You are here

Parem de roubar quem viveu a trabalhar!

A cada dia que passa, e este final de Janeiro foi mais um desses dias. Recibo na mão dos Funcionários Públicos, valores elevados fora das suas contas. E assim aconteceu com os aposentados, pensionistas e reformados.

Todos os dias, a todas as horas somos brindados com iniquidades provenientes do governo. Não é que não estejamos no conhecimento delas, mas a cada dia que passa, e este final de Janeiro foi mais um desses dias. Recibo na mão dos Funcionários Públicos, valores elevados fora das suas contas. E assim aconteceu com os aposentados, pensionistas e reformados.

Fazem pagar os mais velhos pela crise, ocultando cortes escondidos sobrepostos a cortes às claras.

O tão apregoado milagre económico, com foguetório por parte de P. P. Coelho, Mª Luís Albuquerque e até o Pires de Lima e as suas exportações amestradas, pela obtenção de uns largos milhões que nem pensavam obter . Porque de uma previsão de apenas 50 milhões, conseguiram, oh esforço coberto de glória, 400 milhões.

E logo de seguida, com pompa e circunstância, e o maior à vontade informam que, tudo foi conseguido através da subida dos impostos, numa escala cada vez mais inimaginável digo eu, nos cortes dos salários e nos cortes das reformas e aumento das taxas aplicadas. Taxas estas que não são mais do que impostos segundo a opinião do T.C. e outros Constitucionalistas de renome. Existe ainda uma outra falsidade em todas as informações que o governo propala, é a de que as pensões de sobrevivência da CNP são pagas pelo Orçamento do Estado.

Como a festa foi grande em função dos “objetivos conseguidos” por parte do governo, e não fôssemos nós pensar que a sanha cortante fosse abrandar, vieram já os mesmos, P. P. Coelho e Mª. Luís Albuquerque pôr-nos ao corrente de que “nesta altura não temos condições para fixar uma data precisa no nosso calendário” (talvez o chinês) “para repor seja pensões, sejam salários”! E a saga prossegue com as frases soltas de que o país não voltará aos níveis de riqueza ilusória de antes da crise” passando ao golpe promocional, para efeitos de futuras eleições que - “garante que, muitos dos cortes dos últimos anos serão transitórios!”

Como se nós não tivéssemos já idade para saber e perceber onde é quê estes senhores querem ir. E para onde querem ir. E para onde nos querem levar!

Tudo isto num total desrespeito à ética, ao Direito e à Justiça, saindo da moral a “tentativa de colocar os interesses puramente materiais acima da dignidade da pessoa”.

Teremos de ter bem presente e dizer-lhes com convicção, que não somos passíveis de contabilizações financeiras em folhas de Excel!

Já o demonstrámos no passado dia 22, em frente à A.R, como se pode ver nestes vídeos.

 

Poderíamos ter sido ainda muitos mais. Mas o tempo também tem sido muito traiçoeiro para quem é mais velho! Para quem, nestas alturas está mais debilitado! E só por isso houve falhas!

A recepção dada à Comissão da APRe!, composta pela Presidente Mª. Do Rosário Gama, Fernando Martins e Boaventura Sousa Santos, foi a de admiração pelo número de reformados presentes.

Estou certa de que a próxima demonstração, sim porque terá de haver breve outra, que irá reunir um número 5 a 6 vezes superior! Porque a força e a determinação observada através das imagens lhes irá dar a força para concluírem de que quantos mais somos mais fortes seremos.

E contem com os estiveram e todos os outros que irão estar deixando este aviso: Parem de roubar quem viveu a trabalhar. As nossas forças, a nossa determinação e o nosso poder criativo, não terão limites!

Sobre o/a autor(a)

Reformada. Tradutora e Assistente no Depto. Médico duma multinacional americana da indústria e comércio farmacêuticos. Dirigente do Bloco de Esquerda.
(...)