You are here

Beatriz Realinho

Licenciada em Ciência Política e Relações Internacionais. Ativista política e das causas LGBTQIAP+, ambientais e feministas. Autora do podcast “2 Feministas 1 Patriarcado”

Artigos do Autor(a)

2024/04/07 - 4:13pm

Em Portugal, após o 25 de Abril consagraram-se pilares públicos da democracia e do Estado Social. Porém, o Direito ao Cuidado ficou de fora da equação, estendendo-se para o trabalho doméstico dentro das famílias, não sendo regulado nem pelo Estado nem pelo mercado.

2024/01/30 - 9:57pm

O distrito da Guarda não tem nenhum deputado eleito pelo Bloco de Esquerda e sabendo das dificuldades de tal não baixamos os braços. Apresentamos um programa com propostas que acreditamos serem centrais para os próximos anos, colocando as pessoas no centro.

2023/11/11 - 11:00pm

Atualmente enfrentamos um conjunto de crises que se foram agravando: a emergência climática continua a intensificar-se, a crise do custo de vida tem aumentado, num país onde os salários continuam baixos e onde querer uma casa para viver mais parece uma ousadia.

2023/10/28 - 4:36pm

Mamadou Ba merece toda a nossa solidariedade, onde com ela denunciamos também a perseguição política da qual tem sido alvo. Esta decisão do tribunal significa a criminalização do antirracismo.

2023/09/21 - 2:17pm

Damos o espaço público como garantido, e, por isso, não o reivindicamos, até nos darmos conta que este começa a desaparecer enquanto espaço de mobilidade e partilha entre os corpos que nele habitam (ou querem habitar).

2023/08/12 - 2:05pm

A existência de vários casos provam como estas jornadas estão longe de reconhecer pessoas LGBTQI+, apesar das mensagens de apoio e empatia por parte do Papa.

2023/06/17 - 11:50pm

Enquanto ativistas do Bloco de Esquerda lutamos por uma agenda política que seja verdadeiramente LGBTQI+ e anticapitalista, tendo em conta as dificuldades e desafios que enfrentamos.

2023/05/18 - 11:08pm

A verdadeira essência das marchas acontece quando as mesmas são politizadas, com reivindicações fortes e, sobretudo, revolucionárias. Assim sendo, o maior significado que transmitem é o de marcarem a agenda política com debates importantes da população LGBTQI+.

2023/02/22 - 11:34am

Como mulher assusta-me o facto de saber que amanhã poderei ver os meus direitos limitados, à custa de uma política de constante desinvestimento na saúde reprodutiva, tal como na falta de fiscalização nas diversas unidades do SNS no que toca à IVG em diferentes territórios do país.

2023/01/23 - 4:02pm

Três dos locais onde o Governo está com ideias de encerrar os serviços de maternidade são em territórios da Beira Interior: Guarda, Castelo Branco e Covilhã. Ora, ao longo dos últimos anos temos vindo a assistir àquilo que é um divórcio entre serviços públicos e interior.

Pages