalmente o meio ambiente. Por Éric Toussaint.

Artigo | 2 de December

As ações do Banco não se resumem a uma sucessão de erros ou de maus atos. Pelo contrário, fazem parte de uma visão coerente, teórica e conceptual, que se ensina doutamente na maioria das universidades, sustentada por centenas de livros de economia do desenvolvimento. Por Eric Toussaint.

Artigo | 4 de November

Com o apoio do FMI e do Banco Mundial, os conservadores impõem, a partir de 1962, políticas que provocarão fuga de capitais, sobre-endividamento, desvalorização da moeda e quebra de rendimento da população. É nesse contexto de crise que Ferdinando Marcos proclama a lei marcial em 1972. O Banco Mundial aplaude o ditador que implementa uma política compatível com os anseios de Washington. Por Éric Toussaint

Artigo | 3 de November

A Indonésia regressou oficialmente às fileiras do FMI em fevereiro de 1967 e a recompensa não se fez esperar: os países ocidentais concederam imediatamente uma ajuda de 174 milhões de dólares, com o objetivo de resolver a crise indonésia.

Artigo | 27 de September

Os “fundos abutre” são a versão extrema do capitalismo financeiro, a vanguarda quem tem atrás os batalhões que se chamam Goldman Sachs, Santander, J.P. Morgan, BBVA, City Bank, etc. Discurso de Éric Toussaint no Seminário Internacional “Alternativas ao imperialismo financeiro e aos fundos abutres”, em Caracas (Venezuela), no dia 12 de agosto de 2014.

Artigo | 8 de September

As decisões tomadas pelo BCE não vão melhorar a situação económica, não vão permitir gerar mais emprego, nem melhorar as condições de vida da população da Zona Euro. O rumo do BCE mantém-se firme: apoio total aos grandes bancos e ao patronato, contra a esmagadora maioria da população. Por Eric Toussaint.

Artigo | 6 de September

É interdito ao BCE e aos bancos centrais que fazem parte do euro-sistema concederem crédito às administrações públicas. Os governos da Zona Euro podem contornar parcialmente esta proibição, pedindo empréstimos aos bancos públicos (nos países em que estes ainda existam) mas até hoje sempre recusaram pôr em prática essa possibilidade.

Artigo | 2 de September

Desde a sua origem até aos dias de hoje, o presidente do Banco Mundial é um cidadão dos Estados Unidos, proposto pelo governo do país. Os membros do Conselho de Governadores ratificam apenas o candidato proposto pelos Estados Unidos. Trata-se de um privilégio que não consta nos estatutos do Banco. Por Éric Toussaint.

Artigo | 26 de August

Desde a eclosão da crise bancária em 2007, os bancos centrais dos países mais industrializados emprestam massivamente aos bancos a taxas de juro muito baixas, a fim de evitarem falências, permitindo que os bancos economizem somas consideráveis em termos de reembolso dos juros. Por Éric Toussaint.

Pages