You are here

Pesquisar

Artigo | 2 de March

A onda de indignação que ocupou este sábado as ruas do país contou com a adesão de mais de um milhão e meio de cidadãos e cidadãs, segundo adianta o movimento “Que se lixe a troika! Queremos as nossas vidas!”. O esquerda.net compila neste artigo as informações já avançadas pelos organizadores dos protestos sobre a adesão nas diferentes regiões. Última atualização às 15h30 de 05/02.

Artigo | 2 de March

Carlos Mendes diz que “já não se via tanta gente junta há muito tempo”; Arménio Carlos acha que o governo “sabe que está por um fio”; Lima Coelho defende que "estas coisas têm de ter consequências”.

2M
Flickr Photoset | 2 de March
Vídeo Esquerda | 2 de March

Catarina Martins diz, durante a manifestação em Lisboa, que “um primeiro-ministro que tivesse um mínimo de dignidade política e pessoal, depois de ver esta multidão, na rua, que lhe diz 'não', não teria outro caminho senão demitir-se”.

Artigo | 2 de March

Para Catarina Martins, depois de ver esta multidão na rua a dizer-lhe 'não', “um primeiro-ministro que tivesse um mínimo de dignidade política e pessoal não teria outro caminho senão demitir-se”. Para João Semedo, ficou demonstrado que “a `troika´ e o governo estão a mais no país”.

Artigo | 2 de March

Segundo a organização da manifestação “Que se lixe a troika! Queremos as nossas vidas!” mais de um milhão e meio de pessoas em todo o país exigiu a demissão do governo do PSD/CDS-PP. A adesão superou a da anterior manifestação de 15 de setembro. No Porto, 400 mil pessoas encheram as ruas. No final da manifestação de Lisboa foi lida uma moção de censura popular perante um "Terreiro do Povo" repleto de manifestantes.

Artigo | 2 de March

Veja neste artigo fotografias das manifestações um pouco por todo o país. Última atualização às 14h31 de 04/02.

Artigo | 2 de March

Milhares de pessoas encheram o Terreiro do Paço. Ao som de Grândola Vila Morena, os manifestantes percorreram as ruas da baixa de Lisboa entoando palavras de ordem como "O povo unido, jamais será vencido", "Governo para a rua já", "Espanha, Grécia, Irlanda e POrtugal a nossa luta é internacional", "A rua é nossa" e "A luta continua, troika para a rua". Última atualização às 19h10 de 02/02.

Artigo | 2 de March

A adesão ao protesto contra os cortes salariais impostos no Orçamento do Estado para 2013 já foi aprovada por oito sindicatos representativos dos trabalhadores da TAP, determinando a paralisação tanto os trabalhadores de ar como os de terra, e irá abranger também a Portugália, a SATA Açores e a SATA Internacional.

Artigo | 2 de March

A primeira manifestação integrada nos protestos do movimento "Que se lixe a troika! Queremos as nossas vidas" teve início pelas 10h na Horta, na ilha do Faial, Açores. Veja neste artigo as fotos do protesto e consulte aqui a lista de manifestações que terão lugar este sábado.

Artigo | 2 de March

Este sábado, os cidadãos saem às ruas para contestar as políticas de austeridade e exigir a demissão do “governo da troika”. Várias personalidades já apelaram à adesão ao protesto, que contará com a participação da CGTP e de vários movimentos sociais e será engrossado por colunas de setores sociais e profissionais. Os dirigentes do PCP, Bloco de Esquerda e da Juventude Socialista já confirmaram a sua presença nas manifestações.

Artigo | 2 de March

Esta sexta feira, Porto, Viana do Castelo, Guarda, Vila do Conde, Viseu, Vila Real, Esposende, Entroncamento, Covilhã, Bragança e Aveiro foram palco de protestos contra as portagens nas ex-SCUT. Utentes garantem não abandonar a luta até a suspensão das portagens.

Artigo | 2 de March

Esta noite, o coordenador do Bloco de Esquerda sublinhou que “o governo está a esconder o jogo”, lembrando que “a troika está em Portugal desde segunda feira e nunca como desta vez se ouviram falar tão pouco e se virão tão pouco os seus membros”. “Seguramente, isso deve-se à manifestação deste sábado”, adiantou João Semedo.

Artigo | 2 de March

A devastação social e política dos países atingidos pela crise ameaça o tecido social desses países. No entanto, a Alemanha parece manter-se à parte, com uma economia relativamente bem sucedida e florescente. Mas não foi sempre assim. Artigo publicado no site da IAC.

Artigos Opinião Esquerda | 2 de March

A falsa alternativa entre os campeões da austeridade e os populismos descabelados é a herança mais perigosa que a ditadura do combate ao défice legará à Europa.