You are here

1961: O “annus horribilis” de Salazar

Camilo Mortágua esteve no assalto ao Santa Maria, um ato revolucionário que assinalou para o mundo o princípio do fim do regime e do Império Colonial. Conversa com Camilo Mortágua, conduzida por Fernando Rosas e Luís Farinha.

Camilo Tavares Mortágua emigrou, ainda jovem, para a Venezuela. Aí mantém relações com a oposição exilada. Conhece Henrique Galvão, um dissidente do regime, e inscreve-se nas lutas desencadeadas a partir da América do Sul. Participa na operação de Assalto ao Santa Maria (jan. 1961) e na operação de desvio do avião da TAP da carreira de Casablanca -Lisboa (nov. de 1961). Em 1967, com Palma Inácio e outros, participa na ação de recuperação de fundos do Banco de Portugal na Figueira da Foz. Apesar destas ações revolucionárias de grande impacto político, Camilo Mortágua nunca foi preso pelas polícias do regime. Com a Revolução de Abril, dirige a ocupação da Herdade da Torre Bela, no Ribatejo.

Para não perderes nenhum programa, subscreve o Convocar a História via iTunesSpotifyDeezer ou RSS


Outros podcasts no esquerda.net

Música portuguesa n'Os Cantos da Casa: subcreve via iTunes, Deezer ou RSS.

Noticiário canábico quinzenal no Quatro e Vinte: subscreve via iTunesSpotifyDeezer ou RSS.

Leituras longas de contos e artigos no Alta Voz: subscreve via iTunesSpotifyDeezer ou RSS.

Sons de sessões públicas e conferências no Mais Esquerda: Subscreve via iTunesSpotifyDeezer ou RSS.

Termos relacionados Convocar a História